O webjornal Folha do Bico apurou junto a diversos prefeitos de municípios do Bico do Papagaio que participaram na sexta-feira, 13, da reunião com a senadora Kátia Abreu e com técnicos da Caixa Econômica Federal, que teria ocorrido um certo desencontro de informações. O assunto era o Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), que segundo vinha sendo divulgado pela senadora Kátia Abreu, deveria construir 16 mil casas na região.

Durante o encontro que aconteceu na sede da Superintendência da Caixa Econômica Federal em Palmas, os técnicos explanaram que a Portaria Nº 363, de 12 de agosto de 2013, do Ministério das Cidades, que trata das diretrizes gerais para aquisição e alienação de imóveis com recursos advindos da integralização de cotas do FAR, que faz parte do Programa Minha Casa Minha Vida, contemplaria o Bico do Papagaio com apenas 750 casas, bem menos que as 16 mil que vinham sendo anunciadas pela senadora.

Segundo informaram os prefeitos consultados, os técnicos da Caixa anunciaram que a Portaria contempla município com até 20 mil habitantes, com a construção de 30 casas. Municípios a cima de 20 mil e menos de 50 mil habitantes receberiam 60 casas. Outro fato que deixou os prefeitos preocupados foi o valor liberado, de R$ 35 mil para compra do terreno e construção, eles alegam ser baixo o valor e não cobriria os custos.

Para se fazer uma comparação, os dados divulgados pela senadora anteriormente em diversos eventos, seria de que Araguatins seria contemplada com 2.267; Tocantinópolis receberia 1.443 e Augustinópolis 1.267. Os números garantidos pelos técnicos da Caixa na sexta-feira, foram de 60 casas para Araguatins e Tocantinópolis e 30 para Augustinópolis.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.