As merendeiras do Colégio Estadual Osvaldo Franco, de Araguatins, tiveram a oportunidade de participar de um curso de formação continuada com o tema ‘Aproveitamento Integral dos Alimentos: Alimentação Alternativa’, entre os dias 14 e 17 de outubro. A iniciativa é da unidade escolar onde elas atuam, em parceria com Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

O curso foi ofertado com o intuito de melhorar a qualidade da distribuição e preparo da merenda escolar dos estudantes. Professora Mariza Oliveira de Almeida, que foi a instrutora do curso, fala sobre as práticas desenvolvidas. “Todo o processo de confecção dos alimentos durante o curso de formação teve como base os cardápios da alimentação Escolar da Seduc. Buscamos aproveitar alimentos, para aprender a preparar pratos como torta de abóbora, pão enriquecido com casca de cebola, pão de abóbora, doce de beterraba, arroz com frango e abóbora, entre outros”, exemplificou.

A merendeira Roclânia Barbosa destacou os aprendizados com a formação. “O curso nos fez repensar sobre tudo que se pode aproveitar, de forma nutritiva e saborosa na hora de preparar os alimentos”.

O curso foi ministrado na cantina do Colégio Estadual Osvaldo Franco e contou com a participação de merendeiras de outras escolas de Araguatins.

Curso

O curso de formação surgiu a partir de uma parceria entre o gestor da unidade Eliabe Antonio Miguel e a professora Elizabete Rocha, do Senar. Organizada em quatro módulos, a formação apresentou diversas receitas práticas, utilizando alimentos alternativos e reaproveitamento de cascas e sementes.

Eliabe Antonio reforçou a importância de valorização dos servidores da escola. “Investir em conhecimento e qualificação faz parte das atribuições da escola. A qualificação favorece o melhor desempenho das funções do servidor e amplia sua visão de mundo”, destacou.

Além dos conhecimentos práticos adquiridos, as cursistas serão certificadas com uma carga horária de 40 horas de curso.

Organizada em quatro módulos, a formação apresentou diversas receitas práticas utilizando alimentos alternativos e reaproveitamento de cascas e sementes. O aproveitamento nutritivo e a adequada alimentação de forma a evitar a obesidade nas crianças e adolescentes foi o que destacou Adriana Borges, coordenadora de apoio financeiro do CEOF.

Além dos conhecimentos práticos adquiridos, os cursistas que serão certificados com uma carga horária de 40 horas de curso, têm uma excelente oportunidade de aprimoramento profissional, o que é muito importante nos dias atuais de grandes dificuldades. (Com informações Ascom CEOF)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.