DSC_0710

”Embora não tenhamos coragem de expor nossas ideias e lutar pela melhoria da qualidade de vida e provimento de recursos em prol da coletividade, ansiamos mudanças. Mas, ao mesmo tempo, tornamo-nos mais hipócritas criticando as ações alheias sem estarmos corretos em nossa conduta. Onde nos perdemos?”. Este é um trecho do artigo de opinião semifinalista da quarta edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, escrito pela estudante Lauandecy Maria Domingas, do 3º ano do curso técnico em Rede de Computadores do Campus Araguatins, do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Tocantins (IFTO).

Lauandecy Maria, que segundo ela, já chegou a ler 300 livros por ano, está entre os quatro estudantes que representaram o Estado do Tocantins na etapa regional da competição, realizada na cidade de Brasília, nesta segunda-feira, 17.  Para a estudante, sua classificação é resultado da motivação que recebeu dentro de casa e no Campus Araguatins, onde sempre foi incentivada a ter um posicionamento crítico. Ela conta que sua mãe chegava a fazer competição entre ela e os irmãos, na qual ganhava um prêmio quem lia o maior número de livros durante o ano. Além disso, a mãe sempre os presenteava com livros.

“A partir do momento que eu soube que havia sido classificada eu quis ter essa responsabilidade de representar o meu Estado, de poder ganhar um prêmio para o meu Estado, porque muitas pessoas falam mal do Tocantins, falam mal do Brasil, negam sua própria identidade e querem ir para outro país, mas eu quero ter nacionalismo, eu quero ter amor pelo meu país, eu quero ter amor pelo meu Estado”, declarou Lauandecy Maria.

Para a professora do IFTO, Fracinete Costa, que acompanhou a estudante na competição, o fato de uma aluna ser reconhecida nacionalmente numa semifinal, pela capacidade de articulação e expressão da escrita é, sem dúvida, o reconhecimento e a validação da qualidade do ensino que se cultiva, ofertado pelos docentes do campus, neste caso específico pelos docentes da área de Língua Portuguesa.

A Olimpíada

A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC), que desenvolve ações de formação de professores com o objetivo de contribuir para a melhoria do ensino da leitura e escrita nas escolas públicas brasileiras.

O processo de seleção da Olimpíada é realizado em cinco etapas: escolar, municipal, estadual, regional e nacional. Para avaliar os trabalhos, são formadas comissões julgadoras específicas para cada etapa. Educadores, especialistas de universidades, representantes da Undime, do Consed, Cenpec, Ministério da Educação, da equipe da Fundação Itaú Social, de pais e das comunidades também fazem parte dessas comissões.

Para possibilitar o desenvolvimento da proficiência escrita desses alunos, durante as premiações regionais, eles participam de oficinas de leitura e escrita e revisão dos textos inscritos na Olimpíada com os respectivos docentes. Enquanto isso, os professores assistem às palestras com especialistas em Língua Portuguesa e formadores para refletir sobre propostas de ensino de gêneros textuais. Ao término das oficinas, as comissões julgadoras regionais indicam os 152 professores e alunos finalistas. Os finalistas serão premiados com medalhas de prata e um tablet e ganham o direito de disputar a premiação nacional.

A Etapa Nacional será realizada em Brasília, no mês de dezembro, quando serão anunciados os 20 vencedores nacionais. Os alunos e professores escolhidos receberão medalhas de ouro, um notebook e uma impressora. As escolas serão contempladas com laboratórios de informática, compostos por dez microcomputadores e uma impressora, além de um projetor, um telão e livros. (Kelinne Oliveira, com informações do MEC)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.