Connect with us

Maranhão

Gravações mostram ameaças de sequestradores do menino Pedro Paulo

Publicado

em

Nesta semana, o menino Pedro Paulo Lemes, de apenas cinco anos, reencontrou os pais depois de passar 14 dias em um cativeiro. Ele foi levado por sequestradores de dentro da própria casa, em Imperatriz. Após o resgate do menino e da prisão de alguns suspeitos de envolvimento no caso, o programa Fanástico, da TV Globo mostrou, neste domingo (15), o emocionante reencontro do menino com os pais e, com exclusividade, a assustadora mensagem deixada pelo grupo de sequestradores.

O pesadelo da família começou na manhã do dia 27 de junho. Eram quase 6h quando dois homens aproveitaram a chegada da empregada e invadiram a casa da família, mas o que parecia um assalto, se tornou algo bem pior. Os homens eram sequestradores que saíram de Imperatriz, levando o menino e o carro da família, dona de uma pequena empresa na cidade. O carro usado na fuga foi abandonado no mesmo dia na cidade de Sítio Novo, no estado de Tocantins, a 20 quilômetros da casa da família.

O primeiro contato aconteceu quase 36 horas depois do sequestro. Uma mensagem enviada por telefone celular indicava a localização de um ponto em uma rodovia a 130 quilômetros do local onde a criança havia sido levada. No lugar, o pai do menino, Jurandir Mellado, encontrou um cartão de memória com uma mensagem assustadora dos sequestradores.

Na gravação de áudio, os homens demonstravam intimidade com a família. Na mensagem, eles deram instruções para que o pai de Pedro Paulo efetuasse o pagamento de um resgate no valor de R$ 500 mil e mentiram sobre estado do menino, fazendo ameaças. Os sequestradores se disseram profissionais e apresentaram diversas condições para o pagamento.

A prova de que a criança estava viva veio no dia 7 de julho, em um vídeo gravado no local do cativeiro, com o menino pedindo ao pai que fosse buscá-lo. Três dias depois, a família da criança recebeu uma nova mensagem informando o local onde seria feito o pagamento da quantia. Vinte e duas horas após o pagamento, Pedro Paulo foi libertado, na terça-feira (10), em frente a uma casa na cidade de Palmeirante, no Tocantins, junto a um bilhete que continha o número de telefone de seus pais.

Jurandir Mellado foi o primeiro a reencontrar o filho e enviou uma foto do dois para a esposa Elizângela Lemes. “Quando vi aquele sorriso lindo e ele, mesmo abatido, com uma cara, com sorriso de felicidade, pra mim foi a melhor sensação”, conta, emocionada, a mãe. O reencontro aconteceu na última quarta-feira (11), em Imperatriz, com muitos sorrisos. “É um alívio. Vida nova. Vamos fazer de conta que nada aconteceu e ir tocando a vida normalmente”, falou o pai de Pedro Paulo sobre o momento marcante.

Horas depois do resgate, a polícia prendeu quatro sequestradores, entre eles um ex-funcionário do empresário Jurandir Mellado. Outras três pessoas ainda estão sendo procuradas: Antonio Luís Martins da Silva, Sebastião Soares da Silva – que já foi preso por envolvimento em outros sequestros – e uma mulher que ainda não foi identificada. Parte do dinheiro pago no resgate também foi recuperada pela polícia. 

Veja a íntegra da mensagem deixada pelos sequestradores à família de Pedro Paulo:

“Muita atenção nas instruções a seguir. São elas que levarão seu filho de volta até você. Em primeiro lugar, não temos nenhum interesse de fazer mal ao seu filho Pedrinho. O nosso interesse é exclusivamente na quantia de R$ 500 mil que o senhor Jurandir deverá nos pagar para o ter de volta com a sua integridade física e moral preservadas. No entanto, as suas atitudes, seu Jurandir, poderão facilitar ou dificultar a vida do seu filho. Informamos que estamos preparados e qualificados para qualquer situação. Inclusive, se o senhor tentar nos enganar, avisamos que o nosso insucesso resultará na morte do seu filho.

Não haverá negociação. As instruções são para serem seguidas à risca e fique atento a possíveis trotes. Nós não faremos contato telefônico a não ser para confirmarmos se o senhor recebeu as instruções e, em nosso contato, nosso codinome será “Chorrim”. Segundo Pedrinho, esse é o nome do seu cachorro que morreu, então entenda, quando contatarmos o senhor, nos identificaremos com o nome de “Chorrim”, aí o senhor saberá que somos nós.

