Esta segunda-feira, 29, completa 18 dias que o mototaxista Maxson Mota Sousa, 32 anos, se encontra desaparecido. Ele sumiu, juntamente com a motocicleta, no dia 11 de novembro, depois de ter sido visto pela última vez no Parque Anhanguera em Imperatriz.

Na semana passada, policiais do 3º Grupamento do Corpo de Bombeiros Militares, com sede em Imperatriz, concentraram buscas no rio Tocantins. Isso porque surgiu uma notícia de que Maxson Mota Sousa havia sido assassinado a golpes de faca e o corpo jogado no rio. Entretanto, os bombeiros não tiveram êxito nas buscas.

Mesmo diante da notícia de assassinato e os bombeiros não tendo sucesso na procura, a família de Maxson ainda tem esperança de que ele esteja com vida.

No dia que desapareceu, Maxson Mota Sousa saiu de Araguatins, para onde tinha se mudado recentemente em função da esposa ser professora concursada para trazer um passageiro até Imperatriz e desapareceu misteriosamente, junto com a motocicleta Honda CG-150, cores amarela e azul, placa HPT-6882 Imperatriz.

Os telefones para contato, caso alguém tenha alguma pista do paradeiro de Maxson, continuam à disposição: (63) – 9948-7512/ (99) 9148-6663 / (99) 8127-6534. (O Progresso)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.