O projeto Justiça Cidadã também tem foco na sustentabilidade, por isso, o Poder Judiciário do Tocantins apresentou o projeto TO Sustentável, seguindo os preceitos do Plano de Logística Sustentável (PLS), do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A proposta foi apresentada nesta segunda-feira, 23, aos servidores da Comarca de Araguatins, no Bico do Papagaio. “Nós temos o compromisso com o meio ambiente e precisamos fazer a nossa parte, garantir um futuro para os nossos descendentes é nossa responsabilidade”, afirmou o presidente do TJTO, desembargador Helvécio de Brito Maia Neto, ao convidar a diretora do Fórum, a juíza Nely Alves da Cruz, para assinar o Pacto pela Sustentabilidade. 

O projeto visa engajar todos os integrantes do Poder Judiciário na causa sustentável, buscando gerir com racionalidade os recursos naturais. “Essa já é uma preocupação da Comarca de Araguatins e agora nos comprometemos ainda mais com esta causa”, afirmou a juíza Nely Alves.

Durante a passagem do Projeto Justiça cidadã, os servidores da Comarca participaram de palestra sobre o tema, ministrada pelo servidor Júlio César Oliveira, integrante do Núcleo de Gestão Socioambiental do TJTO. “Todos nós temos conhecimento de ações simples, atitudes que contribuem com o meio ambiente e evitam o desperdício. Devemos colocar em prática e concretizarmos esse pacto pela sustentabilidade. Todos nós somos responsáveis”, ressaltou.

O grupo recebeu dicas simples, mas importantes, como manter o ar-condicionado em temperatura média de 24 graus, pois economiza energia, desligar o monitor do computador quando não estiver sendo usado, imprimir somente o necessário, evitar o uso de copo descartável, entre outras pequenas atitudes que fazem a diferença na sustentabilidade.

PLS

A comissão gestora do Plano de Logística Sustentável do Poder Judiciário do Tocantins é presidida pela desembargadora Ângela Prudente. A magistrada também assina o Pacto pela Sustentabilidade, que está sendo proposto a todas as comarcas do Estado. Já o projeto TO Sustentável integra o planejamento estratégico do Tribunal e tem coordenação do juiz Pedro Nelson Coutinho. O PLS possui 117 indicadores que são monitorados para a melhor gestão dos recursos naturais, sendo que para 2019 estão sendo priorizados os seguintes temas, copo descartável, água envasada, energia elétrica e papel. (Kézia Reis/Fotos: Rondinelli Ribeiro)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.