O Projeto Academia Itinerante da Polícia Civil do Estado do Tocantins deu inicio, na manhã desta segunda-feira, 15, à etapa de aperfeiçoamento de policiais civis realizada em Palmas. As boas-vindas aos 180 participantes dos cursos que serão ministrados até 27 de outubro foram dadas pelo diretor da Academia de Polícia Civil, delegado Marcelo Santos Falcão Queiroz, e pelo subsecretário de Estado da Segurança Pública, delegado Wlademir Costa Mota Oliveira.

Em seu pronunciamento, o anfitrião do evento, Marcelo Falcão, destacou o papel do policial civil em seu ímpeto pelo aprimoramento e busca de novos conhecimentos: “a vontade de aperfeiçoar-se é o sentimento que une os alunos aqui presentes, oriundos de vários municípios do estado”, frisou, agradecendo ao quadro de professores, pela sua voluntariedade, e à nova gestão da Segurança Pública estadual, pelo comprometimento e esforços para que o projeto avançasse ainda em 2018.

Nas palavras do subsecretário da Instituição, delegado Wlademir Costa, representando no ato, o secretário Fernando Ubaldo Monteiro Barbosa, a valorização da pessoa do policial civil é o grande foco da atual gestão da Segurança Pública, que vai “lutar pela continuidade das ações de um Projeto desempenhado com brilhantismo pela Diretoria da Acadepol”. O gestor, ainda, deixou um eloqüente recado aos alunos da Academia: “que se faça com muito amor este curso, pois, só assim, resultados excelentes poderão ser alcançados”, concluiu.

Ao final da cerimônia, foram ministradas as primeiras aulas da Turma XIV do curso de aperfeiçoamento “Academia Itinerante 2018”, que se finalizam em 20 de outubro. Em seguida (22/10), a Turma XV inicia suas atividades até 27 de outubro.

Todas as 180 vagas ofertadas a policiais civis em Palmas, Paraíso do Tocantins, Porto Nacional, Arraias, Alvorada, Araguatins, Tocantinópolis, Pedro Afonso e Araguatins foram preenchidas, sendo 120 delas destinadas aos cargos de delegado, escrivão e agente de Polícia Civil, e 60 para peritos oficiais, papiloscopistas e agentes de necrotomia.

Os alunos serão capacitados em áreas técnicas específicas de cada cargo, além de obterem uma visão moderna da Polícia Civil e o aprimoramento das atividades investigativas e operacionais, implementadas estas últimas por integrantes do Grupo de Operações Táticas Especiais – GOTE, do órgão de segurança.

O Projeto Academia Itinerante está em seu segundo ano de vigência e propõe o aperfeiçoamento intelectual e operacional dos policiais civis, especialmente para atuarem com eficácia e eficiência no desempenho das atribuições de polícia judiciária e de investigação de infrações penais.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.