Connect with us

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Cursos do Programa Jeito de Mulher iniciam aulas

Publicado

em

foto-2-carlessandro-souza

“Nós mulheres somos incansáveis e estamos sempre querendo produzir mais”, destacou a secretária do Trabalho e Assistência Social, Patrícia do Amaral, perante uma sala lotada de mulheres durante a primeira aula do Projeto Jeito de Mulher, em Araguatins, que aconteceu na noite de segunda-feira, 28. Na cidade, as mulheres terão acesso aos cursos de Eletricista de Instalações Comerciais e Residenciais, Pedreiro e Produção de Derivados do Leite, todos exclusivos para mulheres.

Para reunir as alunas dos três cursos ofertados em Araguatins, a aula inaugural ocorreu no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). A coordenadora do órgão, Marilete Nascimento, falou sobre a importância de agarrar oportunidades de capacitação como as ofertadas pelo projeto. Além disso, como de costume nestas cerimônias, um representante do Instituto Geralda Aldira, responsável por ministrar as aulas, destacou as característica do Jeito de Mulher que inclui um módulo teórico com aulas como Políticas Públicas para Mulheres, por exemplo.

O prefeito eleito da cidade, Cláudio Santana, também esteve presente na solenidade e falou sobre as melhorias que o curso trará a cidade. “Tenham fé, acreditem no potencial de vocês e não parem. Vocês têm que buscar o melhor para vocês e provar para vocês mesmas que são capazes de fazer mais. Vamos colocar Araguatins no trilho do sucesso basta nos unirmos e nos qualificarmos. Eu conto a dedicação de vocês, mulheres”, frisou.

Aproveitando as oportunidades

Ainda de licença maternidade, a operadora de máquinas Frankslane Xavier soube do curso de Eletricista de Instalações Comerciais e Residenciais e se inscreveu. Para ela, uma nova capacitação pode se tornar uma nova profissão. “Quando comecei a estudar para trabalhar como operadora de máquinas não tinha ideia se iria gostar ou não. Então vou começar este curso e, se descobrir uma nova paixão, não tenho medo de mudar de profissão”, afirmou.

Assim também, Alzenira Morais, 56 anos, não se cansa. Ela que já fez curso de horticultura e confeitaria se inscreveu para o curso de pedreiro. “Eu tenho minha horta em casa que eu uso para consumo próprio, mas também vendo. Também faço bolo para vender e não sobra um. Agora, como tenho um lote, vou fazer este curso de pedreiro para praticar lá, fazendo minha casinha. Depois também vou trabalhar com isso, com certeza”, disse animada.

Para a jovem Ana Cássia Lima, 18 anos, foi um estágio não remunerado que a levou até o curso de Produção de Derivados do Leite. “Estagiei em uma padaria e percebi que levo jeito. Também percebi que gosto do segmento de alimentos, então acho que esse curso tem tudo a ver comigo”, analisou.

Jeito de Mulher

Lançado em março deste ano pelo governador Marcelo Miranda, o projeto visava qualificar 465 mulheres e, apenas em sua primeira etapa que contemplou as cidades de Araguaína, Guaraí, Gurupi, Palmas, Paraíso do Tocantins e Porto Nacional, já qualificou mais de 258 mulheres. Com início da execução da segunda etapa em Araguaína, Araguatins, Dianópolis e Palmas e com a parceria firmada com o Instituto Geralda Aldira, que oferta cinco vagas extras por turma, a previsão é que a meta inicial seja superada e o projeto capacite mais de 465 mulheres. O Jeito de Mulher busca incentivar as mulheres a fazerem cursos técnicos em áreas diferenciais e qualificá-las em profissões ocupadas predominantemente por homens. Os cursos são gratuitos e as alunas recebem vale transporte, lanche, material didático e equipamentos necessários para as aulas práticas. (Aline Gusmão)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

SAMPAIO: Casal é preso no Bairro Parque das Estrelas traficando drogas

Publicado

em

As Polícias Militar e Civil prenderam na noite dessa segunda-feira, 23, uma mulher de 28 anos a qual já responde em liberdade por tráfico de drogas em Imperatriz-MA e um homem de 21, acusados de envolvimento com o tráfico de entorpecentes. As abordagens ocorreram no Bairro Parque das Estrelas, em Sampaio, no Bico do Papagaio.

Os policiais chegaram até aos acusados por meio de denúncia de que na casa da autora ocorria venda de drogas. O suspeito de 21 anos deixava a residência da acusada quando foi preso pelos policiais. Em poder do indivíduo foram apreendidas duas porções de maconha encontradas em seu short.

