Juíza Cirlene Maria de Assis e a coordenadora Estadual do Combate a Violência Doméstica do Estado do Tocantins, Nely Alves da Cruz

Presente em Brasília-DF, na semana passada, a juíza da Comarca de Araguatins e também coordenadora Estadual do Combate a Violência Doméstica do Estado do Tocantins, Nely Alves da Cruz, participou com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, do na 13ª edição da Jornada Maria da Penha.

O evento serviu para avaliação e gestão dos riscos de violência doméstica e familiar; à apresentação do Formulário Nacional de Avaliação de Risco de Violência Doméstica do CNJ; à conscientização acerca da necessidade de integração operacional do Poder Judiciário, do Ministério Público e da Defensoria Pública com as áreas de segurança pública; e ao fomento da capacitação de magistrados para a adequada identificação e gestão do risco de violência doméstica e familiar.

No encontro, Sérgio Moro defendeu a lei como uma conquista da sociedade brasileira e atribuiu a violência doméstica a um “ânimo criminoso que tem que ser combatido”.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, participam da solenidade de abertura da 13ª Jornada Lei Maria da Penha

“A lei precisa dar resposta, precisamos ter instrumentos na legislação para cuidar dessa questão. E a Lei Maria da Penha, inegavelmente, foi um grande avanço, uma conquista simbólica de uma heroína das mulheres, a senhora Maria da Penha. Uma conquista, em verdade, de toda uma geração de mulheres que vem progressivamente afirmando cada vez mais os seus direitos”, frisou o ministro durante o evento promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em Brasília.

Junto com Nely, estava a juíza Cirlene Maria de Assis.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.