Cruzamento de dados do comunicado n.º 66 do Instituto de Pesquisa e Econômica Aplicada (Ipea), intitulado Situação da Educação Brasileira: Avanços e Problemas, divulgado na semana passada, com informações da estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2009, mostra que o Tocantins tinha 124.541 analfabetos no final de 2009.

Para chegar a essa conclusão, o Jornal do Tocantins usou os dados de analfabetismo divulgados pelo Ipea, que apontam uma taxa de 13,5% no Tocantins, considerando as pessoas com 15 anos ou mais de idade. A taxa foi calculada com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do IBGE 2009 e, por isso, o JTo usou a estimativa populacional daquele ano e não o resultado do Censo 2010.

A estimativa de 2009 mostrava uma população total de 1.292.051 habitantes, enquanto os maiores de 15 somavam 922.524 habitantes. Já o Censo 2010 mostra o Tocantins com 1.373.551 habitantes, o que representa aumento de 6,3% em relação à estimativa. O Censo 2010 ainda não divulgou a população por faixa etária, o que impede saber quantos habitantes o Estado tem com idade acima de 15 anos.

Classificação

Na comparação com os outros estados do Brasil, com o total de 13,5% de analfabetos com mais de 15 anos, o Tocantins, conforme o ranking divulgado pelo Ipea, tem o 11º maior percentual de analfabetos. Na região Norte, o Tocantins é o segundo nessa marca negativa, só sendo superado pelo Acre, que possui 15,4% da população com 15 anos ou mais analfabeta.

O líder do ranking é o Alagoas, com 24,6%. No Brasil, a taxa de analfabetismo é de 9,7%. Desta forma, o Tocantins possui um percentual de analfabetos 3,8 pontos maior que a média nacional.

Estudo

Em relação à média de anos estudados pela população alfabetizada de mais de 15 anos, o Tocantins também não está numa boa posição. Com média de 7,3 anos por habitante, o Estado está na 14ª colocação nesse quesito, empatado com Acre e Mato Grosso do Sul. Na região Norte, o Tocantins somente está à frente do Pará, que tem uma média de 6,7 anos de estudos por habitantes com 15 anos ou mais. A melhor unidade da federação em anos de estudo é o Distrito Federal, com média de 9,6 anos por habitante na faixa etária do levantamento.

Nesse quesito, o Tocantins também tem números piores do que a média nacional, porém a diferença não é grande. No Brasil, a média de anos de estudo por habitante com 15 anos ou mais é de 7,5. (Daniel Machado – Jornal do Tocantins)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.