Connect with us

Tocantins

ARAGUAÍNA: Prefeitura faz chamada pública para servidores atuarem como auxiliares de fiscalização

Publicado

em

A Prefeitura de Araguaína abriu chamada pública para que auxiliares de professor possam trabalhar como auxiliares de fiscalização. O chamamento pretende aumentar a renda desses profissionais devido à redução da carga horária com a suspensão das aulas. A contratação tem o objetivo de aumentar o controle das medidas restritivas adotadas contra a covid-19 na cidade. São 10 vagas disponíveis e as inscrições devem ser realizadas até o meio-dia, desta quinta-feira, 30, pelo site https://www.araguaina.to.gov.
 
De acordo com a Secretaria Municipal da Administração, Rejane Mourão, a escolha da categoria é pela semelhança contratual. “Já chamamos todos do cadastro reserva para auxiliar de fiscalização, então resolvemos convidar os auxiliares de professores já contratados porque têm salário compatível e a mesma escolaridade”, explicou. Hoje, são 358 profissionais nesse cargo na Educação Municipal.
 
Critérios de seleção
Para estar apto ao serviço é necessário ter Carteira Nacional de Habilitação (CNH) Categoria A, possuir motocicleta, ser eleitor e estar em dia com a Justiça Eleitoral e não registrar antecedentes criminais.
 
O profissional interessado ao cargo não pode pertencer ao grupo de risco, como diabéticos, hipertensos, com insuficiência renal e doenças respiratórias crônicas. Mulheres grávidas e lactantes também não podem se inscrever.
 
A seleção
Os inscritos serão selecionados por meio de triagem curricular e entrevista estruturada com equipe da fiscalização. A carga horária de trabalho é de 33 horas semanais, sendo seis horas corridas em dias úteis e três horas corridas no sábado. A remuneração é de R$ 1.045,00.

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected]mail.com que iremos analisar.
Faça um comentário

Tocantins

Tocantins sobe para 5.182 casos de Covid-19 com 90 mortes

Publicado

em

O 82º Boletim Epidemiológico Notificações da Covid-19, divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) informa que nesta sexta-feira, 05 de junho, foram contabilizados 301 novos casos confirmados para Covid-19.

Desta forma, hoje o Tocantins contabiliza 5.182 casos confirmados da doença, destes, 1.933 pacientes estão recuperados e 3.160 estão ainda em isolamento domiciliar ou hospitalar, além de 89 óbitos.

O Boletim da SES ainda não contabilizou 1 óbito, informado na noite desta quinta, 4, pela Secretaria Municipal de Saúde de Sítio Novo, no Bico do papagaio, por meio de seu Boletim. O paciente estava internado na cidade de Imperatriz-MA.

Continue lendo

Tocantins

Tocantins se aproxima dos 5 mil casos de Covid-19

Publicado

em

Segundo 81º Boletim Epidemiológico Notificações da Covid-19 no Tocantins, o estado registra nesta quinta-feira, 04 de junho, 187 novos casos confirmados para Covid-19.

Desta forma, o Tocantins contabiliza 4.881 casos confirmados da doença, destes, 1.828 pacientes estão recuperados e 2.966 estão ainda em isolamento domiciliar ou hospitalar, além de 87 óbitos.

Araguaína, Palmas e Xambioá, são os municípios com maior registros de casos, com 2025, 685 e 220 respectivamente. Já em quantidade de mortes, segue Araguaína, Araguatins e Palmas, com 20, 12 e 8, respectivamente.

Continue lendo

Tocantins

PF desarticula associação criminosa envolvida em tráfico de entorpecentes no Tocantins e Goiás

Publicado

em

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (04), a “Operação Breaking” visando desarticular associação criminosa envolvida em tráfico de drogas nos Estados de Goiás e Tocantins.

Cerca de 30 Policiais cumprem 12 mandados de prisão preventiva, com apoio da Polícia Militar do Estado de Goiás. Os mandados foram expedidos pelo Juízo Criminal da 1ª Vara Criminal da Comarca de Colinas do Tocantins.

A Polícia Federal encontrou indícios de que os investigados têm relação com facção criminosa e praticavam diversos outros crimes, como roubos e homicídios, além do tráfico de drogas.

Os investigados poderão responder pelos crimes de roubo, homicídio e tráfico de entorpecentes, cujas penas somadas podem ultrapassar 40 anos de reclusão.

O nome da operação simboliza a “quebra”, a “ruptura” dos crimes praticados pela organização criminosa. (Ascom)

Continue lendo
publicidade