Connect with us

Tocantins

ACIPA divulga pesquisa IBOPE para governador e senador do TO em 2018

Publicado

em

O levantamento do Ibope, encomendado pela Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa), realizado entre os dias 28 e 31 de julho de 2017, mediu os índices de intenção de voto para as eleições de 2018. O levantamento que ouviu 812 eleitores, possui o nível de confiança de 95%.

Segundo o presidente da Acipa, empresário Thiago Rosa, a intenção da entidade é acompanhar de perto a movimentação para as eleições de 2018. “ E buscar uma alternativa que represente a classe empresarial e industrial de todo o Estado, porque sabemos a importância de um gestor que tem como prioridade o setor. A Acipa planeja realizar outras em conjunto com outras entidades”, afirma.

A pesquisa testou dois possíveis cenários políticos para o Governo do Estado, uma vez que ainda não existe definição formal sobre as candidaturas.

No primeiro cenário, com abordagem induzida, onde se apresentou uma lista com nomes de políticos tocantinenses, Katia Abreu (PMDB) aparece em vantagem numérica com 27% das menções, enquanto Carlos Amastha (PSB) obtém 23%. Considerando a margem de erro da pesquisa, que é de 3 pontos percentuais, os dois estão tecnicamente empatados na liderança. Em outro patamar, estão Vicentinho Alves (PR) com 13% das citações, Ataídes Oliveira (PSDB) e Mauro Carlesse (PHS) com 5% cada. Os votos brancos e nulos somam 18% e os indecisos representam 8% da amostra.

Pergunta: Se a eleição para Governador do Tocantins fosse hoje e os candidatos fossem estes, em quem o(a) sr(a) votaria?

Kátia Abreu: 27%
Amastha: 23%
Vicentinho Alves: 13%
Ataídes Oliveira: 5%
Mauro Carlesse: 5%
Branco / Nulo: 18%
Não sabe / não respondeu: 8%

No segundo cenário testado, no qual a senadora Kátia Abreu é substituída pelo atual governador de Tocantins Marcelo Miranda (PMDB), Carlos Amastha assume a liderança com 26% das intenções de voto. Em segundo lugar aparecem empatados tecnicamente Vicentinho Alves com 17% e o governador Marcelo Miranda, apesar não ter manifestado se tentará reeleição, aparece com 15% das menções.

Em outro patamar, Ataídes Oliveira e Mauro Carlesse apresentam 6% das intenções de voto cada. O percentual de eleitores que declaram a intenção de votar em branco ou anular o voto para governador é de 20%, enquanto 10% dos eleitores declaram-se indecisos.

Pergunta: E se a eleição para Governador do Tocantins fosse hoje e os candidatos fossem estes, em quem o(a) sr(a) votaria?

Amastha: 26%
Vicentinho Alves: 17%
Marcelo Miranda: 15%
Ataídes Oliveira: 6%
Mauro Carlesse: 6%
Branco / Nulo: 20%
Não sabe / não respondeu: 10%

Os eleitores quando questionados sobre intenção espontânea para Governador sem indicação de nomes, o resultado é o seguinte:

Amastha 9%
Marcelo Miranda 6%
Katia Abreu 5%
Vicentinho Alves 2%
Mauro Carlesse 1%
Ronaldo Dimas 1%
Outros com menos de 1%, 2%
Branco ou nulo 18%
Não sabem ou referem não opinar 56%

SENADOR

O IBOPE Inteligência testou também um possível cenário político para o Senado, já que neste momento não há nomes formalmente oficializados para o cargo. Para os dois cargos de senador pelo Estado do Tocantins em disputa na próxima eleição, somando-se as duas menções, o candidato Amastha (PSB) lidera com 27% das intenções de voto.
Se a eleição fosse neste momento, não seria possível apontar quem ocuparia a segunda vaga, pois a diferença entre os candidatos está dentro da margem de erro de 3 pontos percentuais.

Irajá Abreu (PSD) e Vicentinho Alves (PR) têm 18% das menções cada, Siqueira Campos (atualmente sem partido) aparece com 17%, Marcelo Miranda (PMDB) e Moisés Avelino (PMDB) com 16% cada, Eduardo Gomes (SD) é citado por 14%, Cesar Halum (PRB) por 13%, seguidos por Ataíde Oliveira (PSDB) e Mauro Carlesse (PHS), ambos apresentando 9% das citações.

Aqueles que citam apenas um candidato totalizam 8%, 11% têm intenção de votar em branco ou anular o voto e os indecisos somam 5% dos eleitores.

Pergunta: Lembrando que neste ano, o Tocantins elegerá dois senadores, se a eleição para Senador pelo Tocantins fosse hoje e os candidatos fossem estes, em quem o(a) sr(a) votaria? (1º + 2º lugares).

