Connect with us

Tocantins

Ações de defesa agropecuária animal e vegetal fortalecem o setor no TO

Publicado

em

O ano de 2019 será marcado para a defesa agropecuária tocantinense como o ano de avanços e conquistas que permitirão à cadeia produtiva buscar novos mercados, por meio do início da retirada da vacina contra febre aftosa e da consolidação da produção de soja dentro de uma janela de plantio segura que diminui os impactos da presença da ferrugem asiática no Estado. As conquistas sinalizam o crescimento e desenvolvimento do Tocantins.

Visando facilitar o acesso dos produtores rurais aos serviços oferecidos pela Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec), o Governo do Estado investiu na interligação de todas as unidades da agência, que propiciou, entre outras, a emissão da Guia de Trânsito Animal (e-GTA), beneficiando mais de 56 mil pecuaristas. Além disso, melhorou a estrutura com aquisição de novos computadores, impressoras e mil cadeiras, contemplando todas as unidades do órgão.

“Avaliamos que este foi um ano produtivo para a defesa agropecuária, graças aos esforços do Governo do Estado, dos nossos servidores e, sobretudo, dos produtores rurais”, ressalta o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, que destaca ainda que foi dado o primeiro passo para a retirada da vacinação contra febre aftosa, com a redução da dose da vacina de 5 ml para 2 ml. “O produtor rapidamente compreendeu e nos deu índices altíssimos de cobertura vacinal, provando que são nossos parceiros em busca da evolução da condição sanitária,” frisa Alberto Mendes.

Defesa animal

Em busca da consolidação da retirada da vacina contra febre aftosa, o Tocantins alcançou na primeira etapa da campanha, em maio, um índice de 99,13 % dos bovídeos vacinados. Na Agulha Oficial, na Ilha do Bananal, com apoio de equipes das agências de Goiás e Mato Grosso, nos meses de agosto e setembro, foram vacinados 116.796 mil animais.

“Mantivemos o controle de doenças que afetam os animais, como a brucelose, onde foi vacinado mais de 95% do rebanho das bovídeas, entre 3 e 8 meses de idade, e o controle da raiva dos herbívoros, que é referência para a região Norte,” ressalta o diretor de Defesa, Inspeção e Sanidade Animal, Márcio Rezende, acrescentando que o trabalho realizado em todos os programas sanitários da agência são fundamentais e estratégicos para o setor agropecuário do Estado.

A Peste Suína Clássica (PSC) ganhou atenção especial após surgimento de casos da doença em estados vizinhos ao Tocantins, sendo reforçadas as vigilâncias nas barreiras fixas e volantes e realizado um inquérito soroepidemiológico em 74 criatórios de suínos de 19 municípios, com 720 suínos examinados. Também foi feito monitoramento em granjas comerciais de suínos, atestando assim, que o Tocantins continua zona livre da PSC.

Foram realizadas 9.845 vigilâncias epidemiológicas em propriedades rurais, atendendo notificações de doenças de rebanhos e realizando vigilâncias ativas e passivas nas propriedades, com o objetivo de impedir o ingresso, prevenir, controlar e/ou erradicar doenças dos animais de produção. Também foram realizadas 873 fiscalizações em eventos agropecuários e 37.687 fiscalizações em postos fixos e volantes.

O produtor rural José Almir Oliveira, proprietário da Fazenda Nova, no município de Palmas, aprova o trabalho da Adapec com os produtores rurais. “Tenho criações de bovinos e equinos e em todas as ocasiões que necessitei dos serviços da Agência sempre fui bem atendido, seja no escritório ou na minha propriedade, por isso, destaco a importância deste órgão para o controle das doenças que afetam os rebanhos,” ressalta o produtor.

Inspeção animal

Em defesa da produção e industrialização de produtos inspecionados e com qualidade, a Adapec realizou em 2019 um amplo trabalho de combate a produtos clandestinos e incentivos a produção legal. Prova disso é que até novembro deste ano os seis frigoríficos cadastrados no Serviço de Inspeção Estadual (SIE), abateram, em média, 70 mil cabeças de bovídeos, totalizando um total de 15 mil toneladas de carne, numa movimentação financeira de aproximadamente R$ 170 milhões.

Já as 14 indústrias de lácteos registradas no SIE recepcionaram em matéria-prima de leite, até outubro, uma média de 17 milhões de litros que foram industrializados sob a inspeção da Adapec.

O Sistema Brasileiro de Inspeção (Sisbi) tornou-se uma realidade e atualmente são cinco empresas com adesão ao sistema, habilitadas a comercializar seus produtos para todas as unidades federativas do Brasil.

Defesa Vegetal

O Tocantins cultivou na última safra mais de um milhão de hectares de soja. A Adapec garantiu nesta área o monitoramento constante de pragas, como a ferrugem asiática, atestando assim, a qualidade da soja tocantinense. Para garantir a excepcionalidade na produção de sementes, dentro do período de vazio sanitário, também foi executado nas várzeas tropicais 806 fiscalizações de pragas, em 114 propriedades.

“Fazemos um rígido controle de fiscalização de pragas que podem afetar o patrimônio fitossanitário, desde a propriedade até o transporte”, ressalta o diretor de Defesa, Inspeção e Sanidade Vegetal, Alex Sandro Arruda. Este ano, foram intensificadas as fiscalizações para praga quarentenária ausente como o Cancro Cítrico. No controle da Mosca da Carambola foram 1,9 mil fiscalizações em 100 armadilhas distribuídas em todo Estado.

No Projeto de Recebimento Itinerante de embalagens vazias de agrotóxicos, que percorreu 17 municípios, foram beneficiados diretamente mais de 600 produtores, com um volume de aproximadamente 25 mil embalagens devolvidas.

