Connect with us

Bastidores

Ao assumir vaga de senador, Siqueira Campos defende criação de mais estados

Publicado

em

Tomou posse nesta terça-feira (16), como senador da República, o ex-governador do Tocantins e ex-deputado federal Siqueira Campos (DEM). Ele ocupa a vaga deixada pelo senador Eduardo Gomes (MDB), que assumiu cargo no governo do estado.

Líder que deflagrou o movimento popular pela criação dos estados do Tocantins e do Amapá, durante a Assembleia Constituinte de 1988, Siqueira Campos defendeu, na cerimônia de posse, a criação de mais 13 estados no Brasil.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), transformou a sessão de posse em sessão especial e se disse privilegiado por presidir o Senado em um momento que classificou como “histórico”.

— Não canso de repetir que este, sim, é o momento histórico de prestígio, de homenagem, de honraria ao homem público que orgulha o estado do Tocantins e todo o Brasil. Muito obrigado por esta oportunidade de estar aqui neste momento — afirmou Davi.

Em seu discurso, emocionado, Siqueira Campos citou verso do poeta Carlos Drummond de Andrade para dizer como se sente: “Tenho duas mãos e o sentimento do mundo”. O senador afirmou que é preciso ser solidário ao povo brasileiro, especialmente aos pobres. Também defendeu a criação de mais 13 estados, que, segundo ele, seria o mínimo, pois o ideal seria que o Brasil tivesse 50 estados.

— Temos um território imenso. Imaginem que, no Pará, há uma cidade cuja jurisdição é maior que a do estado do Tocantins praticamente. Refiro-me à cidade de Altamira — disse, sustentando que é preciso mudar essa realidade.

Compuseram a mesa na sessão o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha; o vice-governador do Tocantins, Wanderlei Barbosa; a prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro; o deputado federal Carlos Henrique Gaguim (DEM-TO); e o filho de Siqueira Campos, o ex-senador Eduardo Siqueira Campos.

Eduardo Siqueira Campos — que atuou no Senado de 1999 a 2007 e atualmente é deputado estadual em Tocantins — fez um discurso emocionado, em que afirmou se sentir um filho do Parlamento, pela história construída por seu pai. Eduardo disse ainda que aprendeu com o pai o valor do tempo.

— Você enfrenta o tempo, as dificuldades, é um reformista, um inconformado, um brasileiro que, das camadas mais simples, conseguiu representá-las e que sempre me disse: meu filho, aqueles sem nome e sem rosto, é por eles que nós temos que trabalhar. E você fez isso, pai — afirmou Eduardo.

Reconhecimento

Os senadores Wellington Fagundes (PL-MT) e Izalci Lucas (PSDB-DF) saudaram Siqueira Campos e relembraram sua trajetória como “homem determinado” que batalhou pela criação do estado do Tocantins e da construção da capital, Palmas.

— Siqueira Campos pode ser classificado como um bem durável da nossa política, não apenas pela longevidade dos seus 90 anos, mas principalmente pela sua obra. Seus atos muitas vezes incompreendidos pela política naquele momento tinham uma natureza essencial, que era a criação do seu querido estado do Tocantins, por desmembramento do estado de Goiás. Com habilidade e tenacidade, couberam a esse senhor as condições de finalizar uma luta de quase 200 anos dos moradores do então norte de Goiás — ressaltou Wellington.

A deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) reconheceu “a história e o trabalho” de Siqueira Campos. Para ela, “a responsabilidade, a lucidez e a preocupação [do parlamentar] com o país trará grandes frutos para o Senado e para o Tocantins”.

O senador Jorge Kajuru (PSB-GO) classificou Siqueira Campos com “um homem histórico da política brasileira”. Kajuru citou como uma das características do parlamentar “o fato de nunca ter perdido a esperança”.

Embora já oficialmente licenciado, Eduardo Gomes presidiu parte da sessão especial destinada à posse de Siqueira Campos, seu primeiro suplente. Eduardo Gomes — que se licenciou para assumir como secretário de Governadoria do Tocantins — disse ter recebido mensagens “de todas as correntes políticas” parabenizando Siqueira Campos pela posse.