Amastha: 27%
Irajá Abreu: 18%
Vicentinho: 18%
Siqueira Campos: 17%
Marcelo Miranda: 16%
Moisés Avelino: 16%
Eduardo Gomes: 14%
Cesar Halum: 13%
Ataídes Oliveira: 9%
Mauro Carlesse: 9%
Citou apenas 1 candidato: 8%
Banco nulo: 11%
Não sabe / não respondeu: 5%

Neste outro cenário, é abordado a intenção de voto espontânea para Senador (somando-se as duas menções):

Vicentinho Alves 6%
Siqueira Campos 5%
Irajá Abreu 4%
Marcelo Miranda 4%
Amastha 3%
Katia Abreu 3%
Ataídes Oliveira 2%
Cesar Halum 2%
Eduardo Gomes 2%
Mauro Carlesse 2%
Moisés Avelino 1%
Gaguin 1%
Outros com menos de 1%, 4%
Branco ou nulo 16%
Não sabem ou preferem não opinar 60%

MÉTODO

A pesquisa foi realizada entre os dias 28 e 31 de julho de 2017. Com uma amostra de 812 eleitores tocantinenses. A margem de erro estimada é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral. (Com informações da Agência Metrópole Comunica)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

ARAGUAÍNA: Dimas vistoria obra no prédio da UPA Vila Norte para instalação de UTI

Publicado

em

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, acompanhou nesta manhã de quinta-feira, 2, a obra de manutenção realizada no prédio da UPA Vila Norte. O local está sendo restaurado para a instalação de um hospital de campanha para pacientes com sintomas moderados do novo coronavírus (covid-19). A edificação foi construída na gestão passada, sem planejamento orçamentário, para ser uma unidade de pronto atendimento.
 
“Vamos deixar tudo preparado para, caso o Governo do Estado identifique a necessidade de funcionamento, implantarmos. É claro que essa decisão deve ser breve, porque precisamos fazer o treinamento das equipes”, afirmou Dimas.
 
Conforme orientação do ministro da Saúde, Henrique Mandetta, as ações devem coordenadas pelos governos estaduais para serem mais efetivas. A observação está no documento enviado pelo Município ao governador nessa quarta-feira, 1.
 
O local tem várias salas com encanamento de ar comprimido, sendo 17 pontos onde podem ser acomodados os pacientes. Além da limpeza do chão, paredes e teto, o prédio receberá também pintura nova e troca de itens danificados.
 
“Caso não seja necessário o hospital de campanha, vamos usar o local como uma Unidade Básica de Saúde (UBS), já que temos equipes preparadas, como do Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF)”, explicou o prefeito.
 
Nas unidades hospitalares
No Hospital Municipal de Araguaína, dois leitos com respiradores estão preparados, com a possibilidade de ampliação de mais um. O atendimento do hospital é para crianças, mas há possibilidade do recebimento de adultos, excepcionalmente neste período de pandemia.
 
No Hospital Dom Orione está em andamento a implantação de 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), cujo recurso suficiente para operação, por aproximadamente três meses, vem de emenda parlamentar do deputado federal Tiago Dimas. Já na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Araguaína utilizada para estabilização, existe um leito com respirador preparado, destinado somente à estabilização e posterior encaminhamento do paciente.
 
Ações municipais
Ainda que aguarde uma orientação estadual, a Prefeitura se movimenta para contenção do novo coronavírus desde o último dia 13, com várias medidas de saúde e assistenciais. Uma das novas medidas anunciadas durante a reunião é a organização para contar com o apoio da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, de Marabá (PA), nas ações de orientações e fiscalização aos moradores e comércios de Araguaína. (Marcelo Martin/Fotos: Marcos Sandes)

Continue lendo

Tocantins

Justiça manda suspender decretos em Araguaína e Porto flexibilizam ações contra coronavírus

Publicado

em

A Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO) obteve decisão favorável com a suspensão de decretos municipais que permitiam a reabertura do comércio local nas cidades de Araguaína e Porto Nacional. Neste contexto, volta a valer o primeiro decreto que ambas as prefeituras publicaram, que previa que apenas serviços essenciais devem permanecer em funcionamento durante o período de pandemia do novo coronavírus (Covid-19) no País.

Para a Defensoria Pública, a autorização para funcionamento do comércio nestes municípios representa estímulo à circulação de pessoas, o que facilita o contágio e contraria as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde. Ambas as decisões foram proferidas nesta quinta-feira, 2, e acolhem o pedido da DPE-TO sobre a necessidade de que sejam observadas medidas com vistas a fomentar o isolamento social como importante medida preventiva.

