Após a veiculação de matéria em diversos veículos de imprensa sobre a reunião entre policiais civis e delegados com o candidato a governador da Coligação A Experiência Faz a Mudança, Marcelo Miranda (PMDB), o itaguatinense e presidente do Sindicato dos Policiais Civis (SINPOL), Moisemar Alves Marinho, divulgou nota sobre o assunto e falou com a imprensa.

Moisemar Alves Marinho, em entrevista ao Portal CT, comentou que a intenção da entidade “não foi falar de gestão A ou B” e sim pedir para os candidatos a governo do Estado que incluam em seus planos de ação projetos voltados para a segurança pública. “O que houve foi uma apresentação do projeto da Polícia Civil para ser inserido no governo dele [Marcelo Miranda], caso ele seja eleito”, explicou.

Segundo Moisemar, uma das reivindicações categoria, “que se arrasta há mais de dez anos”, é sobre a estrutura das delegacias. “A última delegacia que foi construída no Estado tem mais de 20 anos, ou seja, já passou por todos os governos: Marcelo, Gaguim, Siqueira e Sandoval. Não queremos servir de trampolim político, queremos simplesmente falar a verdade”, ressaltou.

Ele disse ainda que o documento com o projeto para a segurança pública estadual foi entregue para todos os candidatos, bem como o convite para a reunião. “Nós não denunciamos, até porque as reclamações sobre a segurança pública não deve ser feita para candidato, e sim para quem está no governo, para quem está no comando. Se para denunciar, teríamos que ir ao Ministério Público ou mídia, nos manifestar diretamente”, disse.

O presidente afirmou que o sindicato não declara apoio a nenhum candidato, mas disse que grande parte da Polícia Civil reconhece o que o atual governo fez pela classe.

Leia nota oficial:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol-TO) e dos Delegados de Polícia (Sindepol-TO), desde o início da campanha eleitoral, abriu espaço de forma democrática para que todos os candidatos ao governo do Estado viessem ao Sindicato e apresentassem seus planos de gestão para a Segurança Pública.

No período de 30 dias quatro candidatos foram recebidos pelos dois sindicatos e tiveram a oportunidade de conversar com a categoria. Como atitude de imparcialidade, em todas as reuniões, foi entregue uma pauta de sugestões elaborada pelas duas entidades representativas com o intuito de que sejam inseridas nos respectivos planos de governo. Além de ter sido entregue em ofício, as reivindicações foram inseridas na pauta da sabatina promovida pelas classes sindicais no início desta semana.

Dentre as reivindicações entregues encontram-se pedidos de melhorias na infraestrutura, maior investimento em qualificação pessoal, autonomia financeira e administrativa da Polícia Civil e compromisso com a nomeação dos novos aprovados no concurso em andamento.

As categorias reconhecem as conquistas atuais, entre elas o realinhamento salarial e a aprovação de Emenda Constitucional reconhecendo como Jurídica a carreira do Delegado de Polícia. Avanços esses que tornaram a Polícia Civil do Tocantins, referência nacional.

Além disso, a administração da pasta é de responsabilidade de um Delegado de Polícia que, por ser servidor de carreira, tem respeitado  as garantias e prerrogativas da categoria. Portanto, hoje somos uma Polícia de Excelência, com independência funcional e sem interferências políticas nas atividades de investigação.

MOISEMAR ALVES MARINHO

Presidente Sinpol-TO

CINTHIA PAULA DE LIMA

Presidente Sindepol-TO

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.