A Fundação Cultural de Palmares (entidade do Ministério da Cultura) esteve na Ilha São Vicente, em Araguatins para prestar assistência às famílias que tiveram que desocupar a área quilombola em litígio.

Segundo o promotor Breno Simonassi, a fundação foi levar mantimentos e prestar apoio às quatro famílias que tiveram de sair de suas casas.

A determinação judicial do Juiz Jeferson David de Asevedo Gomes que determinou a desocupação da área foi anulada sexta-feira, 29, motivada pela ausência da participação do Estado, que segundo o promotor, não foi citado no processo.

Conforme Simonassi, será preciso um estudo para verificar qual Estado pertence à área, pois a ilha se situa à margem do Rio Araguaia, que também faz divisa com o Estado do Pará. (Lara Tavares)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.