Connect with us

Pará

Após queda de torres, hospital da Transamazônica destaca importância do protocolo de múltiplas vítimas

Publicado

em

Na última sexta-feira (16), o Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), em Altamira, precisou ativar o plano de contingência da unidade para atender quatro vítimas da queda de duas torres no município de Pacajá, sudoeste do Pará.

Assim que foi informado sobre o acidente, o HRPT deu início ao protocolo de triagem conhecido pela sigla START (Simples Triagem e Rápido Tratamento). O objetivo é avaliar de forma rápida e segura as condições clínicas das vítimas, podendo assim estabelecer prioridade de tratamento médico e evitar mortes ou sequelas nos pacientes.

O protocolo integra as práticas assistenciais da unidade em situações catastróficas, quando se tem muitas vítimas. A triagem rápida nestes casos é imprescindível para identificar os traumas e lesões dos feridos que precisam de atendimento de urgência e emergência.


Segundo Mário Franco, diretor Técnico do Hospital Regional da Transamazônica, além da preparação da equipe multiprofissional, leitos, macas e cadeiras de rodas são colocados à disposição para o atendimento dos pacientes.

“O protocolo envolve diferentes cuidados e a devida atenção para que ocorra um atendimento ágil, seguro e que, ao mesmo tempo, não haja prejuízos na rotina da unidade, garantindo assistência a todos”, ressalta.

Ainda, segundo o diretor, a última vez em que o protocolo START havia sido ativado na unidade foi no ano de 2010, quando o Regional da Transamazônica recebeu oito pacientes vítimas de um acidente com um avião bimotor em Senador José Porfírio, a 155 km de Altamira.

Atendimento de vítimas de Pacajá

Na assistência aos feridos no acidente de Pacajá, o protocolo teve início com uma área exclusiva de acesso às ambulâncias, no Pronto Atendimento do HRPT. No local, um aparato com cerca de 30 profissionais da saúde, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e maqueiros realizavam a triagem das vítimas.

Assim, os pacientes foram classificados como muito graves (pulseira vermelha), graves (pulseira amarela) e estáveis (pulseira verde), seguindo o sistema internacional de classificação de risco.

Após a triagem, as vítimas foram encaminhadas para o Pronto Atendimento do hospital.Todas as vítimas receberam os primeiros socorros e realizaram exames específicos para identificar os ferimentos e traumas sofridos.

Alerta permanente

Anualmente, a coordenação do Pronto Atendimento, junto com o Núcleo de Educação Permanente (NEP) e o Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) do HRPT promovem treinamentos com foco em múltiplas vítimas para a equipe assistencial de emergência da unidade.

Segundo a diretora assistencial do hospital, Luciane Madruga, os treinamentos são realizados para que as equipes tenham visão de todos os protocolos, ações e condutas que devem ser tomadas em situações de catástrofes.

“Os treinamentos são importantes para nos manter em alerta, pois precisamos agir de forma rápida e segura, principalmente em casos com múltiplas vítimas. Dessa forma, a segurança do paciente é mantida com maior êxito e garantimos a nossa missão de salvar vidas”, explica a gestora.

Para o secretário de Saúde do Pará, Rômulo Rodovalho, a importância dos treinamentos reside na agilidade do atendimento, permitindo que os pacientes mais graves ganhem prioridade e sejam atendidos rapidamente. “Dessa forma, é possível aumentar as chances de sucesso e dessa forma salvar mais vidas e evitar possíveis sequelas”, disse. 

O Hospital Regional da Transamazônica é reconhecido nacionalmente entre os melhores hospitais públicos do Brasil. A unidade possui a certificação ONA 3 – Acreditado com Excelência, concedido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). O reconhecimento atesta a qualidade dos serviços prestados à população no interior do Pará. (Karine Sued)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Pará

PARAUAPEBAS: Darci teme sobre situação de empresa chinesa que pode impactar Carajás

Publicado

em

O prefeito de Parauapebas, na região de Carajás, Pará, mostrou preocupação, com a crise da gigante chinesa Evergrande, que tem dívidas de US$ 300 bilhões. O temor de investidores sobre a possibilidade de calote da empresa vem provocando estragos no mercado financeiro.

A preocupação de Darci, é justificada, por conta do mercado chinês ser o maior consumidor de todo o minério produzido em Parauapebas e caso a economia chinesa se contamine com a “quebra” da Evergrande, o impacto certamente seria sentido no município paraense no curto prazo, pois a prospecção seria de contaminação de toda a economia da China.


Segundo as informações da imprensa internacional, o governo chinês estaria tomando providência, para contornar a situação.

“Vendo os jornais fiquei muito preocupado. Espero que seja apenas um pequeno susto. Vamos torcer para que tudo se normalize rapidamente. Enquanto isso vamos continuar trabalhando. Fazendo nossa parte”, afirmou Darci sobre o assunto.

