Connect with us

Bico do Papagaio

AGUIARNÓPOLIS: Governo lança pedra fundamental de indústria de soja

Publicado

em

Um investimento de R$ 385 milhões, mais de 650 empregos diretos e uma capacidade de produção inicial de 2 mil toneladas de soja esmagadas por dia. Assim pretende operar a Granol Indústria, Comércio e Exportação S/A, que terá sua pedra fundamental lançada nesta quinta-feira, 28, em Aguiarnóplois, com a presença do governador Siqueira Campos.

Segundo o diretor da empresa, Juan Diego Ferrés, o município de Aguiarnópolis foi escolhido por seu futuro logístico privilegiado pela navegação através do Rio Tocantins no futuro e pela ferrovia Norte Sul que está em construção, além da BR 153. A instalação da empresa respeita o tempo de encontro das três modais. “Este projeto foi elaborado para acontecer de uma forma evolutiva e constitui de três fases. Esta primeira será de esmagamento de soja, que deve começar com uma capacidade de mil toneladas por dia até atingir sua capacidade de duas mil toneladas por dia. Nesta fase também esta incluída a parte de armazenamento, recebimento de grãos, quando teremos uma geração de 280 empregos diretos e calculamos uma relação de cinco empregos totais para cada um direto”, afirmou.

Para o empresário, como o projeto estruturante, o retorno vem em longo prazo e acompanha o desenvolvimento da região, principalmente o desenvolvimento que o próprio empreendimento vai gerar na produção local de matérias primas. “Na segunda fase a gente idealiza verticalizar para o produto final, na linha de produção de óleos alimentícios embasados, que serão consumidos na região Nordeste brasileira e na região dos rios amazônicos e na produção de biodiesel. Ai incluímos o desenvolvimento de outras matérias primas, além da soja, para a produção de biodiesel”, afirma acrescentando que estas matérias podem ser o dendê, macaúba, entre outros, destacando que “na terceira fase, temos o aumento da capacidade de produção e a industrialização destes produtos”.

Ainda segundo Ferrés, o beneficiamento da soja será todo no município de Aguiarnópolis e o material usado será comprado naquela região e em todo Estado do Tocantins. “Na verdade já temos algumas unidades que começaram junto com o projeto, em 2008, em Porto Nacional e Figueirópolis. Além destas localizações temos previstos mais quatro unidades, número que pode aumentar com o crescimento do empreendimento. Então teremos em todo o Estado unidades de armazenamentos, como estímulo à produção agrícola”.

Mão de obra

Para o empresário, parte do processo de investimento é garantir a qualidade da mão de obra. “Nossa preocupação é estruturar ações formadoras de mão de obra local para nos atender. Por isso além de políticas sociais, pretendemos firmar convênios para incentivar a qualificação do pessoal da própria região”, afirmou.

Incentivo

Segundo o empresário, “assim que assumiu o cargo, o governador Siqueira Campos nos transmitiu que podíamos contar com todo o apoio e ele vem se empenhando e por isso estamos sintonizando com os secretários por ordem do governador, para abreviar o quanto possível os tramites necessários”, afirmou, acrescentando que a participação do Governo do Estado é fundamental.

 “Com a fase de transição no governo federal, houve uma lentidão dos projetos no contexto de logística que viabiliza o projeto. A lentidão nas obras prejudica o cronograma dos projetos, pois ao mesmo tempo em que a parte industrial e de matéria prima caminha, os modais precisam permitir o avanço em relação ao futuro. Por isso, dentre as conversas que estamos tendo com alguns secretários é para que o Governo Estadual nos ajude, viabilizando as obras, junto ao Governo Federal”, afirma Ferrés.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Jaime Café, também falou sobre os incentivos do Governo. “O Estado já viabilizou uma licença ambiental que estava com mais um ano e meio emperrada dentro do Naturatins. O Governo tem as políticas de incentivos fiscais e um dos fatores primordiais foi a empresa acreditar que este Governo, com sua competência e seu desprendimento, vai criar condições para que mais produtores se estabeleçam e com isso tenham matéria prima aqui mesmo”, afirmou.

Agricultura

Para Jaime Café, “o Estado do Tocantins só tem a ganhar com a geração de emprego e renda, mas para o produtor do campo é um momento especial, pois não temos uma planta de esmagadora de soja. A Granol se instalando aqui é uma garantia de que o produtor tem de comercializar seus produtos aqui mesmo, pois a empresa vai dispor de alguns incentivos e, consequentemente, pagar melhor pelos produtos. Além dos produtos com valores agregados, teremos os subprodutos que é a torta de soja, para que a gente possa fomentar algumas plantas de confinamentos de bovinos, além de um custo menor para o produtor de frango, na compra da ração, assim como o produtor de suíno”, enfatizou.

A Granol

Fundada em 1965, a GRANOL é uma empresa 100% brasileira dedicada à produção e comercialização de grãos, farelos e óleos vegetais e biodiesel para o mercado interno e externo. A empresa possui cinco complexos industriais, 23 regionais de compra e armazenagem de grãos, duas usinas de biodiesel, localizadas em Anápolis/GO e Cachoeira do Sul/RS, uma fábrica de lecitina em Anápolis/GO, um terminal marítimo e outro fluvial, além do escritório matriz em São Paulo. Soma-se a isso, mais de 2.000 colaboradores, capacidade estática de armazenamento superior a 500.000t de grãos e farelos, 39.000t de tancagem para óleos, esmagamento de 2.010.000t/ano, refino de 2805.000t/ano de óleo bruto e envase em 250 milhões de unidades/ano (latas/fibra-pack/garrafas PET) e 7 mil clientes ativos. A Granol está entre as 50 maiores empresas de Agronegócios do Brasil. (Com informações do site oficial da empresa)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

AUGUSTINÓPOLIS: Deputado diz que não quer UNITINS formando “negacionistas”

Publicado

em

O deputado José Roberto Lula (PT) defendeu em sessão da Assembleia Legislativa do Tocantins (Aleto) realizada na manhã desta quarta-feira, 23, convite ao corpo técnico que estrutura a instalação do curso de Medicina no Campus da Unitins de Augustinópolis. A finalidade do diálogo, segundo o parlamentar, é evitar que sejam formados médicos que negam a ciência, conforme presenciado no momento no país.

