526675_173711319436605_1295576418_n

A resposta parece que veio rápidas, por parte dos envolvidos em um suposto esquema de corrupção na Câmara Municipal de Parauapebas-PA. Coincidentemente, apenas um dia após, jornalistas membros da Associação de Imprensa e Comunicação de Parauapebas (AICOP), denunciarem por meio de uma Ação Popular, a existência de funcionários fantasmas no Poder Legislativo, o presidente da AICOP, Francisco James dos Santos, o Frank James, sofreu uma tentativa de homicídio, quando estava acompanhado da família na sede da Associação.

O jornalista foi surpreendido por um homem armado que o manteve sob a mira de um revólver e fez varias ameaças. Após um descuido do criminoso, Frank conseguiu fugir pelo quintal.

A delegada que acompanha o caso informou que deverá pedir as imagens das câmeras de segurança próximas à casa do jornalista para ajudar na identificação do homem, que fugiu do local em uma moto.

O caso

“Na reunião do último dia 15 recebemos um envelope lacrado com documento que consta irregularidades referidas à Câmara Municipal de Parauapebas. Decidimos de forma coletiva consultar um advogado para que a veracidade dos fatos seja constatada”, disse o presidente da AICOP, Frank James.

“Chegamos ao consenso de entrarmos com a ação para que as autoridades possam investigar e chegar à conclusão de quem está certo ou errado. Nosso papel como jornalistas é, além de informar, também tomar decisões de interesse da população, afinal isso envolve dinheiro público”, destaca o secretário da AICOP, Bariloche Silva.

Segundo o advogado da comissão responsável pela denúncia, Carlos Viana Braga, o documento aponta ainda casos de pessoas que prestam serviço na Câmara Municipal e na Prefeitura simultaneamente caracterizando assim acúmulo de cargos públicos, o que também é vedada por lei. “Algumas dessas informações podem ser confirmadas no próprio Portal da Transparência da Câmara, a denúncia quer saber se os nomes listados estão trabalhando efetivamente, no caso dos que não tiverem, que o dinheiro seja devolvido aos cofres públicos”, encerra o advogado.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.