Biografia

José Wilson Siqueira Campos nasceu em agosto de 1928 e completará 91 anos no próximo dia 1º. Foi o primeiro governador do Tocantins, cargo que exerceu por quatro vezes. Também foi deputado federal por Goiás e vereador na cidade de Colinas (GO). Ele assume o mandato que vai de 2019 a 2027. (Agência Senado/Foto: Edilson Rodrigues/

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bastidores

Em Palmas, Luana Ribeiro declara apoio à candidatura de Vanda Monteiro

Publicado

em

Durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta segunda-feira, 26, na sede do Partido Social Liberal (PSL), em Palmas, a deputada estadual Luana Ribeiro (PSDB) declarou o seu apoio à candidatura de Vanda Monteiro (PSL) e Gerson Alves, na disputa pela prefeitura de Palmas. 

Na ocasião, Luana Ribeiro argumentou que foi uma decisão difícil, mas bem avaliada, e destacou o potencial e a disposição de Vanda Monteiro para trabalhar. “Temos vários candidatos à prefeitura de Palmas, mas eu entendi que o nome da Vanda e do Gerson têm despontado na cidade. A Vanda é minha colega na Assembleia Legislativa, além de ser uma mulher muito batalhadora, com potencial e disposição para trabalhar. Eu acredito muito na sua eleição”, disse. 

Para Vanda Monteiro, o apoio de Luana Ribeiro soma forças à sua candidatura. “Para mim é uma enorme satisfação receber o apoio dessa grande deputada que já tem quatro mandatos e faz um trabalho brilhante no Tocantins. Fico muito feliz em contar com seu apoio aqui na capital, pois soma conosco uma deputada muito atuante, além de determinada”, destacou. 

Durante a coletiva, a deputada estadual Luana Ribeiro também destacou a necessidade de unir pessoas, candidaturas e a oposição em prol de uma Palmas melhor. “Eu vim somar na candidatura da Vanda com o que eu sei fazer de melhor: o meu  trabalho”, acrescentou. 

Continue lendo

Bastidores

Barbiero lamenta suposto “rolo” no PSB e diz que denúncia de candidata contra Amastha deve ser investigada

Publicado

em

Candidato a prefeito pelo Podemos, Alan Barbiero lamentou, nesta segunda-feira, 26 de outubro, as graves denúncias feitas pela candidata a vereadora Giovanna Nazareno, do PSB, sobre a má condução e possível desvio de finalidade do dinheiro do fundo partidário destinado às candidaturas femininas da sigla socialista. “Eu que já presidi o partido em Palmas e ajudei a construir uma base para o PSB aqui na Capital, vejo com tristeza esses relatos tão graves. Os órgãos competentes precisam investigar a situação e punir caso encontrem mesmo essas irregularidades”, ressaltou.

Para Alan Barbiero, o candidato a prefeito Tiago Andrino (PSB) deve explicações públicas urgentes à sociedade. “Como que ele faz todo um discurso de nova política, de defesa da moral, de fim de privilégios e o partido dele tem uma situação constrangedora dessas vindo a público? Caso isso tenha mesmo ocorrido, é uma prática da política mais arcaica e antiga, aquela do cabresto, com partidos que não têm dirigentes, mas sim donos”, frisou Alan Barbiero.

Segundo Giovanna, por ordem do ex-prefeito Carlos Amastha (PSB), o dinheiro igualitário de 30% da chapa proporcional do PSB que deveria ser distribuído para as candidatas a vereadora, não foi distribuído assim e os repasses ficaram menores e desiguais. Além disso, ela acusa a atual direção do PSB da Capital de ter informado às candidatas valores muito acima do que realmente estariam sendo pagos pelos serviços jurídicos e de contabilidade na campanha.

Continue lendo

Bastidores

Candidata a vereadora denuncia suposto desvio de finalidade de recurso eleitoral por Amastha

Publicado

em

Continue lendo
publicidade Bronze