Araguaína

Com a suspensão do decreto nº 214/2020, de flexibilização das medidas de prevenção ao coronavírus (Covid-19), a Prefeitura de Araguaína tem 24h para adotar providências, conforme decisão expedida nesta quinta-feira, 2, pelo o juízo da 1ª Vara da Fazenda e Registros Públicos de Araguaína, no âmbito de Ação Civil Pública (ACP) ajuizada pelo Núcleo Aplicado de Minorias e Ações Coletivas (Nuamac) da DPE-TO, em Araguaína.

A Defensoria Pública, por meio do Nuamac Araguaína, recorreu à Justiça, no último dia 27, para que fossem garantidas as medidas de prevenção no município e, com isso, evitadas a aglomeração e o fluxo de pessoas, visto que o gestor municipal editou um decreto dia 26 de março alterando o decreto anterior, de 23 de março, nº 208/2020.

“Com apenas três dias de restrição social, após pronunciamento do presidente da República e o clamor do setor empresarial e laboral pela flexibilização do funcionamento das atividades econômicas, foi editado o novo decreto para flexibilizar praticamente todo o comércio de Araguaína”, considerou o defensor público Pablo Mendonça Chaer, que coordena o Nuamac Araguaína.

O Defensor Público considera a situação mundial para a medida. “Por mais que haja controvérsias sobre as medidas em uma municipalidade ou outra, a Organização Mundial de Saúde (OMS) e toda comunidade científica, é unânime que para evitar o colapso do sistema de saúde, o isolamento total das atividades não-essenciais seria o mais prudente, evitando o contágio pelo vírus”, ressaltou Pablo Chaer.  

O autor da ação destaca que o objetivo é evitar a propagação do novo coronavírus, que já acometeu três vítimas na cidade. A medida evita a contaminação dos prestadores de serviço e dos consumidores ao circular pelo comércio.

“O número de casos suspeitos gira em torno de 170, segundo a própria Secretária de Saúde. O sistema de saúde da cidade não comporta atualmente o número de casos suspeitos, uma vez que não há, desde o presente momento, respiradores suficientes para a porcentagem de casos graves provenientes do Covid-19”, afirmou Chaer. 

Recursos

Para o Defensor Público, o único objetivo da ação é preservar vidas, e por isto outras medidas importantes reforçarão o plano de contingência ao coronavírus. A DPE-TO, que integra um Grupo Interinstitucional de Enfrentamento da Crise do Covid-19 com o Ministério Público Estadual, Ministério Público do Trabalho, Ministério Público Federal, destinou verbas indenizatórias da Justiça do Trabalho para combate à epidemia. 

O grupo destinou mais de quatro mil reais para aquisição de EPI que foram repassados à Prefeitura de Araguaína, no último dia 26, para dar segurança aos trabalhadores de saúde e possibilidades de melhor tratamento aos pacientes. Também um recurso de R$ 29 mil foi destinado para adquirir dois Monitores Modulares Multiparamétricos para o Hospital Regional de Araguaína, unidade que é referência de média e alta complexidade de saúde pública na região norte do Estado.

Também há uma decisão liminar de ACP, ajuizada pela DPE-TO, que determina que o Estado abasteça o HRA com insumos, em quantidade suficiente para dois meses, e bens duráveis, em quantidade considerada razoável pela unidade de saúde. Na sexta-feira, 27, a Diretoria do HRA atualizou, no âmbito da ACP, os materiais necessários. Foram listadas cerca de 60 mil unidades de luvas cirúrgicas e de procedimentos, e ainda cadeiras de banho; biombos; papagaios; suporte para soro; termômetros; macas; colchões; cadeiras de macarrão; cadeiras de rodas; aparelhos para aferir a pressão; escadas para maca; 40 camas elétricas para unidades de UTI, sala amarela, entre outros; e cilindro de oxigênio, incluindo 11 monitores.  

Porto Nacional

Na decisão referente ao pedido de Porto Nacional, para suspender o decreto municipal de nº 153/2020, a Justiça considerou a explanação da DPE-TO que afirma que o Município não tem condições de suportar os danos advindos de uma disseminação agravada do novo coronavírus (Covid-19).

O Hospital Regional de Porto Nacional é referência no atendimento da Saúde na região (atende ao menos outros 12 municípios, dentre eles Natividade e Ponte Alta do Tocantins), e conta com apenas uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e um Hospital Regional sem leito de UTI. “Porto Nacional não tem sistema de saúde capaz de atender a contaminação de sua população, não tem leitos de UTI, precisa encaminhar as pessoas em estado de saúde grave para a Capital e não comprovou a existência da quantidade necessária de equipamentos para a proteção de contágio”, frisou a Decisão.

