A ossada recolhida pela equipe de peritos e legistas do Grupo de Trabalho de Tocantins (GTT), que procura restos mortais de guerrilheiros no cemitério de Xambioá, já foi limpa e está preparada para ser levada a Brasília   para análise do Instituto Médico Legal e do Instituto de Criminalística da Polícia Federal. A informação é da assessoria de imprensa do GTT. Ainda não está definido, no entanto, quando a ossada será levada para Brasília. 

Também não há confirmação de que seja o corpo de um militante que participou da Guerrilha do Araguaia, pois há vestígios de que a ossada foi enterrada em um caixão.

Os restos foram encontrados quinta-feira, 21, numa área chamada Cimento, mas os peritos tiveram de interromper o trabalho de limpeza por causa da chuva.

A Guerrilha do Araguaia surgiu no início da década de 70 e foi um movimento de resistência à ditadura militar (1964-1985). No próximo mês, o Brasil poderá ser condenado pela Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA) porque o Estado não prestou informações sobre o episódio aos parentes dos guerrilheiros desaparecidos e não houve responsabilização pelas mortes. (Roberta Lopes – Repórter da Agência Brasil)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.