Missionária Francisca Vaz foi encontrada morta em sua casa com um saco de cimento sobre seu tórax.

O juiz César Leandro Pinto Machado, da Vara Criminal da Comarca de Redenção, decretou a prisão dos cinco acusados de participação na morte da missionária Maria Francisca Vaz e da atendente Joanice de Souza.

A decretação da prisão ocorreu durante a audiência de custódia que iniciou no final da manhã desta quarta-feira (13), no Fórum de Redenção.  Os primeiros a serem ouvidos foram os acusados Jean Altamir Rodrigues da Silva e Ricardo Pereira da Silva.

Ao final da audiência, o juiz decretou a prisão dos dois e solicitou que os acusados fossem encaminhados de volta para o Presídio de Redenção. Em seguida foi a vez de Aline Vaz, filha da missionária e mulher de Jean, apontado como mentor intelectual da morte de Francisca. O magistrado não atendeu o pedido de prisão domiciliar dos advogados de Aline, que está em período de amamentação de uma filha de seis meses de vida, e decretou a prisão dela.

Jean Altamir Rodrigues da Silva, genro e Aline Vaz, filha da missionária.

Na mesma decisão foram arrolados o casal Wesley e Euzirene Costa, que voltaram para a cadeia, onde já estavam desde do final da tarde de terça-feira (12). Durante a audiência, uma pessoa do público que acompanhava a sessão foi presa por se manifestar, após o réu confesso Ricardo Pereira ter dito para o juiz que foi ele quem cometeu os dois assassinatos, inocentando os outros quatros acusados.

Em depoimento aos delegados da Polícia Civil, Ricardo afirmara que matou a missionária com a ajuda de Euzirene e que Aline Vaz, Wesley Costa e Euzirene teriam assassinado a atendente Joanice. Diante do juiz César, os acusados Jean, Wesley, Aline e Euzirene negaram a participação dos crimes.

Entenda o caso

O motivo do crime teria sido o interesse de Jean na casa da sogra em uma apólice de seguro que a missionária possuía no valor de R$ 200.000,00.

Já a atendente Joanice Oliveira de Jesus, sobrinha da cabeleireira, teria sido morta por estar na casa no momento em que os criminosos entraram na residência para cometer o assassinato.

De acordo com o delegado Antônio Miranda Neto, a missionária teria sido assassinada pelo membro da Igreja Tabernáculo, de prenome Ricardo, que receberia a importância de R$ 5.000,00 para praticar o crime.  Ricardo era amigo da missionária e frequentava a casa da vítima. Os outros dois envolvidos e que estão presos são Euzilene e Wesley, os quais a polícia ainda vai esclarecer a participação no caso.

O delegado Antônio Miranda Neto relatou à imprensa que o elemento de nome Ricardo, durante o depoimento, disse que chegou à casa da missionária com o propósito de realizar uma campanha de oração na casa de Francisca e por isso ela abriu a porta.

Em seguida, o genro, a filha Aline e os outros dois integrantes chegaram à residência para aquele que seria um culto macabro. Ainda segundo o depoimento de Ricardo, ele assassinou a missionária enquanto que Joanice foi morta por Aline e o marido Jean.

Os cinco acusados foram ouvidos pela polícia até a madrugada desta terça-feira, e durante o dia de hoje novas informações serão repassadas pela força-tarefa da Polícia Civil que está investigando o caso.

Após o término do interrogatório, os envolvidos foram transferidos para o Presídio de Redenção. (Dinho Santos/Correio de Carajás)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.