“É através da educação que o caráter da criança e do adolescente vai sendo formado. Uma educação de qualidade atraia o jovem para a escola, para o ensino técnico e para a universidade é o que torna o pontapé inicial para entrar no mundo do trabalho”, disse o candidato a deputado federal Osires Damaso, que visitou 17 municípios desde a última segunda-feira, 24, até esta quarta-feira, 26.

Por onde passou, o candidato defendeu mais investimentos na educação, em especial no que diz respeito à valorização do professor. Ele também citou a necessidade de tornar a escola mais atrativa e implantar mais cursos técnicos para que o jovem possa se capacitar e entrar no mundo do trabalho.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017, o Brasil tinha 48,5 milhões de pessoas com idade entre 15 e 29 anos. Desse número, 11,1 milhões não trabalhavam, nem matriculados em uma escola, faculdade, curso técnico de nível médio ou de qualificação profissional. Esses jovens são conhecidos como “nem-nem”.

“Precisamos mudar essa realidade. Nossos jovens estão cada vez mais desestimulados com a escola. Estando fora da escola, portas podem se abrir para a criminalidade e não podemos deixar que isso ocorra”, disse.

Para isso, o candidato ressaltou a necessidade do poder público investir na valorização do professor. “O trabalho dos profissionais da educação necessita de condições adequadas para ser realizado com sucesso. A valorização do professor é fator fundamental para uma educação de qualidade. Como deputado federal, vou fiscalizar e cobrar do poder público ações de investimento na carreira docente”.

Damaso esteve nas cidades de Nova Rosalândia, Oliveira de Fátima, Fátima, Santa Rita do Tocantins, Cristalândia, Lagoa da Confusão, Barrolândia, Paraíso do Tocantins, Miranorte, Dois Irmãos, Araguacema, Pau D’arco, Arapoema, Carmolândia, Araguanã, Xambioá e Piraquê.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.