Pedimos ainda, senhor Jurandir, que o senhor não envolva a polícia. O senhor tem o poder de afastá-los do caso. Lembre-se, é a vida do seu filho que está em jogo e é natural o ser humano preservar a vida, então preserve a vida do seu filho. Depois, a polícia que aja de maneira que ela achar que deva agir. A polícia vai dizer ao senhor que será capaz de nos identificar e de nos prender e é mentira, isso não vai acontecer, pois nós não deixamos pistas. E eu já lhe disse que o nosso insucesso acarretará na morte do seu filho.

Eles pedirão tempo para juntar evidências, pedirão tempo para se organizar e que têm algo, sem realmente ter. Não confie neles para nada, não confie neles sequer para dizer que já está com o dinheiro pra nos pagar. Pois os mesmos serão capazes de armar um meio e simular um assalto, de tentar lhe roubar. E, atenção, o senhor só terá no máximo dez dias para o pagamento. Eu disse no máximo dez dias. Lembre-se que quanto mais breve, melhor. É a vida do seu filho que está em jogo. A decisão de manter seu filho vivo e nos pagar é sua. Sendo assim, o senhor deverá juntar a quantia específica de R$ 500 mil em cédulas não marcadas, ou em série, e em notas de R$ 100 e de R$ 50. O senhor vai colocá-las em uma mochila a seu critério. Essa mochila não deve ser monitorada de forma alguma, ela não deve conter rastreadores, porque nós estamos preparados tecnologicamente para detectar esse tipo de equipamento.

Não disperse, seu Jurandir. Esse tipo de procedimento, esse tipo de atitude idiota vai nos fazer punir seu filho e nós não teremos pudor algum em executar essa punição, porém, estando o senhor pronto para nos pagar com o dinheiro em posse e com a disponibilidade para efetuar o pagamento a qualquer momento e ainda sem o envolvimento da polícia, o senhor deverá expor na fachada de sua loja em Imperatriz uma faixa branca com letras vermelhas escrito o seguinte: “Promoção. Margarina com 20% de desconto”. Entenda bem, uma faixa branca com letras vermelhas escrito “Margarina com 20% de desconto”. Esse será o sinal em que nós identificaremos que o senhor está pronto – eu disse pronto para nos pagar.

Siga criteriosamente nossas instruções e lhe devolveremos o seu filho ileso. Tente dar uma de esperto, e nunca mais terá seu sossego e seu filho de volta. Quando formos informados, pelo senhor, que o senhor irá nos pagar, o senhor receberá novas instruções como deverá proceder. No entanto, já lhe informamos: leve consigo dois seguranças de sua total confiança para que não haja nenhuma atitude que leve ao senhor não chegar com o dinheiro até nós. Esse segurança vai proteger o senhor e seu dinheiro, porque ele ainda é seu, o senhor ainda não nos entregou. O senhor também receberá, durante o processo de pagamento, um outro cartão de memória com um vídeo provando que seu filho está vivo e que o senhor irá revê-lo em breve. Correndo tudo exatamente como informado, o senhor encontrará, em até 24h, seu filho são e salvo. Precisamos deste prazo para podermos conferir e verificar o dinheiro que o senhor nos entregou.

Leve consigo um equipamento que possa ler o cartão de memória, recomendo um notebook. Temos a total convicção que o seu potencial financeiro nos permitia pedir até um valor mais alto, R$ 1 milhão ou R$ 2 milhões, mas não somos ambiciosos, somos profissionais e nosso profissionalismo nos dá certeza que R$ 500 mil é fácil para o senhor nos pagar.

Senhor Jurandir, preciso enfatizar algumas situações que o senhor possa ter a burrice de ocasioná-las. Primeiro, o não cumprimento do prazo máximo de dez dias. O senhor pode ser instruído pela polícia em tentar ganhar tempo, daí o seu filho será punido. O seu filho está sendo mantido sedado por nós e nós não temos pressa, como não temos trabalho nenhum. A pressa é toda sua. E se o senhor não cumprir o prazo, nós suspenderemos a alimentação do seu filho, daí o senhor pergunte a esses especialistas quanto tempo uma criança de cinco anos consegue sobreviver sem comer ou sem beber. E se ocorrer o falecimento do garoto por falta de alimento, nós lhe informaremos e daremos ao senhor mais cinco dias, para que nos pague a metade do valor que nós solicitamos pelo cadáver congelado do seu filho. Se o senhor se abster e não nos pagar, nós incineraremos o cadáver. Aí o senhor durma tranquilo e feliz com seu dinheiro.

