- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_img
quarta-feira, 17 / julho / 2024

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

ANANÁS: Em meio a pandemia, Prefeitura libera festa e recua após críticas

Mais Lidas

A Prefeitura de Ananás afirmou que a festa com som automotivo que iria acontecer em um clube da cidade, neste sábado (12), foi cancelada. O evento tinha sido autorizado e a organização esperava receber 200 pessoas no local. Ananás tem 228 casos confirmados de coronavírus e seis moradores da cidade morreram pela doença. O município tem aproximadamente 10 mil habitantes.

A notícia sobre a realização da festa gerou repercussão e os moradores ficaram com medo dos casos de coronavírus aumentarem. O evento estava previsto para começar às 22h e iria durar até 3h do domingo (13). O ingresso custava R$ 15 e quem comprou deve receber o dinheiro de volta.

Além dos organizadores, o vice-prefeito da cidade, Francisco Leite (PP), confirmou o cancelamento. Ele informou que se não houvesse um acordo a Prefeitura iria revogar a parte do decreto municipal que permite eventos culturais.

Um dos organizadores da festa disse que haveria limitação de público, que o uso de máscaras de proteção seria obrigatório e que álcool em gel seria disponibilizado na entrada. Ele disse que teve prejuízo e que só organizou a festa porque teve autorização do município.

Nesta sexta–feira (11) a Prefeitura informou que liberou o evento após aprovação da Gabinete de Enfrentamento à Covid-19 e que as autorizações também foram emitidas pelo Corpo de Bombeiros e pela Polícia Civil.

A gestão disse ainda que a última reunião para avaliar o cenário da pandemia na cidade foi no dia 31 de agosto, quando ficou determinado que as medidas seriam flexibilizadas. Uma nova reunião está prevista para a próxima semana.

A Secretaria de Estado da Comunicação informou que a certidão dos Bombeiros é válida para funcionamento de qualquer estabelecimento comercial, não para realização de festas ou eventos. Já a Polícia Civil alegou que fez a liberação com base em um decreto municipal que permite a realização de eventos na cidade entre os dias 1º e 30 de setembro. (G1)

- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
- Publicidade -
- Publicidade -spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Últimas Notícias