O Bispo de Tocantinópolis, Dom Giovane Pereira de Melo juntamente com o Núncio Apostólico no Brasil, Dom Lorenzo Baldisseri abençoam e inauguram o Seminário Menor Propedêutico Don Corona. Na quinta, 28, às 8h e 30. Durante a estada de dois, o Núncio visitará as 6 paróquias da cidade.

O Seminário começou a ser construído em 2007, com ajuda do Padre Alex Saldanha Corona, motivado pela proposta de criação da sede da Diocese de Araguaína, também, pela estrutura educacional da cidade, são razões para a instalação do Seminário.

A conclusão da construção só foi possível com ajuda das famílias de Rosalba e Flávio Quinta (in memorian), Janete e Ernandes Candido Oliveira, Vânia e Reno Graziane e Vãnia e João Batista, que organizaram juntamente com mais de 70 voluntários, no mês de maio o maior evento beneficente religioso do Tocantins, o Show da Família – O Iluminar de Padre Fábio de Melo que reuniu no estacionamento do Mirandão, mais de dez mil pessoas.

Com o funcionamento do Seminário Don Corona abre-se o diálogo para a criação da Diocese de Araguaína ou a instalação da residência oficial do Bispo de Tocantinóplis na cidade. 

Localizado na Vila Ferreira, o Seminário Menor Propedêutico Don Corona conta com uma área construída de 736,79 m², dividida em: Capela, jardim, sala de estudo, biblioteca, refeitório, cozinha, lavanderia, sala de estar e 10 apartamentos com capacidade de receber até 20 seminaristas.

Para ingressar no seminário os estudantes, futuros padres, deverão ter concluído o Ensino Médio (há exceções). A formação religiosa começa com estudo de introdução à Bíblia Sagrada, orientação pastoral, formação da espiritualidade humana afetiva, aulas de boas maneiras, aulas de línguas: Latim, Italiano e Português. Seguida de um ano de Filosofia e Teologia. Sob orientação e reitoria do Padre Edvaldo Pereira da Silva. Logo após a inauguração, 6 seminaristas iniciam os estudos religiosos no Don Corona.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.