Connect with us

Tocantins

Acordo beneficia mais de 100 mil acadêmicos lesados pela EDUCON/EADCON

Publicado

em

A Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) firmou um acordo judicial com o Ministério Público Federal (MPF) e a Advocacia Geral da União (AGU), que representa o Ministério da Educação na ação que visa a regularização acadêmica de 110.307 estudantes matriculados em cursos de ensino a distância, que eram oferecidos pela Unitins e a Sociedade de Educação Continuada (Educon), também chamada Eadcon, entre os anos de 2005 e 2009.

O acordo foi anunciado em coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira, 13, com participação do reitor da Unitins, Augusto Rezende; do procurador da República Fernando Antônio de Alencar Alves de Oliveira Júnior; do advogado da União Leonardo Tagarrô Rodrigues; e do procurador do Estado do Tocantins Thiago Emanoel Azevedo de Oliveira. 

O imbróglio que se arrastava há mais de 11 anos, já foi alvo de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) e chegou à execução da ação contra a Unitins, com multas e eventuais indenizações que somariam mais de R$ 200 milhões de prejuízo aos cofres públicos, conforme cálculos do MPF.


Com o acordo firmado, os alunos poderão optar por se transferirem para outra instituição de ensino, ou mesmo concluir o curso pela Unitins. A Universidade lançará um edital específico de regularização acadêmica para esses estudantes até a próxima segunda-feira, 20, que ficará aberto por 90 dias, período no qual os alunos interessados deverão se manifestar conforme as recomendações do respectivo edital.

O procurador da República Fernando Antônio de Oliveira Júnior, explica que os alunos poderão se transferir para outras instituições de ensino e dar andamento no respectivo curso de graduação em formato semelhante ao que a Unitins e a Eadcon ofertavam, ou seja, ensino à distância, com pagamento de mensalidade em valor diferenciado e aproveitamento das disciplinas já cursadas.

O procurador elogiou a postura da Gestão da Unitins de buscar o diálogo com o MPF e a AGU e tentar uma solução coletiva que de fato objetive resolver a situação dos acadêmicos. Fernando Antônio de Oliveira Júnior pontuou que considera esse acordo a melhor solução possível para o processo.

Conforme o acordo celebrado, a Unitins deverá dar ampla divulgação ao edital por meio de rádios em todo o país, e também, através de suas redes sociais oficiais no Instagram e Facebook. Os alunos interessados também terão um telefone e e-mail de contato por meio do qual poderão sanar dúvidas sobre as pendências e a regularização acadêmica.

O reitor da Unitins, Augusto Rezende, destacou que o acordo firmado e as ações a serem tomadas pela Universidade com vistas ao seu atendimento trarão enorme economia para os cofres públicos. “Um processo que somaria mais de R$ 200 milhões de prejuízo, o que corresponde, praticamente, a quatro vezes o valor do orçamento anual da Unitins. [Isso] inviabilizaria totalmente a Universidade e as ações do Governo do Estado, uma vez que mais de 90% dos nossos recursos são oriundos do Tesouro Estadual. Com esse acordo, a gente reduz o dano a 1%, sendo que a nossa previsão é concluir todo o acordo com aplicação de cerca de R$ 2 milhões”, explicou.

Com vistas ao atendimento das cláusulas previstas no acordo, a Unitins já realiza os trâmites para assegurar a elaboração e publicação do edital e sua ampla divulgação, sendo que para este último, conta com apoio da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom). (Charlyne Sueste)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Suspeito de torturar e matar namorada em motel do Tocantins é preso

Publicado

em

A Polícia Civil confirmou nesta terça-feira (21) que o suspeito de torturar e matar Marcela da Silva Soares em um motel de Palmas é um ex-namorado da vítima. O homem, de 21 anos, não teve o nome divulgado. A Secretaria de Segurança Pública informou que ele já responde por outro homicídio, mas não deu detalhes do crime.

A crueldade do assassinado de Marcela chocou moradores em Palmas. O corpo da jovem tinha marcas de queimaduras, indicando a tortura. A análise preliminar indicava que ela poderia ter morrido esganada, mas isso ainda será confirmado por laudos do Instituto Médico Legal (IML).

O delegado do caso, Guido Camilo, que chefia a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Palmas, disse que o suspeito confessou. Ele estava com o celular da vítima e escondido na casa de parentes em Porto Nacional, a 60 km da capital, quando foi detido. A SSP disse que ele não esboçou nenhuma reação ao ser abordado.


O homem deve responder por feminicídio. Inicialmente ele foi levado para a Central de Flagrantes de Porto Nacional. Depois disso, foi transferido para um presídio não divulgado.

O assassinato

O crime foi descoberto durante a madrugada de segunda-feira (20). Testemunhas relataram à polícia ter ouvido uma discussão vinda de um apartamento do motel, de número 103, onde a vítima estava hospedada.

Os funcionários do motel acabaram encontrado a vítima ao ir vistoriar o local porque a pessoa que acompanhava a mulher saiu sem pagar. O corpo foi encontrado com marcas, que podem ser de queimaduras, na região da barriga e das pernas. (G1)

Continue lendo

Tocantins

13ª edição da Festa da Colheita do Capim Dourado mantém tradição local

Publicado

em

Trazendo um novo olhar sobre a forma de apresentar a comunidade Mumbuca para turistas e visitantes, encerrou no domingo, 19, a Festa da Colheita do Capim Dourado, a festividade mais marcante do povoado. Mais de duas mil pessoas participaram das atrações durante os três dias de evento, que contou com maratonas, desfiles, futebol, cavalgada, peças teatrais e premiações. A 13ª edição teve o apoio do Sebrae Tocantins e da Energisa.

O evento também teve um papel social fundamental, em que a Energisa Tocantins levou o projeto “Energia para Crescer”, em parceria com o Sebrae. Segundo o gerente da Assessoria de Gestão de Projetos da Energisa, Leandro Fernandes, foi possível resgatar a cultura do Capim Dourado, além de fazer o recadastramento de famílias de baixa renda.


“O Energia para Crescer é um projeto que tem o objetivo de desenvolver três comunidades quilombolas da região do Jalapão: Mumbuca, Prata e Rio Novo. Nesse final de semana, tivemos a oportunidade de estar na Festa da Colheita, onde resgatamos um pouco da cultura do povoado Mumbuca, junto aos moradores. A Energisa entende que o seu papel vai além de distribuir energia; é por isso que estão sendo desenvolvidas ações sociais em todo o Estado”, destacou.

De acordo com a analista do Sebrae, Admary Barbosa, a Festa envolveu todos, seja na organização, nas atividades realizadas ou na programação de um modo geral. “Foi um evento excelente. Nós do Sebrae, em parceria com a Energisa, contribuímos com estrutura, iluminação, material de comunicação, a fim de ter um ambiente que pudesse receber os visitantes, e que eles pudessem participar das atrações e conhecer a comunidade, trazendo esse novo olhar sobre a vida e trabalho do povoado”, pontuou.

Railane Ribeiro, diretora executiva e presidente da Associação dos Artesãos do Povoado Mumbuca, afirmou que o evento superou as expectativas. “Terminamos a nossa Festa e foi surpreendentemente bom. Contribuiu para integrar ainda mais a comunidade e nos unir para continuarmos levando nossa cultura por todo o País”, celebrou.

Povoado Mumbuca
O povoado está localizado próximo à rodovia TO-110, no trecho entre as cidades de Mateiros e São Félix do Tocantins. A comunidade é formada, em sua maioria, por descendentes indígenas e negros, vindos da Bahia em 1909, em busca de melhores condições de vida. Já a Festa da Colheita do Capim Dourado já faz parte da tradição e é promovida pela Associação dos Artesãos do Povoado Mumbuca. O período é uma oportunidade para conhecer cultura, tradições e saber como se dá o processo artesanal do capim dourado. (Assessoria de Imprensa do Sebrae Tocantins)

Continue lendo

Tocantins

ARAGUAÍNA: Estudantes da Rede Municipal vão participar dos Jogos da Integração

Publicado

em

A Prefeitura de Araguaína informa que será realizado os Jogos da Integração dos alunos da Rede Municipal de Ensino. A primeira fase da competição está prevista para os próximos dias 28, 29 e 30 de setembro. Nove modalidades serão disputadas entre 300 estudantes de 47 escolas, do 1º ao 9º ano.

“O objetivo dos jogos é o desenvolvimento do espírito coletivo e desportivo. Seguindo todos os protocolos de saúde, as modalidades esportivas serão realizadas sem contato físico e vão promover a interação e estimular o trabalho de equipe, de todos os estudantes, inclusive dos alunos com deficiência, ” afirmou a secretária municipal de educação, Elizangela Moura.

O evento inicia no dia 28, às 8 horas, com a cerimônia de abertura, no Ginásio da Escola Municipal Casemiro Ferreira Soares, localizada no Setor Urbano. Além dos estudantes, conta com a presença dos diretores, professores e autoridades. Para a prática das atividades de forma segura, além da ausência de contato físico, não terá a presença do público na arquibancada.

Modalidades
Os estudantes vão competir em atividades que envolvem desde a prática de esportes a jogos desportivos que estimulam o raciocínio lógico. As modalidades dessa edição são: atletismo de 50 m e 100 m, arremesso de peso, salto em distância, badminton, tênis de mesa, boliche adaptado, chute ao golzinho e batida de pênalti, cubo mágico e dama. O último Jogos da Integração foi realizado em 2018 com o objetivo de desenvolver o intercâmbio esportivo e recreativo entre os estudantes.

Como funciona
As escolas inscreveram os alunos interessados em participar dos Jogos da Integração. Para chegar na disputa, eles tiveram um período de preparação e passaram pelos jogos de interclasse no dia 18 de junho. O evento foi dividido em duas fases, começando neste mês e encerrando em novembro. Em breve, a programação será divulgada pelo Município.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze