dilma2A presidente Dilma Rousseff anunciou na noite desta quarta-feira (10) a divulgação de um edital que permitirá o começo das obras no Pedral do Lourenço, que impede a navegação no rio Tocantins. “Amanhã (11) sai o edital do projeto base das ações ambientais para que nós façamos a contratação da empresa que vai construir o canal no Pedral do Lourenço, e garantir que tenha aqui uma hidrovia que mudará a cara do estado”, disse. Dilma já havia lançado o edital para a obra em março de 2014, mas as obras – apontadas como cruciais para o desenvolvimento da região pelo empresariado local – seguem paradas desde 2011.

O anúncio foi feito enquanto Dilma participava de um comício em Belém. A candidata do PT subiu ao palanque acompanhada do ex-presidente Lula e de Angela Mendes, filha do seringueiro Chico Mendes, que fez um apelo nos bastidores para que Dilma, caso seja reeleita, invista na Amazônia. “A Angela Mendes me disse assim, uma coisa que me comoveu muito: ela olhou e falou ‘Presidenta, olha para a Amazônia. Olha para cá, porque a morte do meu pai terá valido a pena’”, citou Dilma.
Além de Angela, estavam presentes na cerimônia a ministra da cultura Marta Suplicy, o ex-ministro Miguel Rosseto, que deixou o Ministério do Desenvolvimento Agrário para se engajar na campanha; e demais integrantes da colegiação como Paulo Rocha (PT), que concorre ao senado; Helder Barbalho (PMDB), candidato ao governo do Pará e o senador Jader Barbalho, pai do candidato.

Durante o comício, Lula comentou sobre a política econômica da candidata do PT. “Ela sabe que entregar o Banco Central aos banqueiros é acabar de uam vez por todas o direito da presidenta decidir”, disse. “Quantos países no mundo conseguiram fazer o milagre que esta mulher fez? Ela segurou a economia. O PIB não cresceu como ela queria, mas ela disse em alto e bom som ‘o povo pobre deste país não vai pagar pela crise dos ricos’”, conclui.

Dilma reafirmou compromissos de campanha durante o comício, e disse que, caso seja reeleita, iria continuar os investimentos do país mesmo diante de avaliações pessimistas. A candidata ainda fez uma referência a necessidade da presidência suportar a pressão. “Se não aguenta um ‘tweet’, imagine uma manchete negativa?”, disse Dilma.

Petrobras

Dilma comentou sobre as denúncias de corrupção envolvendo a Petrobras e a base aliada do governo. A “Veja” afirma, sem dar detalhes ou apresentar documentos, que Paulo Roberto Costa revelou em depoimentos ao Ministério Público Federal (MPF), na superintendência da Polícia Federal em Curitiba, que três governadores, seis senadores, um ministro e, pelo menos, 25 deputados federais foram beneficiados com as propinas.
“A Petrobras é a maior empresa deste país. Como em qualquer lugar, numa empresa do tamanho da Petrobras tem gente que age certo e gente que age errado. Não dá para confundir a Petrobras com quem age errado”, explicou.

Banco Central

Durante o comício, Lula também reforçou o compromisso de Dilma em não conceder autonomia para o Banco Central. “Ela sabe que entregar o Banco Central aos banqueiros é acabar de uma vez por todas o direito da presidenta decidir”, disse o ex-presidente.

Em seu discurso, a candidata enfatizou a importância dos bancos públicos para programas sociais. “Se diminuir o papel dos bancos públicos, não farão o ‘Minha casa minha vida’. Quero ver uma família com renda de R$ 1.600 comprar uma cassa de R$ 60 mil. Sabe quanto ele pagaria se fosse financiado por banco privado? R$ 940 por mês. E aí, como é que come? Como é que veste? Como é que se transporta para o trabalho?”, questionou. “Quando a gente olha o desenvolvimento do Brasil, queremos colocar em primeiro lugar as pessoas”, disse. (G1 PA).

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.