Dados da Central de Transplantes do Maranhão mostram que a fila de espera para órgãos é de 817 pacientes, divididos entre as duas únicas especialidades atendidas no Estado: rins e córnea. No Brasil, até junho, esses números correspondiam a 28.226, entre seis especialidades: rim, fígado, coração, pulmão, pâncreas e córnea. A informação foi publicada no jornal “O Estado do Maranhão.”

A médica nefrologista do Serviço de Transplante Renal do Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão, Maria Inês Gomes de Oliveira, explicou que esses números refletem a falta de sensibilização da população. “Nós precisamos melhorar o serviço no estado. Precisamos sensibilizar a população e chamar a atenção para esse ato”, afirmou a médica.

Para incentivar a doação, foi lançada nessa segunda-feira (22), no auditório da Universidade Federal do Maranhão, a Campanha Nacional de Doação de Órgãos. O evento prossegue até o dia 27 deste mês e é uma iniciativa do Ministério da Saúde, em todo o país, que conta com o apoio, em São Luís, da Central de Notificação, Captação e Distribuição de Órgãos do Estado do Maranhão- CNCDO/MA, do Hospital Universitário da UFMA, por meio do Banco de Olhos e da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes- CIHDOTT.

Para o reitor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Natalino Salgado, a campanha de incentivo a doação de órgãos tem que ser feita permanentemente, principalmente com o apoio e engajamento dos jovens e da comunidade acadêmica, que está participando diretamente desta campanha em São Luís. Foram os estudantes do curso de Comunicação da UFMA, por exemplo, que criaram toda a identidade gráfica e de comunicação do evento.  (G1 MA).

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.