Kelvin Kim Chiang, uma das vítimas envolvidas no caso da morte do advogado Brunno Eduardo Soares Matos, prestou nesta sexta-feira (10) depoimento e participou de uma acareação, na delegacia, com o estudante Diego Polary, apontado como um dos suspeitos do crime.

A acareação foi conduzida por representantes da Ordem dos Advogados do Brasil no Maranhão (OAB-MA), que estão acompanhando a investigação sobre o assassinato do advogado. De acordo com a polícia, o inquérito sobre o homicídio deve ser concluído na próxima semana.

O depoente Kelvin Kim Chiang foi atingido com uma facada nas costas durante uma discussão em uma festa em uma casa de eventos, localizada no bairro do Olho d’Água, em São Luís. Ele estava internado em um hospital particular de São Luís, e por conta da gravidade dos ferimentos ainda não tinha se apresentado as autoridades policiais.

Segundo o delegado Márcio Dominici, que está à frente do caso, as investigações já se encontram bem adiantadas. “As investigações estão bem adiantadas. Todos os envolvidos estão identificados. A questão agora é no relatório final delimitar a conduta de cada um”.

O delegado Dominici afirma ainda que até o início da próxima semana o inquérito deverá ser entregue a Justiça para que possa ter início o julgamento de todos os envolvidos. “Eu pretendo no máximo, apesar de eu ter um prazo até quarta-feira (15), no máximo segunda-feira (13) ou terça de manhã (14) remeter o inquérito a Justiça”.

Entenda

De acordo com informações da polícia, o suspeito do crime mora em uma residência próxima ao local onde acontecia a festa e, por volta de 5h, foi até o local para reclamar do som alto e teria começado a quebrar retrovisores de veículos estacionados. Brunno então reclamou da atitude dele, que entrou em confronto com as vítimas e, armado com uma faca, feriu os três.

Um quarto homem, que não quis se identificar, se escondeu em um buraco e presenciou o crime. Ele contou à polícia que trabalhava desmontando a estrutura de som quando ouviu Alexandre pedir socorro, levou as vítimas para o hospital e chamou a polícia.

Brunno Matos trabalhava na assessoria jurídica da campanha de Roberto Rocha e na Prefeitura de São Luís. (G1 MA).

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.