- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_img
sábado, 13 / julho / 2024

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

13 suspeitos são denunciados por saquearem carga de caminhão que tombou na TO-134 entre Angico e Darcinópolis

Mais Lidas

O delegado Carlos Eduardo Estrela, da 18ª Delegacia de Polícia de Ananás, apresentou ao Ministério Público nesta quinta-feira, 26 de outubro, os resultados de um inquérito que identificou 13 moradores do Bico do Papagaio como responsáveis pelo saque de um caminhão que tombou na TO-134, entre Angico e Darcinópolis, em 22 de junho do ano passado.

Os suspeitos foram autuados por furto em acidente de trânsito sem vítimas. Eles são acusados de saquear 20,2 toneladas de carga, incluindo 1.441 produtos eletrônicos, ferramentas e utensílios. A carga, avaliada em R$ 830.887,70 segundo a nota fiscal da transportadora goiana Atual Cargas, estava a caminho de Marabá (PA).

O acidente ocorreu por volta das 12h40 quando um trecho da rodovia estava bloqueado por uma árvore e dois veículos parados. O motorista do caminhão, Nilson Cortes, de 44 anos, não conseguiu parar nem desviar o veículo e colidiu com um dos carros parados. O caminhão então tombou. A carga permaneceu intacta durante a tarde e parte da noite enquanto policiais militares estavam no local, mas foi saqueada à noite por cerca de 150 pessoas.

No dia seguinte ao acidente, Cortes e o gerente administrativo José Bento Ribiero, de 54 anos, solicitaram uma investigação sobre o saque. O motorista anotou a placa dos carros que estavam levando os produtos saqueados, o que auxiliou na investigação policial.

Entre os suspeitos identificados está o pedreiro D. D. L. G., de 35 anos, que devolveu os produtos saqueados após ser contatado pelo delegado Estrela. Ele afirmou que sua esposa soube do acidente e foi até o local, onde ligou para ele pedindo que levasse uma carretinha para buscar os produtos.

Outros suspeitos também confirmaram sua participação no saque e devolveram os produtos levados. Todos agora aguardam a decisão do Ministério Público sobre o caso.

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias