Connect with us

Tocantins

ARAGUAÍNA: Decreto flexibiliza horário de funcionamento de comércio, bares, restaurantes e feiras livres

Publicado

em

As mudanças foram publicadas no Diário Oficial do Município desta terça-feira, 13, com a intenção de flexibilizar o funcionamento de algumas atividades afetadas durante o combate ao avanço da covid-19 em Araguaína. De acordo com o prefeito Ronaldo Dimas, a decisão foi tomada após a queda na curva de novos casos da doença durante cinco semanas seguidas e a entrega da primeira etapa da sede própria do Hospital Municipal Eduardo Medrado, que está funcionando como Unidade Covid.

“Araguaína tem sido pioneira nas ações de combate à pandemia, sendo a primeira cidade do Brasil a tornar obrigatório o uso de máscaras. Com a entrega do Hospital Municipal que já está operando como Unidade Covid, completamos todo um planejamento executado durante a pandemia e podemos dizer que Araguaína está pronta para essas novas adequações”, explicou o prefeito.

Eventos

Entre as mudanças estabelecidas com o novo decreto estão a readequação dos horários de funcionamento de bares, restaurantes e lanchonetes, que poderão a partir de agora funcionar de domingo a quinta-feira, das 7 às 24 horas e sexta-feira, sábado e véspera de feriado, das 7 às 2 horas do dia seguinte.

A mudança também inclui a realização de shows, eventos, apresentações culturais e comícios, que deverão ser licenciados pelo Departamento Municipal de Posturas, ocorrendo apenas em espaços fechados e com controle de acesso, com capacidade máxima determinada pela densidade de uma pessoa a cada dois metros quadrados de área destinada ao público e limite de 300 participantes.

Comércio e igrejas

A partir de agora os estabelecimentos comerciais e agências bancárias poderão funcionar em horário normal, mantendo as demais regras de controle e distanciamento. As feiras livres também foram incluídas na lista, com distância mínima de 1,5 metro entre estações de trabalho e entre vendedor e cliente.

Já as igrejas e templos religiosos poderão reduzir o distanciamento dos assentos individuais de 2 para 1,5 metro, determinando assim a capacidade máxima de fiéis e fixando-a através de placas em todos os acessos.

“Este não é um momento de descuidarmos, pois esta flexibilização só foi possível devido ao trabalho duro realizado até agora e todo o cuidado e higienização para impedir o avanço da pandemia em Araguaína”, alertou Ronaldo Dimas.

A fiscalização do cumprimento das regras estabelecidas pelo decreto será feita em um trabalho conjunto entre os órgãos municipais e agentes de trânsito, com apoio das forças policiais. Caso seja identificado algum tipo de infração, o responsável poderá responder por crime contra a ordem e saúde pública, além de receber multa.

Redução de casos

Araguaína registrou mais uma semana de queda nos novos casos da covid-19 e chegou a cinco consecutivas. O boletim semanal do último dia 8 apontou queda de 72% desde o pico da doença, quando haviam 1.219 novos casos da covid-19 em sete dias. De lá para cá, a queda foi consecutiva semanalmente em 1.048, 671, 616, 542 e na última marcou 333 novos casos.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Menor é apreendido no interior do Tocantins com dinheiro falso comprado pela internet

Publicado

em

Na tarde desta terça feira, 27, um menor de 16 anos de idade foi apreendido pela Polícia Militar durante abordagem em Ponte Alta do Tocantins, por ato infracional (moeda falsa). Ele portava um envelope com conteúdo ilícito e confessou que se tratava de notas falsas compradas na Internet pelo valor de R$ 200,00.

O menor foi apreendido durante abordagem realizada pelos militares de Ponte Alta do Tocantins. No interior do envelope que o infrator portava os policiais encontraram sete notas de R$ 100,00 totalizando R$ 700,00. Para os policiais, o autor informou que havia comprado as moedas pela Internet, no site de  compra e venda OLX e pagou pelas notas falsas o valor de R$ 200,00. A conduta é tipifica como crime pelo art. 289, § 1º, do Código Penal (aquisição de moeda falsa). 

Diante da situação o menor foi autuado em flagrante. O Conselho Tutelar foi acionado por se tratar de um menor de idade e o pai do jovem acompanhou toda a ação policial. Depois de apreendido o infrator foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil em Porto Nacional, para os procedimentos legais cabíveis. 

Continue lendo

Tocantins

ARAGUAÍNA: Crime de estupro e roubo solucionado com a ajuda de análise de material genético deixado na cena do crime

Publicado

em

A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Repressão a Roubos (DRR) de Araguaína, com apoio do Laboratório de Genética Forense da Superintendência da Polícia Científica, concluiu o primeiro caso de crimes de Estupro e Roubo apurado pelo exame de DNA de vestígio encontrado na cena do crime.

Conforme o delegado Breno Eduardo Campos Alves, o crime ocorreu no mês de março de 2020, quando a vítima e o namorado foram abordados no momento em que se encontravam no interior de um veículo, no período noturno no Bairro JK, em Araguaína. Na ocasião, as vítimas foram amarradas e roubadas, tendo o autor do crime violentando sexualmente a vítima mulher.

A Delegacia Especializada de Repressão a Roubos encampou a investigação e, diante do exame de local direto e indireto do crime, foi possível realizar a coleta de vestígios que foram encaminhados ao Laboratório de Genética Forense.

Ainda segundo a autoridade policial, o árduo trabalho de investigação resultou na identificação de um suspeito e seu perfil genético foi colhido, tratado e comparado com amostras coletadas do vestígio recolhido na cena do crime pelo LGF, confirmando cabalmente ser ele o autor do crime.

O Delegado Breno Eduardo ressaltou que “se tratou de investigação complexa que culminou na prisão preventiva do autor do crime, bem como do partícipe, um indivíduo que emprestou ao autor a arma utilizada no crime e a motocicleta com a qual se aproximou e fugiu após o ato”. O autor do crime foi preso no Estado do Piauí e o partícipe preso pelo mesmo crime, no Estado do Pará.

Genética

O Laboratório de Genética Forense informou que esse foi o primeiro caso de apuração de crimes de estupro e roubo que foi elucidado por meio de investigação genética de vestígio coletado na cena do crime, marco pioneiro do processo de investigação moderna que a Polícia Civil vem construindo. 

O Delegado Breno Alves ainda informou que o autor se encontra preso preventivamente e já responde a mais de uma dezena de processos por crimes de estupros, roubo e homicídios nos estados do Pará, Tocantins, Piauí e Maranhão, sendo que na época do crime se encontrava foragido.

Além do trabalho técnico da DRR – Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e do Laboratório de Genética Forense, a investigação teve auxílio da Polícia Civil dos estados do Piauí, Pará e Goiás.

O perito Paulo Henrique Teixeira ressaltou que o isolamento do local do crime e a consequente preservação dos vestígios foram de fundamental importância para a realização da análise contundente do perfil genético do suspeito, o que contribui sobremaneira para a elucidação do crime.

Já o perito Marciley Alves Bastos ressaltou a importância do Banco Nacional de Perfis Genéticos. Segundo ele, com a inserção dos dados e dos vestígios do suspeito nesse banco outros crimes passados ou futuros poderão ser solucionados. O perito também frisou que através da colocação dos dados, bem como dos vestígios do suspeito preso, não somente crimes sexuais, mas também, roubos, homicídios sequestros, enfim, uma série de outros delitos que podem deixar vestígios poder ser desvendados trazendo mais segurança à população. Por fim, Marciley agradeceu o apoio recebido da Polícia Científica do estado de Goiás. (Rogério de Oliveira)

Continue lendo

Tocantins

Estagiário aplica golpe de mais de R$ 40 mil em agência bancária do Tocantins

Publicado

em

Na tarde desta terça-feira, 27, a Polícia Civil do Tocantins, por meio da 1ª Delegacia de Palmas, em ação conjunta com policiais do Sistema Integrado de Operações (SIOP), efetuou a apreensão de cerca de R$ 40 mil, que estavam na residência de um homem de 21 anos, o qual foi detido e conduzido até a sede da 1ª DP, por suspeita de crimes de estelionato e falsificação de documento público.

Conforme os delegados Ricardo Real e Túlio Pereira, as investigações estavam sendo realizadas pela Polícia Civil, há algumas semanas, pois havia a suspeita de que o indivíduo, que é estagiário de uma empresa que presta serviços jurídicos a instituições financeiras, estaria desviando dinheiro de uma agência bancária em Palmas.

De acordo com as investigações da Polícia Civil, o referido estagiário estaria, em tese, falsificando documentos referente ao pagamento de emolumentos cartorários para obter valores ilícitos junto à instituição. Restou apurado ainda que o estagiário vinha praticando as atividades criminosas há cerca de um ano e pode ter obtido aproximadamente R$ 170 mil.

A atuação da Polícia Civil e do SIOP teve como objetivo principal evitar que o estagiário obtivesse êxito ao retirar valores nesta terça-feira, 27, bem como tentar recuperar valores que ele, porventura, estivesse ocultando. “No momento em que o suspeito deixava a agência bancária, fizemos a abordagem e o conduzimos até a sede da 1ª DP, onde ele acabou confessando a prática delituosa”, disse o diretor do SIOP, delegado Ricardo Real. Ao mesmo tempo, outra equipe de policiais civis foi até a residência do suspeito, onde foram localizados e apreendidos cerca de R$ 40 mil, dinheiro que jovem confessou ser produto de desvio do banco.

O delegado-chefe da 1ª DP, Túlio Pereira Motta esclareceu que a Polícia Civil aprofundará às investigações no sentido de individualizar as ações criminosas do estagiário, que aguardará as apurações em liberdade. “Ao final das investigações, o indivíduo pode ser indicado pela prática dos crimes de estelionato e falsificação de documento público e crime contra a fé pública”, disse o delegado Túlio Pereira Mota.

O diretor do SIOP, delegado Ricardo Real, ponderou que a atuação integrada e imediata interrompeu as atividades criminosas, recuperou e devolveu cerca de R$ 40 mil que haviam sido subtraídos da agência bancária. “Com o aprofundamento das investigações, será possível esclarecer todas as circunstâncias do crime e apurar se há outras pessoas envolvidas na ação”, frisou a autoridade policial. A Polícia Civil reitera que tem intensificado a atuação no combate aos crimes contra o patrimônio em Palmas e em todo o Estado e que novas ações podem ser deflagradas nos próximos dias.

Continue lendo
publicidade Bronze