Desenvolvido pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) como atividade de incentivo ao consumo de legumes e verduras de baixo custo e grande oferta local, a “Oficina de Alimentos Regionais Maranhenses”, que aconteceu, nesta quinta-feira (9), no prédio do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (Ufma), está beneficiando a população do Bacanga com técnicas voltadas ao manuseio e aproveitamento de alimentos.

O evento, que encerra nesta sexta-feira (10), com aulas teóricas e praticas no Laboratório de Técnica Dietética do Curso de Nutrição, reforça medidas baseadas no que preconiza a Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PNAN). A metodologia utilizada para aprimorar as técnicas de manipulação dos alimentos também reforça os procedimentos para garantir a qualidade e higiene na hora do preparo.

A diretora técnica do departamento de Nutrição da SES, Suely Ismael, disse que o encontro está dando a oportunidade para que donas de casa e profissionais que lidam diretamente com o setor de alimentação, situados ou que mantêm seus estabelecimentos comercias localizados no Bairro do Bacanga, de conhecer técnicas de alimentação saudável e de como suprir possíveis deficiências nutricionais de crianças e adultos utilizando produtos tipicamente maranhenses.

A PNAN foi instituída em todo país no ano de 1999, pelo Ministério da Saúde com uma série de medidas formuladas sobre requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde. “Entre as diretrizes instituídas para combater distúrbios nutricionais e doenças associadas à alimentação e nutrição, está a prática de valorização de produtos regionais, que podem ser melhor inseridos dentro da alimentação diária com grandes ganhos para a população”, explicou Suely Ismael. 

Entre os produtos maranhenses, a oficina tem evidenciado a qualidade e eficácia de alguns itens que podem fazer a diferença á mesa quando o assunto é saúde, a exemplo, do buriti que, além de ser encontrado com facilidade, é rico em vitamina A e ferro.

“É sabido que o Nordeste é a região que tem a maior taxa de anemia ferropriva (comum) no país, por estar nesta região o Maranhão apresenta índices elevados de deficiência de ferro. O fruto do buriti, assim como o “João Gomes”, pode ser um aliado importantíssimo para reverter este quadro”, completou a nutricionista da SES.

Para a nutricionista Renata Nascimento, que ministra o curso, a importância de realizar procedimentos simples como a lavagem das mãos de forma correta pode evitar problemas no preparo. “O alimento pode até estar em boas condições, mas, as mãos podem levar bactérias ou fungos para contaminação do prato a ser preparado e ocasionar problemas de saúde como intoxicações e outros”, disse ela.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.