A Ordem dos Advogados do Brasil – Secção do Tocantins (OAB/TO) protocolou ontem em Brasília apenas o pedido da intervenção federal no sistema penitenciário do Estado. A solicitação da saúde foi adiada a pedido do secretário estadual da pasta, Francisco Melquíades Neto. O secretário entregou um relatório à OAB com as argumentações do governo na área.

Em reunião nesta quarta-feira, 24, o secretário relatou todas ações e o resumo da gestão do governo do Estado em torno dos hospitais. Ao ser questionado pela imprensa sobre a falta de medicamentos no Hospital Geral de Palmas (HGP), alegou que a falta foi momentânea. De acordo com Melquíades Neto, faltaram 42 itens, tanto de medicamentos quanto no almoxarifado. De acordo com o secretário, ontem chegaram mais medicamentos e, desta forma, disse que a população não precisa se preocupar.

O presidente da OAB, Ercílio Bezerra, recebeu o relatório da Sesau, que será analisado hoje pelos conselheiros e diretoria do órgão para decidir se mantém a solicitação de intervenção. Outro fator que fez a OAB adiar a entrega ao Ministério da Saúde do pedido é a falta de alguns documentos que ainda estão sendo juntados. (Fernanda Dias – Jornal do Tocantins)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.