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Campanha de vacinação antirrábica inicia nesta segunda, 20, pelo núcleo Morada Nova

Publicado

em

Na próxima segunda-feira, (20), os donos de cães e gatos em Morada Nova e Residencial Jardim do Éden  terão a oportunidade de imunizar os pets contra a raiva animal sem sair de casa. É que o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) dará inicio a campanha nacional de vacinação antirrábica na cidade e a ação será em sistema de arrastão, ou seja,  as equipes visitarão casa a casa, em busca dos animais saudáveis a partir dos 3 meses de vida.

De acordo com Flávio Ferreira da Silva, coordenador do CCZ, a expectativa é que o município atinja a meta de 35 mil animais vacinados entre a zona urbana e a zona rural que também será visitada pelas equipes.

“A previsão que nós temos é de 25 dias de vacinação aqui na zona urbana, após o dia 25 de outubro, iremos fazer a zona rural também. Aqui na cidade daremos inicio em Morada Nova e depois São Félix, Nova Marabá, Velha Marabá, e núcleo Cidade Nova. Nós divulgaremos o calendário dia a dia e as pessoas devem ficar atentas”, esclarece o médico veterinário.

Para os donos de pets que perderem o arrastão, o CCZ já está com doses da vacina disponíveis no próprio centro durante toda a semana, inclusive aos fins de semana. O coordenador do CCZ enfatiza que as doses da vacina antirrábica são anuais, por isso, é preciso estar atento à carteira de vacinação do animal como forma de proteger o amigo de quatro patas contra a doença.

“A vacina antirrábica é anual, uma única dose imuniza o animal. Então é importante não perder os prazos. A melhor forma de prevenção da raiva é a vacinação, só assim, se o animal entrar em contato com a raiva ele não será acometido e nem será transmissor”, ressalta.

Vale frisar, que durante a campanha os demais atendimentos como testagem para Leishmaniose estarão acontecendo normalmente no CCZ. (Leydiane Silva / Fotos: Paulo Sérgio)

Continue lendo

Pará

MARABÁ: Comemorando produção de melancia, agricultores fazem doação do fruto para Prefeitura

Publicado

em

A Associação de Hortifrutigranjeiros, Pescadores e Ribeirinhos de Marabá, na comunidade Boa Esperança, distante 15 quilômetros, próximo à região do Carrapato, está comemorando a surpreendente colheita de melancia, ao todo foram trezentas toneladas da fruta.

Na manhã desta sexta-feira (17), uma parte dos agricultores esteve na Secretaria de Obras, para agradecer o apoio e incentivo da gestão municipal no trabalho de desenvolvimento do projeto, garantido pela doação de insumos, máquinas, orientação técnica e análise de solo.

O produtor rural, Aldenir Pereira de Souza, popular Maranhão, presidente da Associação informou que se surpreendeu, pois na região não havia ainda a iniciativa de se produzir melancia, até que um representante da Secretaria de Agricultura esteve com os produtores e propôs uma parceria com os produtores para transformar a região.

“Esse projeto  foi iniciado com alguns produtores e logo fomos convidados para plantar melancia no início deste ano. Levamos um representante da Secretaria de Agricultura que se propôs a nos ajudar com insumos, pessoal técnico, arado, esteira, calcário e isso nos empolgou e começamos  a plantar e hoje estamos produzindo”, disse o representante da Associação.

Hoje na Associação são 80 famílias, no entanto, 18 produtores integram o projeto. “Estamos começando agora e posso afirmar que temos 300 toneladas somente nesta primeira safra e também temos o projeto de maracujá e temos fé que vai dar certo porque já iniciamos a venda da melancia e vamos seguir com fé”, disse Aldenir Pereira de Souza.

A doação foi feita com a participação de 10 agricultores da região. O Prefeito Tião Miranda, disse que o investimento em agricultura é um dos mais gratificantes, pois resulta em renda para o agricultor e produtos mais acessíveis à população.

“A secretaria de agricultura vem fazendo um trabalho fabuloso com os agricultores e é importante porque o custo de vida fica mais barato para quem mora na cidade e hoje são vários projetos em desenvolvimento como melancia, maracujá, apicultura e outros que estão dando renda para o agricultor e a cada dia vamos fomentar com orientação técnica, análise de solo e outros que se torna um avanço muito grande e vamos continuar investindo pesado nesse setor”, disse Tião Miranda.

O prefeito também afirmou que parte da produção da agricultura familiar está sendo adquirida para a alimentação escolar e os produtos da doação desta manhã serão distribuídos às escolas. “E todo o produto doado hoje, num total de 30 melancias e maracujás, será encaminhado às escolas para servir de alimentação para nossas crianças que adoram melancia”, disse o gestor.

O Secretário de Agricultura, Adailton de Sá, comemorou junto aos agricultores o bom momento da safra de melancia no município. Segundo ele, é o resultado de uma política voltada para o atendimento amplo a todos os trabalhadores do campo e que mais projetos estarão sendo encaminhados.

“Nos últimos sete anos, onde pegamos uma secretaria sem praticamente nada e começamos a estruturar e hoje podemos somar os resultados e estamos avançando em vários outros projetos como a suinocultura fazendo o trabalho direito para evitar problemas ambientais e sanitários e vai ser tudo certinho e atenderá dezenas de agricultores em breve”, disse Adailton de Sá.

Continue lendo
publicidade
publicidade Bronze