Zé Roberto fez uma análise do que vem ocorrendo durante a pandemia do novo coronavírus, que já matou mais de 500 mil brasileiros. “Em função das orientações que negam a ciência produzidas pelo ministério paralelo, que oferece ações não-oficiais ao presidente Jair Bolsonaro, chegamos a números tão altos de vítimas fatais da Covid-19.

Conforme divulgado pela imprensa nacional, o denominado “ministério paralelo” prega o tratamento precoce da Covid-19 com medicamentos sem comprovação científica, defende a chamada “imunização de rebanho”, é contra o uso de máscaras e o distanciamento social. Além de tudo, tem demonstrado menosprezo pela eficácia da vacina contra o Sars-CoV-2.

O deputado considerou inadmissível que milhões de recursos públicos oriundos de emendas parlamentares sejam investidos em um curso de fundamental importância para formar especialistas contra a ciência e que pregam práticas prejudiciais à vida humana.

“A grande maioria dos médicos do país é ética, segue critérios científicos e cumpre seus juramentos, mas uma parcela mostrou a cara nessa pandemia, colaborando com a mortandade que foi muito além, se comparada a uma realidade embasada na ciência”, apontou o deputado.

Zé Roberto lembrou que não existia nenhum médico infectologista no chamado “gabinete paralelo”, o que desqualificava ainda mais as ações do grupo. Também defendeu o trabalho dos médicos cubanos que já prestaram serviços ao Brasil. “Esses profissionais poderiam estar ajudando a população neste momento de crise sanitária, mas foram desprezados pelos últimos governos brasileiros’, concluiu.

Continue lendo

Bico do Papagaio

28 toneladas de alimentos são entregues a cinco municípios do Bico

Publicado

em

O Governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social (Setas), em nova etapa de entrega de cestas básicas às famílias impactadas pela pandemia da Covid-19, atende 1.750 famílias nos municípios de Araguatins, Augustinópolis, Axixá do Tocantins, São Miguel do Tocantins e Tocantinópolis, na região do Bico do Papagaio.

A ação teve início nessa segunda-feira, 21, e prossegue até esta quarta-feira, 23. Os alimentos estão sendo entregues por meio dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) dos municípios.

Em Araguatins, a dona de casa Diane Pereira de Souza, de 32 anos, mãe de três filhos, ressaltou que a situação está muito difícil e a cesta básica chegou na hora certa. “A cesta ajuda muito e deve durar por cerca de duas semanas aqui em casa. Eu só tenho a agradecer ao governador Mauro Carlesse por essa ajuda”. 

A secretária de Assistência Social do município de Araguatins, Ivonete Monteiro da Silva, frisou que a entrega de cestas básicas é extremamente importante, por conta das necessidades da população que se agravaram neste momento de pandemia e por trazer uma mensagem de esperança para essas famílias impactadas. “As famílias beneficiárias são as que já estão incluídas nos cadastros do Cras, e as entregas são feitas seguindo todas as normas de segurança para evitar o contágio da Covid-19”.

Em Axixá do Tocantins, Antônia Dias da Silva, aposentada, de 93 anos, frisou que a cesta básica é muito importante e vai servir bastante, já que os alimentos estão caros. Para Flaviano Chaves da Silva, morador de São Miguel do Tocantins, “é muito importante a ajuda do Governo do Estado com essas cestas básicas, porque a situação está muito difícil e qualquer ajuda é bem-vinda”.

Balanço 

O titular da Setas, José Messias Araújo, destacou que a ação, que ocorre nos cinco municípios do Bico do Papagaio, é muito relevante e bastante positiva. “A ação de entrega de kits com alimentos é sempre um trabalho necessário e urgente, e mais uma vez as equipes fizeram um trabalho primoroso. As entregas realizadas na região do Bico do Papagaio ocorrem com segurança e transparência; e a presença e o acompanhamento do Governador e do Vice-Governador do Estado na ação na região possibilitaram que eles vissem de perto como estão sendo realizadas as entregas de alimentos à população mais impactada pela Covid-19 no Tocantins”, ressaltou.

O secretário destacou também as parcerias com os Cras nos municípios. “É de grande importância a parceria do Governo do Tocantins com os Cras dos municípios, já que os Centros de Referências são as portas de entrada da assistência social nos municípios e estão aparelhados com as informações referentes às famílias em situação de vulnerabilidade. Desde o início da pandemia, já foram entregues mais de 1,3 milhão cestas básicas nos municípios do Estado. É determinação do governador Mauro Carlesse que não faltem alimentos na mesa dessas famílias vulneráveis; e a continuidade da ação é uma prioridade, por conta da necessidade imediata de alimentação da população que sofre os impactos da pandemia”, afirmou.

Continue lendo

Bico do Papagaio

CARRASCO BONITO: Sexto óbito por Covid-19 é confirmado

Publicado

em

A Secretaria de estado da Saúde (SES), oficializou nesta quarta, 23, o sexto óbito por Covid-19, no município de Carrasco Bonito, Bico do Papagaio.

A vítima é um homem, 64 anos, sem comorbidades relatadas e faleceu no dia 11 de junho, no Hospital Regional de Augustinópolis.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze