Na manhã desta segunda-feira, 8, uma rebelião no presídio de segurança máxima de São Luís conhecido como Complexo Penitenciário de Pedrinhas foi deflagrada. Os presos dominaram um agente penitenciário, tomaram sua arma e mantêm três monitores (seguranças terceirizados desarmados) reféns.

A governadora Roseana Sarney (PMDB) pediu apoio ao Ministério da Justiça para as negociações. Segundo a secretaria, uma equipe de policiais especializados em negociações com presos deve chegar ao Estado nesta terça-feira, 9.

O presídio São Luís abriga 80 presos condenados e não tem superlotação, segundo a secretaria.

Os presos rebelados liberaram nove corpos de detentos que foram assassinados durante a rebelião. Cerca de 200 presos aderiram ao motim, que iniciou as 9h.

A rebelião teve início após o descuido de um agente penitenciário durante a revista. Presos conseguiram dominar o funcionário e tomar a arma dele, que acabou sendo baleado.

Os detentos mortos foram identificados como: Neguinho do Barreto, Guri, Negão, Cleiton, Elisangelo, Chiquinho, Dragão, Isaque e Eromar.

No anexo do Presídio São Luís estão, aproximadamente, 80 detentos, entre sentenciados e provisórios.

As negociações com os presos rebelados serão retomadas nesta terça-feira, 9.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.