O Sul do Estado voltou a registrar mais um assalto a banco com sequestro de policiais militares, uso de explosivos e incêndio de veículo utilizado para a fuga. Desta vez, o crime ocorreu na agência do Banco do Brasil de Palmeirópolis, a 459 quilômetros da Capital.

Conforme as informações passadas pela Polícias Civil e Militar, o assalto foi realizado por volta das 15h30. Um grupo com seis homens armados invadiu o prédio do banco e, após atirar nos vidros, usaram uma bomba para explodir caixa eletrônico dentro do banco.

Para cometer o assalto, os criminosos usaram dois veículos. Uma caminhoneta e uma Fiorino. A caminhoneta foi roubada cerca de 30 minutos antes de um vizinho da sede do Pelotão da Polícia Militar na cidade. Ao roubar o veículo, os bandidos também fizeram três policiais militar reféns. Além disso, eles roubaram quatro pistolas, um fuzil e toda a munição estocada da pelotão da PM.

A exemplo do que ocorreu nos outros assaltos no Sul do Estado, mais uma vez os bandidos não feriram qualquer pessoa e tampouco maltrataram os reféns.

O grupo fugiu por uma estrada de chão para fora da cidade. Depois de percorrer cerca de 30 quilômetros, os assaltantes libertaram os sequestrados. Na sequência, o grupo criminoso ateou fogo na Fiorino e abandonou a caminhoneta. O valor roubado ainda não foi divulgado.

Policiais de cidades vizinhas, inclusive de Minaçul (GO), foram acionados para os trabalhos de busca. Segundo informação extraoficial fornecida pela Delegacia da Polícia Civil de Palmeirópolis, contando com PMs, cerca de 150 policiais estavam trabalhando ontem à noite na tentativa de prender os bandidos. A fonte policial informou, ainda, que as autoridades acreditam que o crime foi praticado pelo mesmo grupo que atuou nos outros assaltos. (Daniel Machado e Isabelle Bento – Jornal do Tocantins)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.