Educação sanitária

Para levar informações aos produtores rurais e ao público em geral, foram realizadas 696 palestras em defesa agropecuária atingindo um público de aproximadamente 12 mil pessoas. Também foram realizados cursos de capacitação e aperfeiçoamento para mais de 300 servidores da Adapec. (Welcton de Oliveira/Foto: Delfino Miranda)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Tocantins tem 62.360 pacientes recuperados de Covid-19 e 11.385 ainda ativos

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que nesta quarta-feira, 28 de outubro, foram contabilizados 357 novos casos confirmados para Covid-19.

Deste total, 112 foram registrados nas últimas 24 horas e o restante por exames coletados em dias anteriores e que tiveram seus resultados liberados na data de ontem.

Desta forma, hoje o Tocantins registra um total de 231.878 pessoas notificadas com a Covid-19 e acumula 74.837 casos confirmados da doença. Destes 62.360 pacientes estão recuperados e 11.385 estão ainda ativos (em isolamento domiciliar ou hospitalar), além de 1.092 óbitos.

Clique AQUI e veja o boletim completo.

Continue lendo

Tocantins

Menor é apreendido no interior do Tocantins com dinheiro falso comprado pela internet

Publicado

em

Na tarde desta terça feira, 27, um menor de 16 anos de idade foi apreendido pela Polícia Militar durante abordagem em Ponte Alta do Tocantins, por ato infracional (moeda falsa). Ele portava um envelope com conteúdo ilícito e confessou que se tratava de notas falsas compradas na Internet pelo valor de R$ 200,00.

O menor foi apreendido durante abordagem realizada pelos militares de Ponte Alta do Tocantins. No interior do envelope que o infrator portava os policiais encontraram sete notas de R$ 100,00 totalizando R$ 700,00. Para os policiais, o autor informou que havia comprado as moedas pela Internet, no site de  compra e venda OLX e pagou pelas notas falsas o valor de R$ 200,00. A conduta é tipifica como crime pelo art. 289, § 1º, do Código Penal (aquisição de moeda falsa). 

Diante da situação o menor foi autuado em flagrante. O Conselho Tutelar foi acionado por se tratar de um menor de idade e o pai do jovem acompanhou toda a ação policial. Depois de apreendido o infrator foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil em Porto Nacional, para os procedimentos legais cabíveis. 

Continue lendo

Tocantins

ARAGUAÍNA: Crime de estupro e roubo solucionado com a ajuda de análise de material genético deixado na cena do crime

Publicado

em

A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Repressão a Roubos (DRR) de Araguaína, com apoio do Laboratório de Genética Forense da Superintendência da Polícia Científica, concluiu o primeiro caso de crimes de Estupro e Roubo apurado pelo exame de DNA de vestígio encontrado na cena do crime.

Conforme o delegado Breno Eduardo Campos Alves, o crime ocorreu no mês de março de 2020, quando a vítima e o namorado foram abordados no momento em que se encontravam no interior de um veículo, no período noturno no Bairro JK, em Araguaína. Na ocasião, as vítimas foram amarradas e roubadas, tendo o autor do crime violentando sexualmente a vítima mulher.

A Delegacia Especializada de Repressão a Roubos encampou a investigação e, diante do exame de local direto e indireto do crime, foi possível realizar a coleta de vestígios que foram encaminhados ao Laboratório de Genética Forense.

Ainda segundo a autoridade policial, o árduo trabalho de investigação resultou na identificação de um suspeito e seu perfil genético foi colhido, tratado e comparado com amostras coletadas do vestígio recolhido na cena do crime pelo LGF, confirmando cabalmente ser ele o autor do crime.

O Delegado Breno Eduardo ressaltou que “se tratou de investigação complexa que culminou na prisão preventiva do autor do crime, bem como do partícipe, um indivíduo que emprestou ao autor a arma utilizada no crime e a motocicleta com a qual se aproximou e fugiu após o ato”. O autor do crime foi preso no Estado do Piauí e o partícipe preso pelo mesmo crime, no Estado do Pará.

Genética

O Laboratório de Genética Forense informou que esse foi o primeiro caso de apuração de crimes de estupro e roubo que foi elucidado por meio de investigação genética de vestígio coletado na cena do crime, marco pioneiro do processo de investigação moderna que a Polícia Civil vem construindo. 

O Delegado Breno Alves ainda informou que o autor se encontra preso preventivamente e já responde a mais de uma dezena de processos por crimes de estupros, roubo e homicídios nos estados do Pará, Tocantins, Piauí e Maranhão, sendo que na época do crime se encontrava foragido.

Além do trabalho técnico da DRR – Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e do Laboratório de Genética Forense, a investigação teve auxílio da Polícia Civil dos estados do Piauí, Pará e Goiás.

O perito Paulo Henrique Teixeira ressaltou que o isolamento do local do crime e a consequente preservação dos vestígios foram de fundamental importância para a realização da análise contundente do perfil genético do suspeito, o que contribui sobremaneira para a elucidação do crime.

Já o perito Marciley Alves Bastos ressaltou a importância do Banco Nacional de Perfis Genéticos. Segundo ele, com a inserção dos dados e dos vestígios do suspeito nesse banco outros crimes passados ou futuros poderão ser solucionados. O perito também frisou que através da colocação dos dados, bem como dos vestígios do suspeito preso, não somente crimes sexuais, mas também, roubos, homicídios sequestros, enfim, uma série de outros delitos que podem deixar vestígios poder ser desvendados trazendo mais segurança à população. Por fim, Marciley agradeceu o apoio recebido da Polícia Científica do estado de Goiás. (Rogério de Oliveira)

Continue lendo
publicidade Bronze