Outra situação que seria a de o senhor colocar a faixa nos informando que está disposto a pagar, porém não estivesse pronto para o pagamento e frustrasse o processo, o andamento do processo de pagamento, isso será entendido por nós como uma autorização para deixarmos de ser educados e começarmos a mutilar e lhe enviar pedaços do seu filho. Seu Jurandir, imagine que seu filho tem uma doença e que o tratamento para essa doença custa apenas R$ 500 mil. Agora pergunte a sua esposa, vocês pagariam esse tratamento? Pois bem, ele está doente e o seu dinheiro é a cura.

Nos pague e terá seu filho de volta. Tome qualquer atitude diferente e o senhor servirá de exemplo para outras pessoas. Aguardamos o seu posicionamento sem burrices. Para nós, isso é apenas um negócio, um negócio onde o senhor tem o que nos queremos e nós temos o que o senhor quer. Então façamos cada um a nossa parte para fecharmos esse negócio com sucesso para ambos. Preste muita atenção nessa gravação, escute-a novamente quantas vezes for necessário e faça o que lhe pedimos.” (G1)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Maranhão

Conselho Universitário da UEMASUL aprova o Regimento do Congresso Estatuinte

Publicado

em

A Resolução que aprova o Regimento do Congresso Estatuinte da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL) foi aprovada durante a 23ª reunião Ordinária, realizada na última quarta-feira (13), por meio de videoconferência. O Congresso Estatuinte será instalado no dia 08 de dezembro de 2021, por meio de convocação da Reitora Elizabeth Nunes Fernandes, e terá um prazo máximo de três dias para votação das propostas discutidas nas Comissões Setoriais. Desde sua criação, em 03 de novembro de 2016, por previsão legal, até a elaboração e aprovação de Estatuto próprio, a UEMASUL é regida pelo Estatuto da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA).

A Estatuinte é um processo de elaboração do Estatuto, principal documento normativo de uma Instituição, que regulamenta e organiza sua estrutura e funcionamento. O processo de elaboração da Estatuinte ocorre de forma consultiva e deliberativa, e tem como objetivo a elaboração de uma proposta para o estatuto da Universidade, com a definição dos princípios e das finalidades, o detalhamento da estrutura, da administração, do funcionamento e das atividades, considerando os direitos e as obrigações dos seus membros, sendo uma construção coletiva e democrática da comunidade acadêmica (docentes, discentes e servidores técnicos-administrativos), além da comunidade externa. 

Os trabalhos de elaboração das propostas estão sendo realizados por oito Comissões Setoriais, formadas por representantes de todos os seguimentos da universidade e coordenadas pela Comissão Geral, por meio de debates com a comunidade acadêmica, audiências públicas e discussões. Após o encerramento dos trabalhos nas Comissões Setoriais, todas as propostas serão encaminhadas como sugestões para a elaboração da minuta do Estatuto, enviada para discussão durante o Congresso Estatuinte, que será realizado no dia 08 de dezembro.

A Pró-reitora de Planejamento de Administração e Presidente da Comissão Geral, professora Sheila Elke Araújo Nunes, falou sobre esse momento extremamente importante para a universidade. “O processo estatuinte é a oportunidade essencial da construção democrática da UEMASUL que queremos. Participar desta construção é fazer parte da história e da transformação da nossa universidade. A construção deste documento norteador, com a participação efetiva da comunidade acadêmica, faz parte do processo de amadurecimento institucional e representa um grande passo para a concretização da UEMASUL como instituição de ensino superior”.

O Congresso Estatuinte é a instância superior do processo de elaboração da proposta de minuta para a criação do primeiro estatuto da UEMASUL. Após a realização do Congresso, será realizada a sistematização da minuta do Estatuto pela Comissão Geral e, na sequência, será encaminhada para discussão e aprovação pelo Conselho Universitário.  

