O partido PODEMOS pode passar por nova mudança de comando no Tocantins nos próximos dias, mas não sairá da base do pré-candidato a governador, Carlos Amastha (PSB), prefeito de Palmas. Nomeado presidente estadual da legenda na última segunda-feira, 18, o subprefeito da capital, Adir Cardoso Gentil, pode ser substituído no inicio de 2018.

O motivo seria a “Capivara” de processos em nome do gestor, que pretende ser candidato a deputado federal. Como o PODEMOS tem trabalhado com a filosofia de renovação e nomes limpos para integrar o partido, a presidente nacional, deputada federal Renata Abreu, foi cobrada pela Executiva da legenda, sobre a situação de Gentil que tem uma ficha com quase 30 processos na Justiça. Até porque a sigla expulsou na semana passada o deputado federal, Carlos Gaguim, por muito menos, e agora seria no mínimo incoerente manter Gentil dirigindo estadualmente o partido.

Mesmo com o problema, Renata Abreu tem buscado alternativas para a situação. Com a troca em via de fatos para acontecer, a legenda não sairia do raio de apoio do prefeito Amastha.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.