No dia 15 de dezembro, o Professor Aldivino foi condecorado pelo Governo Federal, no auditório do MEC em Brasília, com a Medalha Nilo Peçanha, pelos relevantes serviços prestados ao Brasil, na área do Ensino Profissional.

Tal Comenda comemora o Centenário do Ensino Técnico Profissional Brasileiro. Essa grande jornada teve início em 23 de setembro de 1909, quando o Presidente Nilo Peçanha assinou o Decreto nº 7.566, criando 19 “Escolas de Aprendizes Artífices”, destinadas ao ensino profissional primário e gratuito para os “desafortunados” (órfãos, abandonados, etc).

A trajetória do Professor Aldivino, na área do ensino profissional, teve início em 1973, na cidade de Pedro Afonso, quando lá esteve chefiando uma equipe do Projeto Rondon, oriunda de São Paulo-Capítal. Aldivino atuou em Guaraí e Pedro Afonso por 45 dias, chefiando uma Equipe do Projeto Rondon, nos meses de janeiro e fevereiro de 1973. Retornou à sua sede em São Paulo e no mês de abril do mesmo ano, resolveu interiorizar-se em Pedro Afonso. Lá chegando, lecionou história, inglês, português e todas as disciplinas da área do ensino Normal, no Colégio das Freiras em Pedro Afonso. Logo foi nomeado para o cargo de confiança de Superintendente Regional de Educação e Cultura, ocasião em que fundou o Colégio Estadual Agrícola de Pedro Afonso, naquela época, denominado de Escola Agro-Artezanal. Em 1974, com a ajuda do então Deputado Federal José Wilson Siqueira Campo, conseguiu que o Governador Leonino Di Ramos Caiado, reconhecesse oficialmente a Escola, que funciona normalmente, até os dias de hoje.

Em 1975, Aldivino ingressou no MEC, através da Coordenação Nacional do Ensino Agropecuário (COAGRI) que o designou para dirigir a Escola Agrotécnica Federal de Urutaí-GO, onde permaneceu até, 1980. Em seguida, continuou dirigindo Escolas Agrotécnicas, até sua aposentadoria em 1998 (EAFs de Cáceres-MT, Salinas-MG, Araguatins-TO e Colorado do Oeste-RO). Além disso, o MEC designou-o para implantar e dar assistência pedagógica às Escolas Agrotécnicas de Boa Vista-RR e de Codó-MA.

Aposentado em 1998, após 24 anos de atuação na educação profissional, sempre como gestor,  foi convocado pelo Governador Siqueira Campos para assumir uma função de Confiança no Governo do Estado, como Assessor Especial. Ajudou a implantar o PROVIDA e logo após, foi nomeado como Assessor Especial para Acompanhar o Processo de Implantação da Escola Técnica Federal de Palmas. Nesta época, início de 1999, a ETF-Palmas estava com suas obras completamente paralizadas. O Prof. Aldivino deslocou-se diversas vezes a Brasília, onde foi recebido pelo Ministro Paulo Renato. Preparou um extenso e detalhado relatório sobre as necessidades orçamentárias para a continuidade das obras e  aquisição de  equipamento da ETF-Palmas e com a ajuda do Governador Siqueira, dos Senadores e Deputados Federais do Tocantins, conseguiu que o Ministro Paulo Renato liberasse a verba necessária. No início do ano de 2000 Aldivino concluiu esta missão que Siqueira lhe havia confiado.

Com a absoluta certeza do dever cumprido, Aldivino deu por encerrada sua estadia em Palmas, mudou-se e fixou-se em Araguatins, onde vive com seus familiares. (Assessoria de imprensa do Professor Aldivino)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.