O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) denunciaram novos ataques na manhã desta terça-feira (12) ao acampamento Hugo Chávez, em Marabá, sudeste paraense. Os trabalhadores afirmam que um grupo de pistoleiros chegou ao local e começou a atirar contra o acampamento.

O local fica na fazenda Santa Teresa, que deverá ser alvo de uma ação de reintegração de posse nesta quarta-feira (13). Segundo o MST, o local sempre foi alvo de conflitos, que se intensificaram na segunda-feira (11), quando foram registrados dois ataques, também cometidos por pistoleiros. Apesar de não ter registro de feridos na ação, o clima de pânico tomou conta do local. Eles contam que os disparos chegaram a ser feitos inclusive contra crianças e mulheres que estavam no local.

Durante o final da manhã, alguns dos membros do local começaram a desmontar acampamento, com medo de sofrerem com os ataques. O MST teme que haja um outro massacre como o ocorrido em Pau D’Arco em maio deste ano, quando 10 trabalhadores rurais foram executados durante uma reintegração de posse.

Através de nota, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) informou que tomou conhecimento de duas versões sobre o caso, a dos posseiros, afirmando sobre o ataque sofrido, e a da proprietária da fazenda, que “afirmou ter se deslocado ao Fórum de Marabá e na volta, à fazenda, foi cercada por várias pessoas e ameaçada”.

O caso já está sendo investigado por uma equipe da Delegacia de Conflitos Agrários de Marabá. Uma equipe da Polícia Militar foi deslocada ao município para acompanhar a situação.(DOL)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.