A Ação Civil Pública foi proposta na terça-feira, 31, e é assinada pela defensora pública Kênia Martins Pimenta Fernandes, em uma atuação conjunta com os defensores públicos Denize Souza Leite, Isabella Faustino Alves e Marcello Tomaz de Souza. (Cinthia Abreu e Keliane Vale)

Continue lendo

Tocantins

ARAGUAÍA: Após reunião e 3º caso confirmado, medidas restritivas serão mantidas com apoio do Exército

Publicado

em

O prefeito de Araguaína, Ronaldo Dimas, recebeu na terça-feira, 31, 22 representantes de instituições de vários segmentos no ginásio esportivo da Escola Domingos de Sousa Lemos. A oportunidade foi usada para entendimento da atual situação econômica e de saúde, discutir os rumos das medidas contra a covid-19 e também somar esforços. No final desta tarde, a Saúde Municipal diagnosticou o terceiro caso de infecção da covid-19, por meio dos testes rápidos adquiridos pelo Município.
 
Após seis horas de reunião com pronunciamento todos os convidados que compareceram, ficou decidido que as medidas tomadas por meio de decretos municipais serão mantidas até melhor entendimento e adaptação da estrutura hospitalar para conter a doença na região. “As ações que tomarmos aqui se estiverem descoordenadas do restante, no mínimo da regional de saúde, provavelmente não dará os resultados que queremos”, afirmou Dimas
 
O prefeito também diz esperar a coordenação do Governo do Estado, como orientou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante seu último pronunciamento público. “Se o Governo estadual não tomar nenhuma medida ou permanecer omisso, como tem sido com essas questões até agora, aí sim eu vou convidar os prefeitos da região para juntos alinharmos uma decisão”.
 
Correndo atrás
Ainda que aguarde uma orientação estadual, a Prefeitura se movimenta para contenção do novo coronavírus desde o último dia 13, com várias medidas de saúde e assistenciais. Um dos novos anúncios é a organização para contar com o apoio da 23ª Brigada de Infantaria de Selva, de Marabá (PA), nas ações de orientações e fiscalização aos moradores e comércios de Araguaína.
 
Outro conhecimento que a reunião trouxe foi a capacidade de atendimento médico para contágios da covid-19. Em breve, estarão preparados 33 leitos nas unidades hospitalares para receberem casos moderados. Já os casos graves, o Ministério da Saúde preconizou que devem ser enviados para capital Palmas.
 
Mais exames
Ainda foi anunciado pelo representante da Universidade Federal do Tocantins (UFT) que a instituição de ensino receberá um laboratório para realizar até 80 exame diários de Proteína C Reativa (PCR) para o vírus sars-cov-2, causador da doença covid-19.
 
Capital econômica e solidária
A presidente da Associação Comercial e Industrial de Araguaína (Aciara), Hélida Dantas, apresentou uma pesquisa feita com 314 associados que apontou queda de 50% no faturamento para maioria, mas também manutenção de todos empregados em 72%. “Nós temos um compromisso social e esperamos funcionar, ao menos minimamente, até que tenhamos um entendimento melhor”, afirmou.
 
Diálogo com a Justiça
O promotor do Ministério Público Estadual (MPE) da Saúde Leonardo Blanck elogiou as ações integradas promovidas pela Prefeitura. “Nós tivemos aquela reunião na segunda-feira e achei extremamente produtiva, eu percebi no Decreto 208 a mão de cada representante que estava lá. Foi nítido que muitos fomos com uma determinada visão e saímos com outra”, afirmou.
 
Ele ainda falou sobre as mudanças de protocolos que estão em constante adequação. “Os protocolos estão sendo ajustados porque tudo é muito novo e os diálogos são muito importantes e queria agradecer nesse sentido”, explicou Blanck.
 
Caso confirmado
Esse foi o primeiro detectado com uso dos testes rápidos comprados pela Prefeitura. A paciente tem 50 anos e apresentou os primeiros sintomas há 10 dias, entre eles febre, tosse seca e coriza. Ela contou que ficou em isolamento domiciliar e teve contato com familiares durante esse período.
 
Ainda de acordo com a paciente, o esposo e o filho são caminhoneiros e estão em viagem. No momento, eles não apresentam qualquer sintoma da doença. Ela permanecerá em isolamento domiciliar sem a presença dos familiares, os quais todos farão o teste nesta quarta-feira, 1º.
 
A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Vigilância em Saúde, informa que até esta terça-feira foram 190 casos notificados como suspeitos para covid-19, desses 88 foram descartados, 3 positivos e 99 suspeitos seguem em investigação. (Marcelo Martin/Foto: Marcos Sandes)

Continue lendo
publicidade