O Delegado Geral da Polícia Civil, Reginaldo de Menezes Brito, afastou na tarde desta terça-feira, 14, três policiais de Xambioá, por improbidade administrativa, abuso de poder e tortura sexual.

A determinação foi expedida pelo juiz da Comarca de Xambioá, devido uma ação civil pública, proposta pelo Ministério Público, contra os agentes.

Os agentes de polícia Paulo Rogério Alves da Silva e Divino Martins dos Santos de Júnior e o agente penitenciário Alanete Pereira dos Santos foram afastados imediatamente dos serviços prestados à comunidade e colocados à disposição da Corregedoria Geral da Polícia Civil, por meio de portaria expedida pela Delegacia Geral.

De acordo com o Corregedor Geral, Dr. Francisco Gonçalves Saboya Filho, além de responder na Justiça, os servidores também serão investigados administrativamente.

“A punição vai desde uma simples advertência até a demissão do servidor da Corporação da Polícia Civil”, declarou. O prazo para a conclusão das investigações é de trinta dias, mas pode ser prorrogado conforme a necessidade.

O agente de polícia, Saulo Borba e o servidor administrativo Carlos Alberto estão afastados da Cadeia Pública de Xambioá desde o mês de novembro, também acusados de improbidade administrativa. (Da assessoria da SSP)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.