Bastante abalado emocionalmente, diante do momento vivido por sua família em Xambioá, onde sua mãe, Ione Leite é prefeita por força de decisão judicial – e de onde seu pai, Vilmar Leite está foragido desde que teve prisão provisória decretada – o ex-candidato a prefeito e deputado nas últimas eleições, Júnior Leite, procurou o Site Roberta Tum na noite de terça-feira, 30, para apresentar a versão da família para os fatos.

Segundo Júnior, a família é vítima de deliberada perseguição política, e seu pai é inocente das acusações imputadas na conclusão do inquérito que foi avocado pelo titular do Deic de Araguaína. “Não há uma prova contra meu pai, nenhum depoimento que aponte ele como mandante deste crime. O que existe é o relatório do delegado e de agentes escolhidos a dedo pela ligação política que eles têm com o prefeito cassado”, disse o filho de Vilmar Leite, assegurando a inocência do pai.

Plantando uma imagem para Vilmar

O trabalho de uma equipe de policiais na fazenda de propriedade de Vilmar Leite, desencadeada a partir de denúncia anônima, é outra ação questionada pelo filho do acusado. “Estão tentando plantar uma imagem de exterminador de trabalhadores para o meu pai, um homem que nunca foi acusado de nada, nunca respondeu um processo, que se ergueu naquela região a custa de muito trabalho. Justiça tem que ser feita sim, mas não condenando gente inocente”, argumenta.

Para Júnior Leite, a promotoria está ”armando um circo” para evitar que o habeas corpus preventivo protocolado pela defesa de Vilmar Leite seja acatado. “Foi a mesma coisa que fizeram na porta do Tribunal de Justiça, para evitar que o pedido de liminar fosse concedido ao meu pai”, disse.

Júnior diz que Isabel era companheira

Além de defender o pai das acusações, Júnior Leite disse que a vítima, professora Isabel Barbosa, era amiga de sua família. “É uma absurdo dizer que meu pai pagou para matá-la. Nós também queremos justiça, mas para os verdadeiros culpados. Quem cometeu este crime está livre, rindo de tudo que está acontecendo. Nós também queremos saber quem foi”, argumentou para completar: “Isabel era nossa amiga, nossa companheira”.

Negando ameaça à família da vítima

O ex-candidato a deputado, Júnior Leite negou ainda ao Site Roberta Tum que tenha ameaçado uma irmã de Isabel que reside em Palmas. “Não a conheço, nunca estive com ela. Quando uma pessoa diz que foi ameaçada precisa dizer como isso aconteceu: foi pessoalmente, por carta, por telefone?” questionou.

Dinheiro apreendido e contrato deixado para trás

Quanto aos R$ 50 mil reais apreendidos pela polícia civil durante execução de mandado na casa da prefeita, e que foram encontrados no carro da família, Júnior volta a protestar contra a ação da polícia: “o dinheiro era para pagar parte dos honorários do advogado que está representando meu pai no processo. Junto com o dinheiro, estava o contrato, e os cheques pré-datados do restante, mas eles deixaram o envelope para trás, e disseram que o dinheiro era para que meu pai fugisse do país. Outro absurdo”.

O dinheiro, segundo o filho de Vilmar, ainda se encontra apreendido, embora tenha origem comprovada, e seja destinado a pagamento de honorários.

Sobre o paradeiro de seu pai, Júnior afirmou que ele se encontra em local ignorado, cuidando da saúde enquanto espera que sua defesa seja ouvida pela justiça. “Meu pai não queria sair de casa, nem da cidade. Ele tem 76 anos, e está arrasado com tudo isso. Por ele tinha ficado, mas foi orientado pela defesa para não ser exposto diante da cidade toda, como um condenado por um crime que ele não praticou”, finalizou. (Roberta Tum)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.