marcelo-miranda

O próximo ano deve ser de melhorias na infraestrutura da saúde, segundo o governador do estado, Marcelo Miranda (PMDB). Na manhã desta quinta-feira (22), ele falou que quer concluir as obras no Hospital Geral de Palmas (HGP). Segundo ele, este ano foi difícil, mas prometeu que “2017 será o ano da virada para o Tocantins”.

Questionado sobre os problemas da saúde, ele insistiu que é hora de esquecer o que passou. “Precisamos virar a página”. Confirmou que a saúde não foi bem este ano, mas que a equipe é comprometida com este setor.

No ano que vem, ele disse que vai concluir a reforma do HGP e acabar com a tenda implantada no local. A estrutura foi colocada provisoriamente no maior hospital público do estado, mas se tornou uma extensão da unidade.

Em relação ao reajuste das taxas do plano de saúde dos servidores, o Plansaúde, Miranda disse que foi necessário para minimizar as despesas mensais do estado. O aumento das taxas foi de até 81%. “Nós gastamos R$ 4,5 milhões com os dependentes indiretos”. Em contrapartida, ele prometeu que o atendimento do plano será restabelecido. “Nós fizemos uma negociação e parcelamos a dívida, que é de R$ 86 milhões”.

Disse também que vai reabastecer os 18 hospitais do estado e criar o programa IntegraSus com o objetivo de integrar os médicos do estado.

“Vai ter uma sala de monitoramento de 160 metros quadrados com computadores e câmeras para os médicos. Eles vão estar interligados. Se faltar um medicamento, por exemplo, eles vão se comunicar online. Não vamos ter distanciamento de um município para o outro. Ano que vem não queremos mais ouvir falar em dificuldades nos hospitais”, garantiu.

Miranda disse ainda que o concurso da Polícia Militar, esperado para o mês de agosto deste ano, será lançado em 2017. “Já está na comissão de licitação”, disse. Havia 3,8 mil policiais militares no estado, mas por causa das aposentadorias houve uma queda. O certame deve oferecer 1000 vagas. Ele ainda disse que os aprovados no concurso da Polícia Civil serão nomeados.

Sobre os reajustes fiscais, o governador garantiu que não promoverá aumento de impostos, mas que continuará com a contenção de despesas. “Nós recebemos a casa com mais de 60 órgãos. Hoje temos 14 secretarias. Ano que vem pretendemos fazer mais reformas”, disse sem especificar o que será realizado. Ele disse que demitiu mais de dois mil servidores no ano passado, o que gerou uma economia de R$ 80 milhões.

Miranda disse que vai pagar a data-base dos servidores públicos conforme o combinado. Disse também que vai conversar com os outros poderes – Legislativo e Judiciário – para enxugar os gastos.

“Conversei com os presidentes do Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público Estadual e da Assembleia Legislativa. Todos teremos que rever o planejamento. O que queremos é que as coisas aconteçam. Os poderes estão avisados que teremos que rever condutas”. (G1)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.