Operadoras de telefonia móvel no Maranhão são alvo de uma ação do Ministério Público Federal. Segundo o MPF, a ação foi motivada pela baixa qualidade de serviços prestados pelas operadoras e pede a suspensão da venda de novas linhas, além de maior fiscalização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

“Nós não temos uma cobertura adequada. Nós nãosomos atendidos quando a gente liga para lá e, às vezes, eu ligo para fazer uma reclamação e deixo no viva voz e vou fazer minhas coisas. Passam 30 ou 40 minutos e eu você não é atendido” reclama a estudante Iara Carvalhedo.

Segundo o Procon, foram 490 reclamações contra a operadora Vivo, 600 contra a Claro, 672 contra a Tim e 1.947 reclamações contra a Oi. Chamadas que não completam, sinais com ruídos e ligações interrompidas são alguns dos problemas que motivaram a ação civil pública do MPF.

As operadoras se pronunciaram por meio de nota. A Vivo informou em nota que não foi notificada da ação judicial e que, assim que isso ocorrer, a empresa cumprirá a determinação legal; a Claro disse que não comenta ações judiciais; a Tim informou que ainda não foi notificada, mas que está a disposição das autoridades para prestar os esclarecimentos necessários; e a Oi disse apenas que não foi citada da ação.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.