Das cinco pessoas presas acusadas de envolvimento na morte da professora Isabel Barbosa Pereira, em Xambioá, em 2008, duas foram liberadas da Casa de Prisão Provisória de Palmas na última sexta-feira, 17. Segundo o advogado, Miguel Vinicius dos Santos, o pedido também era pela liberação do marido de Izabel, Sérgio Mendes da Silva, que é apontado como mandante do crime e foi capturado em Rio Branco, no estado o Acre, no dia 27 de outubro.

O advogado confirmou que foram liberados por meio de um pedido de liberdade provisória Antônio Batista da Silva Filho e Ronisley Mendes da Silva, irmãos de Sérgio. Continuam presos, além de Sérgio, Ronaldo Spindola Silva e Wagner Mendes da Silva. “Nós pedimos a liberação de todos, mas o juiz deu apenas do Antônio e do Ronisley. Vamos verificar as razões para saber o motivo e caso não haja motivo para manter o Sérgio preso vamos entrar com uma réplica do pedido e se for preciso com um Habeas Corpus”, afirmou o advogado, que disse ainda que entre os fatores elencados no pedido de liberdade provisória estava o de que em momento algum os acusados ameaçaram as testemunhas, que os mesmos mantêm residência e não obstruíram as investigações.

Defesa trabalhará na inocência

De acordo com o advogado de defesa de Sérgio além de não haver motivação para que ele continue preso não existem no processo nenhuma prova que atribua a ele o crime. “Não existe dentro do processo nenhuma prova, nem por ouvir dizer, que atribua a ele o crime. Ele era apaixonado pela mulher dele e vamos trabalhar para liberação dele da cadeia e depois para provar que ele não tem envolvimento nenhum com o crime”, afirmou o advogado.

O advogado também disse que o acusado não nega ter recebido dinheiro e uma máquina do ex-prefeito de Xambioá, Wilmar Martins Leite, que é um dos apontados como mandante do crime e está foragido. “É verdade que ele recebeu o dinheiro e a máquina, mas isso não implica que ele iria matar a esposa dele. Ele era muito apaixonado por ela”, concluiu o advogado. (Roberta Tum)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.