esequias_araujo_6787Fechado para obras desde o último dia 20 de junho, o estádio Nilton Santos, em Palmas, é geralmente a casa dos times da capital. Porém, devido às reformas no local, São José, Imagine, Ricanato e Taquarussú não sabem onde mandarão os jogos na disputa do Campeonato Tocantinense da Segunda Divisão.

Segundo o superintendente estadual dos Estádios, Ginásios e Praças do Esporte, Belmiran José de Souza, os quatro times não enviaram nenhuma solicitação para mandar os jogos no estádio Nilton Santos.

– Nenhum dos times nos procurou para mandar as partidas em Palmas. Todos entraram para disputar a competição sabendo que o estádio seria fechado para reformas e não tomaram nenhuma providência – disse.

Ainda de acordo com o superintendente, as obras que tem um investimento de R$ 2 milhões caminham a passos lentos porque tudo é submetido a um projeto. Ele lembra que o estádio só deverá ficar pronto para utilização apenas em 2015.

– As obras estão lentas porque dependem de muita coisa e não depende só da gente e da empreiteira que está à frente do trabalho. Vocês viram aí os estádios da Copa do Mundo que tinham uma data para ser entregues, mas isso não aconteceu. Então, essas coisas demoram mesmo. Vai sair agora o termo aditivo de prorrogação, que irá prorrogar a obra em três meses, contudo, em janeiro fica pronto – afirmou.

Imagine

O presidente do Imagine, Paulo Kraemer, lamenta por não poder contar com o estádio da capital. Segundo o presidente, o clube ainda não sabe onde irá mandar os jogos.

– Não temos lugar definido ainda, é uma situação complicada. Só estamos na disputa para não pegar suspensão de dois anos no Tocantinense. É uma competição que só gera gastos. O foco nosso é o sub-19 e na formação de jogadores – comentou.

Ricanato

Para o presidente do Ricanato, Ricardo Carreira, a ideia do clube é mandar os jogos para o estádio General Sampaio, em Porto Nacional.

– Estamos tentando uma negociação com Porto Nacional para mandar os jogos lá, devemos definir logo essa situação, pois o campeonato já começa agora em outubro. Para acabar de vez com esse problema temos um projeto de construir um estádio com capacidade para duas mil pessoas – informou.

São José

O São José está planejando levar seus jogos para Miracema, mas nada foi definido ainda.
– Estamos quase acertando para levar nossos jogos no estádio Castanheirão. Está quase tudo acertado e pretendemos jogar por lá nesse período – conta o presidente Djacy Almeida.

Taquarussú

A situação do Taquarussú ainda é um pouco mais delicada, conforme o presidente do Taquarussú, Silney Rodrigues (Goiano). O clube já negociou com Miracema e não deu certo, tentou em Porto Nacional, mas também não obteve sucesso.
– Ainda estamos sem sabem o que fazer. Vamos tentar fechar com Paraíso [do Tocantins], espero que dê certo. Já fizemos todas as contratações e agora só falta o campo. Às vezes pensamos em até deixar o campeonato – afirmou.

Segundo a Federação Tocantinense de Futebol (FTF), o time que desistir antes do início do campeonato ficará dois anos suspenso de qualquer competição profissional de futebol e recebe uma multa de R$ 15 mil. Se a desistência ocorrer no decorrer da competição a suspensão é de três anos com multa de R$ 15 mil. (Globoesporte.com/TO. Foto: Esequias Araújo/Jornal do Tocantins).

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.