Na residência da mulher a PM e PC apreenderam um aparelho celular; um rolo de papel alumínio; 50 gramas de maconha, enterradas no quintal da casa, R$ 17,00 em espécie e um comprovante de depósito no valor de R$ 150,00 em favor de uma possível fornecedora de drogas, residente em Imperatriz.

Todo o material apreendido juntamente com os envolvidos foi apresentado na Central de Atendimento da Polícia Civil em Araguatins para as demais providências. O homem foi submetido a Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), e a mulher foi autuada em flagrante delito por tráfico de drogas.

Continue lendo

Bico do Papagaio

BURITI: Buritinense é morta pelo marido no Suriname

Publicado

em

Uma mulher identificada como Romênia Brito, de 28 anos, natural de Buriti do Tocantins, cidade do Bico do Papagaio, foi assassinada com vários golpes de faca pelo próprio marido na madrugada de segunda, 23. O caso aconteceu em uma região de garimpo, próximo a Paramaribo, capital do Suriname, onde a vítima morava a 16 anos com o criminoso.

A motivação para o crime teria sido uma suposta traição.

Identificado como Txuca, ele trancou os dois filhos que tem com a vítima em um dos quartos e no outro quarto esfaqueou e matou Romenia.

A população do povoado revoltada com o crime tentou linchar o Txuca. A polícia evitou e prendeu o homem.

Continue lendo

Bico do Papagaio

Novos prefeitos do Bico podem melhorar gestão com uso de dados e indicadores sociais

Publicado

em

Fazer uma gestão cada dia mais eficiente na oferta de benefícios para todas as pessoas de uma determinada cidade, proporcionando assistência a todas as necessidades daquele povo e ainda gerar oportunidades e renda aos cidadãos. Esse é um modelo de gestão perfeito a ser alcançado pelas administrações públicas em relação à população.

E uma ferramenta que pode ser importante para alcançar esse resultado é a observação de dados sobre diversas áreas aos cuidados de uma gestão. Baseado nisso, foi compilado uma série de informações deste tipo, mais indicadores de programas e políticas públicas para realizar a primeira edição do Ranking de Competitividade dos Municípios.

Esse balanço feito pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a plataforma de inteligência para gestão municipal (Gove) e o Sebrae, com objetivo de que esses dados sejam ferramentas para ajudar na tomada de decisões sobre investimentos produtivos nos municípios.

Como resultado, o Ranking de Competitividade dos Municípios é composto por 55 indicadores, organizados em 12 pilares: sustentabilidade fiscal, funcionamento da máquina pública, acesso à saúde, qualidade da saúde, acesso à educação, qualidade da educação, segurança, saneamento e meio ambiente; inserção econômica, inovação e dinamismo econômico, capital humano e telecomunicações.

De acordo com o coordenador de Competitividade da CLP, Lucas Cepeda, para que se possa compreender melhor a dimensão desses resultados, primeiro é necessário entender o significado de competitividade.

“É importante definirmos o que é competitividade para o CLP. Se pegarmos o conceito na esfera privada como sendo uma empresa mais competitiva aquela que ao longo dos anos consegue entregar melhores resultados, aqui no setor público não é diferente! A entrega do governo se traduz justamente na criação de bem-estar social naquela localidade. O município mais produtivo é aquele que, ao longo dos anos, consegue entregar melhores serviços públicos para a população, ou seja, promover a melhor constante do bem-estar social naquela localidade”, explicou.

Nesse contexto, os dados contidos no documento apresentam um ranking com 405 cidades analisadas, com evidentes disparidades regionais ao verificar municípios melhor ranqueados, principalmente, entre Sul e Sudeste em relação ao Norte e Nordeste. Um exemplo é o de que dos 38 municípios da Região Norte analisados, nenhum está entre os 60 primeiros colocados.

Esse tipo de análise é realizada há quase 10 anos pela CLP, e os resultados têm sido compartilhados com governos municipais de todo o País no intuito de gerar maior competitividade, ampliando recursos enquanto torna a gestão mais efetiva. É o que explica Luiz Felipe D’Avila, presidente da CLP.

“O ranking de competitividade dos estados brasileiros se tornou uma ferramenta fundamental para os governadores. Hoje 22 dos 26 estados e o Distrito Federal utilizam o ranking de competitividade para decisão do seu planejamento estratégico, para tomada de políticas públicas. Por tanto, uma ferramenta fundamental porque todo governante sério precisa basear as suas decisões em fatos e dados. Não podemos contestar dados e fatos, pelo contrário, eles devem ajudar a balizar políticas públicas”, destacou D’Avila.  (Brasil 61)

Continue lendo
publicidade Bronze