Connect with us

Pará

Abatido sem dar conta de governar Marabá-PA, João Salame quer apenas terminar o mandato

Publicado

em

f_Salame1 Numa entrevista coletiva a semana passada, em que a maior parte do tempo passou olhando para trás de seu governo e avaliando o que deu errado, o prefeito João Salame Neto vislumbrou um cenário nada confortável para quem ganhar a eleição e assumir a Prefeitura de Marabá a partir de 1º de janeiro de 2017. Um pouco abatido por não ter tido condições de se candidatar, com voz menos animadora que no passado, Salame garantiu que vai usar o tempo que lhe resta na cadeira mais emblemática da cidade (quatro meses e meio) para atuar muito mais como gestor austero do que como político. Para isso, disse que já demitiu dezenas de comissionados (não deu número exato) e que não descarta chegar a cerca de 400 servidores dessa categoria. Afirmou que fechou as portas das secretarias de Turismo, Ações Comunitárias e ainda determinou a paralisação total de obras que estão sendo executadas com recursos próprios. “Só vamos tocar, até o final do ano, as obras que estão sendo executadas com recursos federais e de convênios”, ressaltou. Salame disse que seu afastamento do cargo por 90 dias foi determinante para não concorrer, somado ao fato de que seu nome estava – de certa forma – desgastado junto à opinião pública, “como se tivesse cometido algum ato ilegal, quando na verdade isso não aconteceu”, garantiu. O prefeito culpa a falta de continuidade de várias obras à queda de receita como desdobramento da crise que se abate sobre o País. Foi por isso, segundo ele, que tomou a decisão de pagar apenas os salários líquidos, manutenção de hospitais e escolas e ter deixado de repassar valores devidos ao Ipasemar. “Por mais que a gente tenha investido 38% da receita corrente líquida na educação, muito menos do que a lei preconiza, mas nem isso foi suficiente e gerou um déficit na educação”. Pior do que antes? João Salame disse que agora, ao retornar à Prefeitura, o quadro que encontrou foi pior do que o que deixou, embora não tenha atribuído diretamente a culpa ao seu vice, Luiz Carlos Pies. Disse que tem uma folha de R$ 32.834.701,86, mas só encontrou R$ 2.678.250,84 nas contas do município. “Ou seja, novamente me deparo com um cenário desfavorável, daí as medidas severas adotadas neste momento novamente com o objetivo de garantir que o servidor não seja lesado em seus direitos”. O prefeito disse que ontem mesmo reuniu-se com os sindicatos para estabelecer um planejamento de pagamento dos salários e que vai fazer esforço para equacionar o problema da Folha de Pagamento, sobretudo dos concursados, afirmando que os comissionados que restarem só receberão depois que todos os demais tiverem com salários pagos. “Vamos economizar, paralisar todas as atividades, a não ser aquelas absolutamente essenciais”. O gestor disse que o maior dilema na Prefeitura de Marabá é o inchaço da Folha de Pagamento e um vespeiro chamado PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração), que precisa ser revisto. Questionado pela Reportagem do CORREIO sobre o que fará a partir de 1º de janeiro de 2017, já que estará fora do cargo de prefeito, Salame disse que já recebeu alguns convites para atuar tanto no setor público quanto no privado, mas que só vai analisar as propostas depois que deixar a Prefeitura de Marabá, no final deste ano. Prefeito tenta amenizar fogo cruzado com vice Sem demonstrar rancor, Salame disse que vai analisar um TAC (Termo de Ajuste de Conduta) assinado pelo vice-prefeito Luiz Carlos com o Ministério Público para atender o Hospital Municipal, pretende reunir com o MP para avaliar o que é possível avançar. “CAPS, CRISMU e UPA são nossa intenção concluir até o final do mandato”, afirmou. Reafirmou que assinou instalação de duas comissões de sindicância com prazo de 30 dias para trabalhar, sendo uma para apurar denúncias relacionadas à Secretaria de Saúde e outra para a Secretaria de Educação, ambas formuladas pelo vice-prefeito Luiz Carlos, que será o primeiro a ser chamado a depor. “Vamos apurar essas denúncias e dar espaço ao contraditório para saber se elas são verdadeiras e responsabilizar quem tiver culpa, se houver”. Segundo o prefeito, mesmo afastado ele não tentou atrapalhar a gestão de Luiz Carlos à frente da Prefeitura. Pelo contrário, ainda atuou liberação de recursos no valor de R$ 6 milhões que estavam bloqueados pela Justiça. “Em nenhum momento fiz avaliação do trabalho dele. Disse em uma entrevista ao CORREIO que a mim competia apenas me defender na Justiça. Deixa ele tomar as medidas administrativas que ele julgar necessárias”. Garantiu que não haverá caça ás bruxas, embora tenha demitido meio mundo de pessoas ligadas ao PT que ocupavam cargos comissionados. Salame disse que pretende retomar o diálogo com servidores, melhorar a limpeza da cidade e pretende recompor a mesa de negociação com servidores. Sobre as postagens recentes do vice-prefeito Luiz Carlos Pies, que após deixar o cargo de prefeito interino afirmou que Salame pegou a Prefeitura com R$ 75 milhões em dívida e foi afastado com um rombo de R$ 150 milhões, João disse que lamenta as declarações de seu vice e disse que nunca foi desleal a ele ou ao PT, tendo apoiado a candidatura do filho de Pies (Dirceu ten Caten) para deputado estadual. “A dívida não era de apenas R$ 75 milhões, era muito maior”, afirmou. (Correio Tocantins)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

PARAUAPEBAS: Pequenas empresas já podem acessar link para pedir crédito especial ao Banco do Povo

Publicado

em

As pequenas empresas, associações e cooperativas de serviço e de trabalho de Parauapebas já podem solicitar empréstimo especial ao Banco do Povo, no valor de até R$ 10 mil, a partir desta segunda-feira, 19.

