Connect with us

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Membros do FNL são presos suspeitos de porte de arma e constrangimento ilegal

Publicado

em

Ananias e Valdemar são os dois primeiros da direita para esquerda. Os outros três foram ouvidos na delegacia por constrangimento ilegal.

A Polícia Civil, por intermédio da 10ª Delegacia Regional de Araguatins, deflagrou, nesta quinta-feira, 28, a operação “Paz no Campo”, a qual resultou na prisão de Valdemar Alves da Silva e Ananias Almeida Silva pela prática dos crimes de porte e posse ilegal de arma de fogo, respectivamente.

Durante a operação, que foi comandada pelo delegado Eduardo Nunes, os policiais civis também efetuaram a apreensão de quatros espingardas de diferentes calibres, as quais estavam em poder dos presos.

 Na oportunidade, o delegado e sua equipe, também identificaram outros três suspeitos pela prática de fatos ilícitos, em data anterior que, em tese, configuram crimes, razão pela qual procedeu ao interrogatório destes a fim de elucidar o caso investigado.

Entenda o caso

Nesta quinta-feira, 28, funcionários da Fazenda denominada Água Amarela, que fica localizada às margens da rodovia BR-230 no município de Araguatins/TO, registraram boletim de ocorrência noticiando a prática de crime de constrangimento ilegal e de porte de arma de fogo praticados por alguns integrantes do acampamento Nova Esperança.

Segundo o delegado de Polícia, Eduardo Nunes, através do registro da ocorrência, a Polícia Civil tomou conhecimento formal de que vários assentados possuem armas de fogo na localidade, algumas até escondidas na mata, as quais são utilizadas para a prática de ameaças e constrangimentos, consequentemente impedindo o regular exercício da atividade desempenhada na aludida Fazenda.

De posse das informações recebidas, o delegado coordenou uma equipe de policiais civis para realização da operação no sentido de encontrarem as armas e seus possuidores. Ao abordar os prováveis proprietários das armas de fogo, a autoridade policial obteve a confissão de todos os envolvidos no fato que deu origem ao Boletim de Ocorrência registrado pelos funcionários da Fazenda, situação que resultou no encontro de duas armas de fogo que estavam escondidas no matagal e outras duas nas barracas dos suspeitos da prática dos crimes noticiados.

Diante das evidências e da situação de flagrante, o delegado deu voz de prisão aos proprietários das armas, ao quais foram conduzidos pela equipe de policiais civis à Central de Flagrantes de Araguatins, para lavratura do respectivo procedimento por posse e porte ilegal de arma de fogo e constrangimento ilegal.

Após os procedimentos legais cabíveis, Valdemar e Ananias foram recolhidos a carceragem da Cadeia Pública de Araguatins, onde permanecerão à disposição do Poder Judiciário. (Rogério de Oliveira)

publicidade
FAÇA UM COMENTÁRIO
Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.
Faça um comentário

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: No Esquinão, Aquiles diz que município voltará a ter obras e Saúde de qualidade

Publicado

em

Durante comício realizado na noite desta sexta, 23, realizado entre os bairros Vila Miranda e Madalena, o candidato da Coligação Uma Nova Política Para um Novo Tempo”, Aquiles da Areia (PP), disse que o município de Araguatins, voltará a contar com políticas públicas eficientes.

“Vocês vão terminar essa campanha sabendo que vão ter um prefeito para a cidade voltar a ter obras, saúde de qualidade, valorização ao educador, apoio ao agricultor e ser destaque novamente no turismo”, afirmou Aquiles da Areia e ainda acrescentou: “Nosso compromisso é Araguatins, por isso temos projetos para a melhoria da cidade”.

Participaram do evento, além de candidatos a vereador e líderes, o deputado estadual Olyntho Neto (PSDB).

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Rocha Miranda diz que segunda-feira Justiça Eleitoral define sua candidatura

Publicado

em

O candidato da Coligação “De Volta ao Progresso”, Rocha Miranda (PTB), afirmou por meio de vídeo na manhã deste sábado, 24, que espera para segunda, dia 26, uma posição da Justiça sobre sua candidatura que encontra-se indeferida com recurso.

O candidato mostrou otimismo para a reforma da decisão, como aconteceu com a de Cláudio Santana (MDB).

Veja a fala do candidato:

Continue lendo

Bico do Papagaio

ARAGUATINS: Familiares de detentos reclamam sobre restrições e alertam para possibilidade de greve de fome e rebelião

Publicado

em

Esta semana a cadeia Pública de Araguatins, no Bico do Papagaio, foi palco de reclamações e queixas de familiares de detentos. Após a instauração da e Operação Legalidade Primavera Árabe, por parte dos policiais penais.

Os familiares alegam que as restrições impostas aos detentos, tem prejudicado inconsequentemente a permanência dos apenados e que além das visitas estarem restritas, vem enfrentando dificuldade, com as restrições impostas que bloqueiam a entrada de produtos de de limpeza, higiene pessoal e até remédios.

“Todos lá cometeram penalidades e estão pagando por isso. Agora, submete-los a não receber até medicamentos é demais. Sem contra que todos as famílias ajudam com materiais de limpeza, alimentação e higiene pessoal. Se existe problema entre os funcionários e o Governo, o caminho não deveria ser esse, mas sim o diálogo”, disse uma mãe de detento que pediu para não ser identificada, com receio de retaliação.

O movimento de reivindicação por direitos trabalhistas organizado por policiais penais no Tocantins já alcançou praticamente todas as unidades prisionais do estado. Batizado de Operação Legalidade Primavera Árabe, o movimento faz alusão à onda de movimentos e revoluções em países do Oriente Médio que teve início em 2010 e “faz referência a um movimento que começou pequeno, mas que se expandiu, tornando-se grande”, como explicou o presidente da Associação dos Prossionais do Sistema Penitenciário do Tocantins (Prosispen), Wilton Angelis Barbosa.

Apesar do nome, o movimento não se trata de uma ação operacional dentro das unidades, mas sim de um movimento que busca pressionar o Governo do Estado para cumprir o pagamento de direitos devidos aos policiais penais, como horas extras e adicionais.

De acordo com a Prosispen, a chamada Operação Legalidade Primavera Árabe suspende qualquer atividade que fuja às obrigações legais atribuídas aos policiais penais.

Os agentes prometem deixar de fazer horas extras, cumprindo somente as 40 horas semanais, de acordo com o estatuto da categoria, e ainda deixar de fazer escoltas fora do município de atuação por causa do não pagamento de diárias.

Ainda segundo a Prosispen, os agentes também pretendem como regalias de presos dentro das celas, como ventiladores, televisores, videogames, entrada de fumo e outros itens, além da proibição de contato de presos com parentes e advogados, a depender da disponibilização de equipamentos de proteção individual para prevenir o risco de contágio pela covid-19 no contato com pessoas do público externo.

Continue lendo
publicidade Bronze