O que começou como suspeita de pneumonia terminou como tragédia em família. A pequena Heloísa Vitória, de nove anos de idade, morreu por volta das 17h30 do sábado (8), dentro do hospital municipal de Dom Eliseu, a 450 quilômetros de Belém, no nordeste paraense. Após exames, foi constatado que a morte foi provocada por estupro. O acusado do crime foi o próprio padastro, Jonatas de Jesus Silva, capturado junto à esposa e mãe da vítima, Márcia Lizandra da Silva, cúmplice do ato por omissão.

Detida ainda na noite de ontem (8), a dupla foi submetida a uma audiência de custódia neste domingo e, diante das provas apresentadas pela própria Polícia Civil, teve as prisões convertidas em prisões preventivas. O casal foi transferido para o PEM 2, em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém.

Após a morte da criança, o médico plantonista do hospital municipal solicitou a remoção do corpo. A morte, no entanto, foi questionada por uma equipe de médicos que tinha atendido Heloísa Vitória há poucos dias. Isto porque o motivo do atendimento tinha sido uma pneumonia não confirmada.

Foram feitos novos exames no corpo e o diagnóstico apontou um quadro preliminar de hemorragia retal, o que dava indícios de que a paciente havia sido violentada sexualmente. Desde então, a equipe de Polícia Civil iniciou a investigação junto a testemunhas. A mãe e o padastro foram procurados na residência da família, mas não foram encontrados.

Jonatas e Márcia foram capturados e presos em flagrante, sendo que o homem foi enquadrado por estupro de vulnerável em continuidade delitiva em concurso com o crime de homicídio qualificado e a mulher presa por estupro de vulnerável qualificado pelo resultado morte (crime omissivo impróprio). (Portal ORM)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.