Basta acessar o site da prefeitura no endereço parauapebas.pa.gov.br e clicar no banner de cadastro do Banco do Povo.

O cadastro ficará disponível pela prefeitura até o valor total dos pedidos alcançar R$ 10 milhões.

Conforme o Decreto Municipal nº 1.189/21, publicado na última sexta-feira, 17, para ter direito ao benefício as empresas devem estar instaladas há pelo menos um ano em Parauapebas. Já as associações e cooperativas precisam comprovar que estão em atividade há mais de seis meses no município e que têm pelo menos 70% do quadro social composto de micro e pequenos empresários.

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: Campanha de doação de sangue tem resultados positivos

Publicado

em

No último final de semana, 17 e 18 (sábado e domingo), foi realizada a campanha de doação de sangue, com tema: “Em tempos de pandemia, distribua amor, doe sangue”.

A campanha foi destinada aos doadores com fator Rh tipo “O” por ser o mais escasso durante esse período de pandemia da covid-19, que levou à queda no número de doações de sangue. Por essa razão, diversos hemocentros operam em estado crítico. Diversas medidas foram adotadas para diminuir o risco de contágio pelo coronavírus, todos os voluntários foram previamente agendados, dessa forma evitando aglomerações.

A campanha foi promovida no município pela Prefeitura Municipal de Parauapebas, através da Secretaria Municipal da Saúde (Semsa), em parceria com o Hemocentro de Marabá.

De acordo com a organizadora da campanha no município, Aline Ferreira, Coordenadora da Agência Transfusional de Parauapebas, as doações foram bem significativas. “Conseguimos coletar 175 bolsas de sangue durante o fim de semana, ultrapassamos a meta que estava proposta para 160 bolsas. Esse número é muito importante, pois nos estimula a trabalhar ainda mais e criar novas campanhas no município”, comemora.

Segundo o secretário de saúde, Gilberto Laranjeiras, mesmo em período de pandemia as doações não podem parar. “Em tempos de pandemia os bancos de sangue estão sendo monitorados e já apresentam uma diminuição nos estoques de bolsas. O Ministério da Saúde orienta que as doações não devem parar. Segundo a Colsan (Associação Beneficente de Coleta de Sangue), os postos de coleta de sangue já tiveram uma queda de 30%, e com esta preocupação organizamos está campanha seguindo todas as orientações da OMS (Organização Mundial de Saúde), para garantir segurança de quem gentilmente doou sangue nesse final de semana. Quero agradecer a parceria dos munícipes da nossa cidade que com a ajuda deles ultrapassamos a meta de doações”.

Entenda um pouco mais sobre a doação de sangue

Doação de sangue é o processo pelo qual um doador voluntário tem seu sangue coletado para armazenamento em um banco de sangue ou hemocentro para uso subsequente em transfusões de sangue.

O sangue é um composto de células que cumprem funções como levar oxigênio a cada parte do nosso corpo, defender nosso organismo contra infecções e participar na coagulação. Não existe nada que substitua o sangue.

A quantidade de sangue retirada não afeta a sua saúde porque a recuperação é imediata após a doação. Uma pessoa adulta tem em média cinco litros de sangue e em uma doação são coletados no máximo 450 ml de sangue. É pouco para você e muito para quem precisa! Você passará por uma entrevista que tem o objetivo de dar maior segurança para você e aos pacientes que receberão o seu sangue. Seja sincero ao responder as perguntas!

Todo sangue doado é separado em diferentes componentes (hemácias, plaquetas e plasma) e assim poderá beneficiar mais de um paciente com apenas uma unidade coletada. Os componentes são distribuídos para os hospitais para atender aos casos de emergência e aos pacientes internados.

“Não existe nada que substitua o sangue. A doação é um ato de solidariedade que ajuda a salvar vidas. Por isso, seja um doador frequente. Essa corrente precisa de você”, enfatiza o Secretário adjunto de saúde, Paulo Vilarinhos. (Nívea Lima / Foto: Renato Resende)

Continue lendo

Pará

PARAUAPEBAS: Defesa Civil alerta para chuvas nas próximas 24 horas

Publicado

em

A  Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) segue monitorando as áreas de risco e com atenção redobrada devido às chuvas que ocorrem em Parauapebas desde a madrugada desta segunda-feira,19.

Um aviso meteorológico moderado foi emitido pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemadem) com previsão de chuva para as próximas 24 horas.

Ainda na madrugada, a Defesa Civil emitiu um alerta para a população informando sobre risco de desastres nas  áreas monitoradas e atendeu chamados de residências afetadas por enxurradas.

Um deslizamento foi registrado no bairro Nova Vida e equipes do setor de monitoramento da Defesa Civil estiveram no local durante a manhã. “Estamos acompanhando o local e avaliando as possibilidades de novos deslizamentos, além de prestar atendimento à família que foi atingida”, explica Jailson Souza, gestor da Comdec.

 A Defesa Civil recomenda que as famílias, que moram em áreas de risco, busquem abrigos seguros e, em caso de necessidade, liguem para o 199 para comunicar situações de risco ou emergência. (Édila Nunes / Fotos: Elienai Araújo)

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze