Diversos relatos de assédio moral no Quartel da 3ª Companhia de Bombeiro Militar, localizado em Araguatins, no Bico do Papagaio, foram relatados à Comissão de Direito Militar da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Tocantins (OAB-TO) e ao Ministério Público Estadual (MPE). A denúncia foi feita por bombeiros e pela Federação das Associações de Praças Militares do Tocantins (Faspra-TO).

Contribuição compulsória para despesas do Quartel, pagamento de conserto de viaturas por desgaste natural, ameaças de redução de notas avaliativas, pagamento de cortinas e ventiladores, ausência de folga semanal, abuso de autoridade e assédio moral foram relatados à Comissão da OAB-TO,  que notificou o Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins, Coronel Reginaldo Leandro da Silva. “Notificamos a fim de que proceda a averiguação das condutas relatadas e notifique a comissão sobre as medidas realizadas, sob pena de omissão e conivência”, escreve o presidente da Comissão de Direito Militar, Indiano Soares e Souza.

A Faspra-TO também enviou os relatos ao MPE-TO, ao promotor de justiça Fábio Lang. “Solicitamos a instauração de procedimento preliminar administrativo, com vistas à expedição de notificações e requisições para a investigação dos fatos considerados gravíssimos pela federação”, enfatizou o presidente da Faspra-TO, João Victor Moreira de Freitas. (Ascom Faspra-TO)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.