Continue lendo

Maranhão

CAROLINA: Escolas municipais desobedecem normas de acessibilidade

Publicado

em

O Ministério Público do Maranhão propôs uma Ação Civil Pública contra o Município de Carolina por falta de acessibilidade nas escolas. A ACP foi assinada nesta quinta-feira, 14 de outubro, pelo titular da Promotoria de Justiça de Carolina, Marco Túlio Lopes.

Tramita na Promotoria de Justiça um procedimento de 2016 que investiga a ausência de acessibilidade nas escolas municipais. A partir do procedimento, identificou-se a omissão por parte do Município em relação às adaptações nas escolas para atender minimamente às normas de acessibilidade.

O promotor de justiça de Carolina acionou judicialmente o Município por omissão do Poder Executivo. O representante do Ministério Público lista, na ACP, os 20 ofícios e a Recomendação enviada ao agente administrativo, pedindo medidas para sanar o problema, mas sem resposta.


“Há 10 anos o Ministério Público vem tentando fazer com que o Município tome providências para sanar o déficit com as questões de acessibilidade. No entanto, não há respostas da administração. Desde julho de 2011 o MP vem cobrando providências de forma administrativa, mas nenhuma ação foi tomada, sendo necessário recorrer à via judicial para garantir um direito amparado pela legislação”, relata o representante ministerial, Marco Túlio Lopes.

DOS PEDIDOS

O MPMA requer que a Justiça obrigue o Município a apresentar, no prazo de 120 dias, projeto completo e cronograma de imediata adequação/adaptação arquitetônica físico–estrutural, tais como banheiros, rampas, corredores e móveis de todos os prédios e imóveis que ofertam serviços públicos sob a responsabilidade do Município de Carolina, especialmente de todas as escolas da zona urbana e rural.

O pedido inclui também a listagem dos imóveis, localidade, diagnóstico da situação atual, projeto de adequação, cronograma de execução das adequações, além das situações emergenciais, como o das escolas onde há estudantes com deficiência matriculados.

Um plano urgente e prioritário das medidas a serem implementadas deve ser apresentado, permitindo que todos esses prédios e imóveis disponham de acessibilidade suficiente para o ingresso, tráfego, permanência e usufruto de todos os recintos e instalações prediais por parte de pessoas com quaisquer deficiências, especialmente cadeirantes, respeitando totalmente a legislação brasileira aplicável. As obras devem ser iniciadas após 120 dias e concluídas no prazo de dois anos.

A ação pede, também, que o Município disponha de profissional intérprete de Libras necessário à oferta e ao acompanhamento de educação integral aos alunos com deficiência, especialmente auditiva, bem como adaptações razoáveis e fornecimento de tecnologias aos alunos que necessitarem, tanto na zona urbana quanto na zona rural.

O Ministério Público pede concessão de tutela de urgência, com multa diária e pessoal ao prefeito de R$10 mil por descumprimento de liminar e bloqueio de verbas públicas no valor de R$500 mil como medida para forçar o cumprimento da obrigação de fazer. (Iane Carolina)

Continue lendo

Maranhão

ITINGA: Ação policial resulta na prisão de duas pessoas por tráfico de drogas

Publicado

em

Uma operação da Polícia Civil do Maranhão em parceria com a Polícia Militar realizada nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira(18), resultou nas prisões em flagrante de duas pessoas pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e posse de arma de fogo na cidade de Itinga do Maranhão.

O alvo da operação foi uma residência no bairro Morro da Pipira, onde segundo a Polícia Civil, havia fortes suspeitas do cometimento do crime de tráfico de drogas. Ao dar cumprimento no mandado de busca e apreensão , foi constatada a prática do crime de tráfico de entorpecentes sendo apreendida grande quantidade de substância semelhante à cocaína, crack e maconha como também apetrechos para acondicionamento da droga. Além disso, os investigadores ainda localizaram um revólver cal. 38 e munições do mesmo calibre sendo que uma estava deflagrada.

Segundo o que já foi apurado pela Polícia Civil, os infratores já possuem passagem pelo sistema penitenciário pelo crime de tráfico de drogas. A dupla foi conduzida à Delegacia de Polícia Civil de Itinga para prestar mais esclarecimentos.

As prisões foram frutos de um trabalho policial entre à 10ª Delegacia Regional de Imperatriz com o seu Grupo de Pronto Emprego (GPE), da 9ª Delegacia Regional de Açailândia e Serviço de Inteligência da Polícia Militar do 26° BPM.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze