Connect with us

Bico do Papagaio

AGUIARNÓPOLIS: Asa Norte reclama de demora em financiamento

Publicado

em

O Frigorífico Asa Norte Alimentos, localizado em Aguiarnópolis, reclama de dificuldades na liberação de financiamentos junto ao Banco da Amazônia. A declaração foi feita ontem pelo vice-presidente do Grupo, Sérgio Costa Araújo, em entrevista ao Jornal do Tocantins.

A Asa Norte exporta para os mercados das Regiões Norte e Nordeste e a escolha do Tocantins para a implantação da empresa considerou a redução de custos, pela sua localização geográfica. Um estudo realizado pela agroindústria mostrou que instalar-se no Extremo-Norte do Tocantins poderia garantir uma economia de US$ 50 por tonelada. Para a empresa, a Ferrovia Norte-Sul e a hidrovia, que estão em fase de implantação, vão assegurar o escoamento do produto.

Abate

Atualmente, a Asa Norte opera com capacidade de abate de 40 mil aves/dia, o que representa 20% da sua capacidade total. O Grupo espera fortalecer a avicultura no Bico do Papagaio e torná-la mais competitiva.

Mas, segundo Araújo, a empresa tem dificuldades para obter linhas de crédito tanto para os pequenos como para os grande produtores de aves junto ao Banco da Amazônia. Ele espera que nos próximos dias esse quadro seja revertido.

“Na semana passada tivemos uma reunião em Belém (PA) com representantes do banco e eles se responsabilizaram em reavaliar os repasses. No máximo em dois anos estaremos operando na região com 100% da capacidade, depois da obtenção dos recursos” acredita Araújo.

A Asa Norte afirma que pequenos produtores, considerados integrados, serão beneficiados com os recursos dos financiamentos para a construção de granjas. Nas granjas de cada produtor, os frangos são criados e vendidos para a empresa, que os abate. “Os produtores integrados são pagos pela criação dos frangos” explica Araújo. Por telefone, a gerente regional do Banco da Amazônia no Tocantins Marisa Helena Miranda Maracaípe informou que o processo de financiamento à Asa Norte está em andamento e que o banco ainda estaria fazendo uma análise do setor avícola. (JT)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
1 Comment

Bico do Papagaio

BURITI: Vice assume Prefeitura após prefeita se afastar para tratar Covid

Publicado

em

O vice-prefeito de Buriti, no Bico do Papagaio, assumiu nesta quarta, 5, o comando do município, após a prefeita Lucilene Gomes (SD), se licenciar do cargo para tratar da Covid-19.

A gestora foi levada na semana passada para um hospital em Goiânia, no estado de Goiás, junto com seu marido, o ex-prefeito Alvimar Cayres Almeida, o Mazin, para tratamento.


Segundo informações de pessoas próximas a gestoras, ela teria recebido alta hospitalar e estaria acompanhando o reestabelecido do marido, que tem alta prevista para sexta, dia 7.

O casal deve permanecer em Goiânia ainda alguns dias para observação médica.

Continue lendo

Bico do Papagaio

Municípios do Bico podem solicitar ao FNDE retomada de obras inacabadas

Publicado

em

A Resolução n° 03/2021, aprovada pelo Conselho Deliberativo do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (CD/FNDE), abre prazo para que estados, municípios e o Distrito Federal solicitem a retomada de obras inacabadas de infraestrutura educacional. Os entes federativos têm até dia 30 de setembro deste ano para encaminhar os pedidos ao FNDE para a repactuação de termos de compromisso com vistas à conclusão dessas construções.

A área técnica da autarquia estima que mais de 1.200 obras podem ser beneficiadas pela iniciativa. “O mais importante é poder entregar à população brasileira construções relevantes para a educação básica pública. São escolas, creches e outros espaços educativos que não podem ficar pela metade. Precisamos fazer um esforço para concluir essas obras, que vão aprimorar a infraestrutura educacional de estados e municípios, contribuindo assim para a melhoria da educação brasileira”, comenta o presidente do FNDE, Marcelo Ponte.

Cabe esclarecer que as obras inacabadas são aquelas que tiveram início, mas não foram finalizadas até o fim da vigência do instrumento pactuado com o FNDE. Com o vencimento, os entes federativos não podem mais receber recursos do governo federal para terminar essas edificações. Agora, abre-se a possibilidade de se firmar novos termos de compromisso para garantir a conclusão das obras.

Só podem ser repactuadas as construções com execução física superior a 20%. “Os entes federativos também devem concordar em investir recursos próprios para a conclusão das obras, considerando que o FNDE só pode repassar valores até o limite estabelecido no termo de compromisso original, cuja vigência expirou”, ensina o diretor de Gestão, Articulação e Projetos Educacionais do FNDE, Gabriel Vilar.

As solicitações para a retomada de obras inacabadas devem ser feitas por meio do Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação (Simec). Para firmar os novos termos, os interessados precisam, ainda, apresentar laudo técnico, acompanhado da respectiva Anotação/Registro de Responsabilidade Técnica, atestando o estado atual da obra inacabada e, se for o caso, a viabilidade da reformulação do projeto que utilizou a metodologia construtiva inovadora para a metodologia convencional.

Continue lendo

Bico do Papagaio

WANDERLÂNDIA: 11ª morte por Covid-19 é oficializada

Publicado

em

Nesta quarta, 5, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), oficializou a morte do 11ª paciente de Wanderlândia, no Bico do Papagaio, por Covid-19.

A morte é de uma mulher de 68 anos, sem comorbidades relatadas. O óbito aconteceu dia 30 abril, no Hospital Municipal de Araguaína.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze