A Polícia Civil de Tucuruí, sudeste do Pará, divulgou nesta quinta-feira (28) a prisão de quatro pessoas envolvidas nos crimes de recepção, roubo e porte ilegal de armas, tráfico de drogas, associação para o tráfico e corrupção de menores. De acordo com delegado Geraldo Pimenta, diretor da Seccional de Tucuruí, foram realizadas diversas operações, nos últimos dias, para combater a criminalidade na região. Entre os presos está um homem que fabricava e vendia armas de fogo.

Na última sexta-feira (22) foram presos Moisés Alves Ribeiro, de 24 anos, e Liliane Castro de Souza, de 20 anos. O casal é acusado de negociar pela internet produtos roubados. Moisés Alves e Liliane Castro furtaram diversos produtos de um salão de beleza em Tucuruí. Os produtos foram localizados pela própria dona do estabelecimento em um site de compras e vendas na Internet.

A proprietária do salão de beleza informou à Policia Civil sobre o roubo dos dois modeladores de cabelo e outros objetos. Ela foi orientada e entrou em contato com a pessoa responsável pelo anúncio no site de compras e vendas identificada depois como Liliane Castro de Souza. A dona do salão negociou a compra dos modeladores de cabelo e marcou um ponto de encontro com Liliane Castro. Os policiais civis acompanharam o encontro à distância e realizaram a prisão de Liliane Castro no momento da entrega dos objetos. Segundo o delegado, o acusado, Moisés Alves, também apareceu no local e foi preso. “Moisés Alves confessou que furtou os modeladores com a ajuda de Liliane Castro”, detalha o delegado. Os dois acusados ficarão recolhidos à disposição da Justiça.

Armeiro

Em continuidade às operações policiais em Tucuruí, foi preso em flagrante Alexandre da Silva Cunha pela equipe da Seccional de Tucuruí, sob comando do delegado Washington Santos. O preso é sócio de uma marcenaria e também atuava como “armeiro”, ou seja, consertava e fabricava armas de fogo provavelmente para cometer roubos ou homicídios. Segundo o delegado, com o preso Alexandre da Silva foram apreendidos vários canos de aço, coronhas de madeira, silenciadores, pólvora, chumbo, cápsulas vazias, munição e outros aparelhos necessários à fabricação das munições e armas de fogo. O preso foi encaminhado à Seccional de Polícia Civil de Tucuruí.

O acusado foi autuado pelo crime previsto no artigo 17 da Lei n° 10.826/03 (Estatuto do Desarmamento), por adquirir, alugar, receber, transportar, conduzir, ocultar, ter em depósito, desmontar, montar, remontar, adulterar, vender, expor à venda ou de qualquer forma utilizar, em proveito próprio ou alheio, no exercício de atividade comercial ou industrial, arma de fogo, acessório ou munição, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar. A pena é de reclusão de quatro a oito anos e multa.

Presidiário

Também nesta quinta-feira policiais civis de Tucuruí conduziram para a Seccional do município o presidiário Luís Mendes Júnior. Recolhido no presidio em Tucuruí, ele é acusado, segundo investigação realizada pelo delegado Washington Santos de Oliveira, de utilizar um telefone celular dentro de presídio para se comunicar com um adolescente e lhe repassar ordens. “Luís Mendes contava com a ajuda do adolescente para gerenciar, comprar e vender drogas”, relata o policial civil.

Segundo o delegado, outros dois presos também estão envolvidos neste caso. Luís Mendes Júnior responde processo pelo crime de tráfico de drogas e foi preso por três vezes pelo crime e por associação para o tráfico e corrupção de menores. Ele foi autuado pelo crime de corrupção de menores. Os policiais civis continuarão com as investigações para apurar o envolvimento dos outros indivíduos.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.