A Secretaria de Estado da Saúde (SES), em parceria com o Ministério da Saúde, deu início nesta segunda-feira (13), no auditório da Faculdade Santa Terezinha (CEST/Anil), à Oficina de Qualificação do NASF para intensificação das Ações de Redução da Mortalidade Infantil. O treinamento é destinado a profissionais de saúde dos 38 municípios prioritários para a redução de mortalidade infantil no Maranhão. A oficina se estende até esta quarta-feira (15).

O objetivo da oficina é qualificar a atuação dos profissionais dos Núcleos de Apoio a Saúde da Família (NASF) com foco na redução da mortalidade infantil, na intensificação das ações de pré-natal e atenção à saúde da criança até cinco anos de idade.

A secretária adjunta de Ações Básicas de Saúde da SES, Cristina Loyola, ao conduzir a abertura da Oficina, disse que este é mais um momento de participação coletiva que visa reduzir a mortalidade infantil, situação grave, que atinge o Estado, embora ações estejam sendo realizadas para a reversão desse quadro.

A taxa de mortalidade infantil no Maranhão, segundo o Ministério da Saúde, é l de 30,1%. Assim, o Maranhão está no foco das prioridades das ações do governo federal para a redução desse índice.

Para assessorar a SES na realização da Oficina, estão em São Luís as técnicas do Departamento da Atenção Básica do Ministério da Saúde, Rosani Pagani e Rosana Ballestero Rodrigues, bem como profissionais da Estratégia Saúde da Família de vários estados brasileiros, como São Paulo, Mato Grosso, Ceará e Santa Catarina.

O NASF é constituído por equipes de profissionais de diferentes áreas do conhecimento (psicólogo, assistente social, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, profissional de educação física, nutricionista, terapeuta ocupacional, etc.) para atuarem em conjunto com equipes da Saúde da Família.

A técnica do Ministério da Saúde Rosana Rodrigues explicou que a oficina pretende ser um espaço de diálogo e troca de experiências entre os participantes, de estímulo à reflexão, propiciando a participação e construção de um novo olhar sobre o processo de trabalho das equipes com vistas à intensificação da redução da mortalidade infantil.

A técnica explicou ainda que, ao final da oficina os participantes irão construir uma proposta de atuação local para a redução da mortalidade infantil nos municípios prioritários, conforme compromisso do Pacto pela Redução da Mortalidade Infantil.

A meta estipulada pelo governo federal no Pacto é reduzir a mortalidade infantil, com ênfase na redução da mortalidade neonatal e priorizando os 256 municípios nos Estados da Região Nordeste e na Amazônia Legal, onde há o maior número de óbitos infantis.

No Maranhão foram priorizados 38 municípios selecionados pelo Ministério da Saúde e pela SES, obedecendo aos critérios como maior número de óbitos infantis, população vulnerável ou em modificação, entre outros.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.